Novo vídeo de ‘M-8’: Protagonista negro busca seu lugar na universidade onde todos os professores e alunos são brancos. Longa está na disputa pela vaga brasileira à indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro

“Às vezes eu me pergunto se não tenho mais a ver com esses corpos do que com os meus colegas de turma”, afirma Maurício (Juan Paiva) na cena do filme “M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida”, divulgada hoje. No vídeo, Maurício acabou de ingressar no curso de medicina e tem dificuldade em encontrar espaço em um ambiente onde negros são funcionários ou corpos preservados para o estudo de anatomia. Produzido pela Migdal e distribuído pela Paris Filmes, “M-8” estreia em 3 de dezembro nos cinemas.

O filme conta a história de um jovem negro que ingressa como aluno cotista da Universidade Federal de Medicina. Ao chegar na instituição, é confrontado com uma dura realidade: o corpo que servirá para estudo na aula de anatomia – quase sempre de indigentes – é também negro. Impactado com a experiência, Maurício se vê envolvido com M-8, como o jovem morto é chamado, e inicia uma saga para desvendar sua identidade, enfrentando as próprias angústias e repensando o próprio lugar na sociedade.

Além de refletir sobre preconceito e exclusão, o filme toca em questões universais sobre sentimentos e relacionamentos. Integram o elenco Juan Paiva, Mariana Nunes, Giulia Gayoso, Bruno Peixoto, Fábio Beltrão, Zezé Motta, Malu Valle, Dhu Moraes, Henri Pagnoncelli, Pietro Mario, Alan Rocha, Higor Campagnaro e Raphael Logam, como M-8. Ailton Graça, Léa Garcia, Rocco Pitanga e Lázaro Ramos fazem participações especiais.

Compartilhe as hashtags #M8OFilme #M8NoOscar #VidasNegrasImportam

Siga M-8 nas redes:

https://www.instagram.com/m8ofilme/
https://www.facebook.com/M8OFilme/
https://twitter.com/M8OFilme 

Sinopse

“M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida”, dirigido pelo cineasta Jeferson De (do premiado “Bróder”), é baseado no livro homônimo de Salomão Polakiewicz e conta a história de Maurício (Juan Paiva), um calouro da prestigiada Universidade Federal de Medicina, filho de Cida (Mariana Nunes), uma auxiliar de enfermagem, que dá duro para ver seu filho entrar pra faculdade . Em sua primeira aula de anatomia, Maurício é apresentado a M-8 (Raphael Logam), corpo que servirá para estudo dele e dos amigos durante o primeiro semestre. Em uma jornada permeada de mistério e realidade, Mauricio enfrenta suas próprias angústias para desvendar a identidade desse rosto desconhecido.

Elenco

Maurício – Juan Paiva
M-8 – Raphael Logam
Cida – Mariana Nunes
Suzana – Giulia Gayoso
Domingos – Bruno Peixoto
Gustavo – Fábio Beltrão
Ilza – Zezé Motta
Sá – Ailton Graça
Sinvaldo – Alan Rocha
Dr. Djalma – Henri Pagnoncelli
Carlota – Malu Valle
Dona Angela – Léa Garcia
Mãe de Santo – Dhu Moraes
Salomão – Pietro Mario
Emília – Tatiana Tibúrcio
Motorista da Funerária – Lázaro Ramos
Marquinhos – Bernardo Dugin
Francisco – Sérgio Loureiro
Policial 1 – Higor Campagnaro
Policial 2 – Rocco Pitanga

Ficha técnica

Direção: Jeferson De
Produção: Iafa Britz e Carolina Castro
Roteiro: Jeferson De e Felipe Sholl
Colaboradores: Carolina Castro, Cristiane Arenas, Iafa Britz e Paulo Lins
Autor da obra original: Salomão Polakiewicz
Produtor associado: Romulo Marinho Jr.
Diretor de Fotografia: Cristiano Conceição
Diretor de Arte: Daniel Flaksman
Figurinista: Cris Kangussu
Produtora de elenco: Marcela Altberg
Produtora associada: Buda Filmes
Patrocínio do BRDE/FSA-Ancine

Sobre a Migdal Filmes

A Migdal Filmes é uma produtora carioca com diversificada carteira de projetos audiovisuais. Em seu line up, a empresa coleciona títulos que vão de grandes recordes de bilheteria a premiadas ficções e documentários. Dentre seus mais conhecidos projetos estão os três filmes da trilogia de “Minha Mãe É Uma Peça” (2013, 2017 e 2020), fenômeno de público e crítica; o filme “Casa Grande”, de Fellipe Barbosa, indicado a mais de dez festivais internacionais e premiado nos festivais de Toulouse, Rotterdam, Festival do Rio e outros; e o também consagrado documentário musical “Cássia Eller”, de Paulo Henrique Fontenelle.

A Migdal também é responsável pela produção de longas como “Linda de Morrer”, comédia estrelada por Glória Pires; “Irmã Dulce”, de Vicente Amorim, cinebiografia da Santa Dulce dos Pobres, “Nosso Lar”, em parceria com a Cinética Filmes, que levou mais de 4 milhões de espectadores aos cinemas de todo o Brasil.

Para TV, a Migdal produziu séries como “Matches“ (Warner Chanell), as três temporadas da série antológica “As Canalhas” (GNT); as cinco temporadas do humorístico “220 Volts” (Multishow), e está em desenvolvimento de projetos de diferentes gêneros para streaming.

No line up para 2020/2021, a Migdal tem três filmes com perfis muito variados para o mercado: “Carlinhos e Carlão”, estrelado pelo ator Luis Lobianco e dirigido por Pedro Amorim, que acaba de entrar na plataforma Amazon, com exclusividade; a comédia “Amarração do Amor”, dirigida por Caroline Fioratti, com Cacau Protásio, Ary França e grande elenco, a ser lançada no primeiro semestre de 2021, e finalmente, “M-8 — Quando a Morte Socorre a Vida”, de Jeferson De, com lançamento marcado para dezembro de 2020.

Em 2021 filma os longas “Hotel No Incluido” (Disney), de Tomáz Portella, “O Fim da Inocência” (Globo Filmes), de João Jardim (filme e mini-serie), e entra em produção da segunda e da terceira temporada de “Matches” (Warner Chanell), e da série “ Minha Máe É Uma Peça” (Globoplay).

Sobre a Paris Filmes

A Paris Filmes é uma empresa brasileira que atua no mercado de distribuição e produção de filmes, primando pela alta qualidade cinematográfica. Além de ter distribuído grandes sucessos mundiais, como o premiado “O Lado Bom da Vida”, que rendeu o Globo de Ouro® e o Oscar® de Melhor Atriz a Jennifer Lawrence em 2013 e “Meia-Noite em Paris”, que fez no Brasil a maior bilheteria de um filme de Woody Allen, a distribuidora também possui em sua carteira os maiores sucessos do cinema nacional, como as franquias “De Pernas Pro Ar” e “Até Que a Sorte nos Separe”.

Nos últimos anos a empresa esteve à frente de lançamentos como a franquia “John Wick”, além de “La La Land – Cantando Estações”; “A Cabana”; “D.P.A: Detetives do Prédio Azul – O Filme”; “D.P.A. 2 – O Mistério Italiano”; “Extraordinário”; “Nada a Perder”, entre outros. Para 2020, a companhia aposta em um line-up diversificado, que inclui títulos como “A Jornada”, “Depois a Louca sou Eu”, “Detetives do Prédio Azul 3 – Uma Aventura no Fim do Mundo”, “Sapatinho Vermelho e os Sete Anões”, “10 horas Para o Natal”, “Espiral – O Legado de Jogos Mortais”, “Turma da Mônica – Lições”, entre outros.

Anterior VIA DE TROCA – Diálogo entre artistas
Próximo Breathzilian Latin Fest terá edição virtual no sábado