A geração que assistiu aos programas de Xuxa Meneghel entre os anos 1980 e 1990 certamente se lembra do clássico “Lua de Cristal”. O filme completa 30 anos em 2020 e para celebrar a data produtores de cinema realizam um documentário especial sobre a obra.

Sucesso de comunicação entre os anos 80, 90 e 2000, a apresentadora Xuxa Meneghel fez muito sucesso entre o público infantil na televisão e na indústria fonográfica, sendo umas das brasileiras que mais venderam discos no país e na América Latina. No cinema, Xuxa já havia trabalhado quando era manequim e em participações pequenas nos filmes dos Trapalhões. Somente em 1988, com o lançamento de “Super Xuxa contra Baixo Astral”, a apresentadora assumiu o protagonismo nas telonas.

O sucesso do filme foi imediato. Em 1989, foi a vez da parceria “A princesa Xuxa e Os Trapalhões” conquistar o público. Em 1990, um novo filme estrearia nos cinemas. O título era “Xuxa e a Turma Invencível”. A música-tema encomendada para esse filme foi intitulada “Lua de Cristal” Após a equipe escutar a canção, o filme foi rebatizado também como “Lua de Cristal”, um dos maiores sucessos de bilheteria nacional da época, alcançando 5 milhões de espectadores.

A história é simples: Uma releitura moderna da Cinderela. Xuxa é Maria da Graça, uma moça pobre que tenta a vida musical na cidade grande, enfrentando as maldades de sua tia e sua prima, até que um príncipe suburbano cruza seu caminho, com direito a sapatinho no pé e tudo. O príncipe, na verdade, era Bob, um funcionário de uma lanchonete interpretado por Sérgio Mallandro, outra figura cativa do público infantil na TV.

O DOCUMENTÁRIO

Tudo começou quando o carioca Gabriel Silva, o paulista Rodrigo Nicodemo e o mineiro Diego Alexandre se juntaram para desenvolverem o projeto. Os três fazem parte da geração que cresceu assistindo às constantes exibições do filme na Sessão da Tarde e resolveram homenageá-lo. Tirando recursos do próprio bolso, os produtores superam as limitações impostas pelo baixo orçamento com muita criatividade e confiança nos depoimentos dos profissionais que trabalharam no longa-metragem. O documentário revisita a a história de “Lua de Cristal” através de entrevistas com atores e a diretora do filme, resgatando umvasto material de arquivo.

Cerca de 80% das filmagens já foram realizadas, inclusive com Tizuka Yamasaki, diretora do filme. Também já foram entrevistados o produtor Diler Trindade, a roteirista Yoya Wursch, o compositor Michael Sullivan, as atrizes Julia Lemmertz e Marilu Bueno, o cantor Avellar Love (do grupo João Penca e seus Miquinhos Amestrados), entre outros. Até o humorista Paulo Vieira, fã declarado de Xuxa, foi tocado pela mensagem do filme na infância e teve seu depoimento registrado.

Mas, engana-se quem pensa que o documentário é direcionado apenas aos fãs saudosistas. Há espaço para reflexões acerca do turbulento período em que o longa foi lançado (extinção da Embrafilme durante o governo Collor) e discussões sobre a produção audiovisual para o público infanto-juvenil na atualidade. Críticos e pesquisadores debatem o preconceito com o cinema popular e comercial feito no Brasil através das críticas que o filme recebeu na época de seu lançamento.

“Lua de Cristal” foi produzido numa época em que registros de making of ainda não eram comuns no Brasil, o que torna a realização do documentário ainda mais importante. Através dele será resgatado um pedaço marcante da história do nosso cinema pelas palavras de quem fez e quem viu. “Lua de Cristal 30 Anos” segue em fase de produção e será disponibilizado ao público ainda esse ano. Até lá, a produção promete abastecer os fãs com conteúdo produzido especialmente para as redes sociais do filme que já estão no ar.

OS PRODUTORES

DIEGO ALEXANDRE

Jornalista com carreira voltada para o audiovisual, produziu conteúdo para o Memorial Clara Nunes, em Minas Gerais, durante dois anos. Na área de Assistência de Direção, trabalhou no longa-metragem “Introdução à Música do Sangue” e na série “Rua do Sobe e Desce, Número Que Desaparece” (Canal Brasil/Globosat), ambos dirigidos por Luiz Carlos Lacerda, além de vídeos institucionais e curtas premiados. Em 2015, o seu primeiro trabalho como produtor e diretor, o documentário “Só Para Loucos”, foi selecionado para festivais no Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais e Tocantins.

GABRIEL SILVA

Assistente e divulgador de corretores de imóveis na Century 21 da Flórida no Brasil, se aventurou pela produção audiovisual em 2018, ao realizar uma websérie comemorativa sobre os 30 anos de lançamento do filme “Super Xuxa Contra Baixo Astral” para o YouTube, alcançando ótima repercussão na mídia.

RODRIGO NICODEMO

Produtor de conteúdo multimídia com mais de dez anos de atuação no mercado audiovisual. Ampla experiência em reportagens especiais, entretenimento e reality show. No Brasil, trabalhou na adaptação de formatos internacionais como “A Liga”, “Mulheres Ricas” (BAND) e “Are You The One” (MTV), além de produções brasileiras, como a série “Parques” (NatGeo) e “Quebrando o Tabu” (GNT). Recentemente, trabalhou para o reality show “The Circle Brasil”, da Netflix, além do desenvolvimento de projetos para web e pesquisa documental.

Acompanhe a produção do documentário através das redes

Facebook: http://fb.com/luadecristaldoc @luadecristaldoc
Instagram: http://Instagram.com/luadecristaldoc @luadecristaldoc

Anterior Banda Mato Seco disponibiliza seus álbuns e DVD
Próximo Bhaskar se reinventa ao lançar a inédita “Poison”