AQUI TEM DIVERSÃO

Luiz Eduardo, contador de histórias cego na BDB Cultural

Luiz Eduardo | Foto: Lucas Rezende

Contador de histórias cego de 14 anos Luiz Eduardo se apresenta na BDB Cultural. Apesar das dificuldades de saúde — incluindo um transplante renal aos 4 anos — e de acesso aos textos, Luiz Eduardo não perde seu amor pelos livros

Entre tantas histórias que conta, o jovem contador de histórias Luiz Eduardo poderia narrar também a própria, uma trama de superação dessas que só acontece no mundo real: nasceu cego, passou por um complicado transplante renal ainda aos oito anos, mas não deixou de encantar-se pela força das boas histórias.

Longe da tristeza, mas sem negar as dificuldades de acessibilidade, o que mais encanta Luiz Eduardo é o poder transmissível que tem a magia do livro. É para distribuir esse encanto que ele se apresenta na BDB Cultural no dia 06, às 17h, com transmissão nas redes sociais da iniciativa.

Na sua apresentação, ele narra O bicho Manjaléu, conto popular compilado por Monteiro Lobato e que tem em si também uma mensagem de resistência e persistência, como a própria vida de Luiz Eduardo está cheia. As primeiras histórias que ele memorizou foram no mesmo ano em que passou pelo transplante. “Eu comecei a contar com 08 anos. Eu tenho uma memória muito boa, consigo decorar muito fácil. Ouvi a história e fui contanto para todos”, diz.

O mais difícil, porém, é chegar às histórias. Embora as tecnologias tenham aproximado pessoas com deficiência visual e os livros, elas ainda são de difícil acesso para uma boa parte da população, inclusive para Luiz Eduardo. “Não vi ainda uma modificação. Os livros para cegos têm duas formas, em Braille ou em áudio. Eu prefiro ler em Braille, mas há pouquíssimos livros lançados nesse formato em Braille. Há uma falta de interesse das editoras por lançar livros, que são caros e grandes”, diz ele.

Sua mãe, Janaína Chaves da Fonseca, completa: “Uma pessoa que enxerga não vai entender como é difícil achar um livro em Braille. Meu pé de laranja lima é um dos meus livros preferidos, marcou minha infância e tivemos que procurar muito para encontrar uma biblioteca que o tivesse. Foi uma emoção muito grande para mim vê-lo lendo aquela história”, diz. Ela conseguiu essa edição na Biblioteca Braille Dorina Nowill em Taguatinga-DF depois que eles solicitaram uma cópia para a Fundação Dorina Nowill em São Paulo.

Apesar de tantas dificuldades, Luiz Eduardo ainda tem o sonho de tornar-se um contador de histórias profissional — e ele é exigente. “O que faz um contador de histórias ser bom é ele saber sair do livro, não contar mecanicamente. Não pode e não deve perder a essência do livro, claro, mas deve contar do seu jeito, fazendo uma interpretação, recriando e colocando a entonação correta. Eu gosto de contar como se estivesse falando com o amigo, narrando histórias com muitos detalhes, muita ação, isso é o que mais me inspira”, diz.

Sobre a BDB Cultural

A BDB Cultural é uma iniciativa do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, em parceria com a Biblioteca Demonstrativa do Brasil Maria da Conceição Moreira Salles (BDB) e, por meio de um termo de colaboração, com a organização social Voar Arte para a Infância e Juventude. A agenda que o projeto executará na BDB segue até março de 2022.

“Com a BDB Cultural, vamos renovar a prática de ser uma referência a outras bibliotecas do país para que elas possam abrir suas asas para voos mais altos e dar vida aos seus espaços”, diz o coordenador-geral da BDB Cultural, Marcos Linhares.

Para saber mais sobre os próximos cursos e eventos oferecidos, acompanhe as novidades da BDB Cultural no Youtube (https://www.youtube.com/c/BDBCultural), no Facebook (https://www.facebook.com/bdbcultural), Instagram (https://www.instagram.com/bdbcultural/) e no site www.bdbcultural.com.br da iniciativa.

Sobre Luiz Eduardo

Luiz Eduardo Dornelles é um contador de histórias. Ele tem 14 anos, tem cegueira total desde o nascimento e aos quatro anos passou por um transplante renal. Participa da Associação Amigos das Histórias, que antes da pandemia fazia contações no Taguaparque-DF. É também um apaixonado pelo xadrez, esporte do qual foi Campeão Brasileiro Juvenil em 2017.

Serviço:

BDB Cultural – Junho de 2021
Contação de histórias traz Luiz Eduardo narrando O bicho Manjaléu.
06/06 – Transmissão no Youtube e no Facebook da BDB Cultural, às 17h.

Outras informações:

Site www.bdbcultural.com.br
Facebook.com/bdbcultural
Instagram – @bdbcultural

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Sair da versão mobile