LoreniSchenkel no Café Savana


Transmutação – Nova Exposição de LoreniSchenkelno Café Savana

Transmutação é o nome da próxima exposição individual da artista plástica Loreni Schenkel, no Café Savana, com curadoria de Lourenço de Bem. O vernissage acontecerá no dia 7 de abril, a partir das 19 horas, e a exposição seguirá aberta ao público até o dia 26 deste mês.

LoreniSchenkel é sulista, descendente de família alemã, natural de Santa Rosa/RS e residente em Brasília desde 2005. Órfã de mãe aos 10 anos de idade, trabalhou desde a infância para ajudar nas despesas de casa. Casou-se jovem, assumiu a administração de dois restaurantes e os cuidados do filho, em Florianópolis Santa Catarina, após transferência de seu esposo para Brasília. Lá, numa fase extenua de sua vida, ela teve seus primeiros contatos com a arte ao conhecer obras de diversos artistas clássicos, e logo iniciou seus primeiros estudos de pintura, o que ela considera ter sido a redenção de sua existência.

Em Brasília, LoreniSchenkel se ingressou na Oficina de Arte da 104 Norte, com a artista Ângela Zarat Brito; fez cursos de pinturas e esculturas com o artista Lourenço de Bem e recentemente formou-se em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), onde investiu cada minuto de seu tempo em pesquisas e experimentos. Participou de dezenas exposições coletivas, foi convidada para expor individualmente no Jardim Botânico este ano, em homenagem ao mês da mulher.

Aos olhos de Lourenço de Bem – instrutor de artes que acompanha o trabalho de Loreni já há 2 anos, e curador desta exposição – “LoreniSchenkel se apropria de algumas imagens, recortes de revistas, fotografias, etc. e descaracteriza essas figuras que são ícones do momento. Unindo figuras totalmente desconexas, ela consegue dar outras conotações e criar situações adversas que sugerem muita sensualidade e sexualidade e acabam discutindo essa característica volúpia das relações atuais, de muita liberdade em relação aos antigos modelos sociais propostos que visavam definir ou dar papel aos dois únicos gêneros. O gênero não cabe mais dentro daquelas regras delimitadas: o homem se veste assim e se comporta assim […]”. Para Lourenço de Bem, há visualmente um viés jornalístico no trabalho de Loreni, com percepção deste momento.

Segundo Loreni, seu processo de criação consiste em “experimentar a criatividade que surge quando permitimos os erros e partimos para dentro de nosso universo. Há uma força intrínseca dentro de nosso inconsciente que não acessamos, é como mergulhar em águas escuras e encontrar grandes tesouros, porém será necessário ter nossos aliados de poder ao nosso lado e também enfrentarmos as feras que habitam esse espaço. É não ter medo do fazer. É estar aberto a entrega total para novas experiências”.
Loreni explica que seu diferencial está na forma de produzir sem ter um modelo. “Um erro é um acerto em busca de um problema diferente. Simplesmente lido com o desconhecido. Observo a natureza e percebo suas imperfeições. Aceito-as no meu processo criativo também, o que me deixa leve para continuar a pesquisa com diversos materiais, paleta de cores e novos formatos. O processo é a ideia de chegar a algum lugar sem me importar com o resultado. É lidar com o que tenho. É administrar o medo que, às vezes, paralisa, outras vezes, lança-me à análise de riscos, sobretudo, quando pergunto: o que é de fato o problema?”

Embora a temática central da artista esteja interligada ao universo feminino e a sexualidade, Transmutação aponta, nesta série, dois aspectos importantes:
1) o reaproveitamento das imagens descartadas tão rapidamente em nossos dias. Explica Loreni: “Hoje temos uma revista cara, com impressão de boa qualidade que estampa rostos famosos e charmosos que amanhã estarão no lixo. Sem percebemos, repetimos esse comportamento constantemente em nossa vida. As imagens são descartadas rapidamente, não há retenção em nosso olhar”;

2) o redirecionamento dessas imagens, onde LoreniSchenkel busca mostrar em seu trabalho plástico “uma nova leitura dessas imagens, que são descartadas de modo tão efêmero em nossos dias. Por isso, trago a temática da mudança de comportamentos e a integração de novas formas de conduta em nossa sociedade. Para isso, abordo a mutação dos corpos e dos materiais. Com as imagens, crio narrativas na pintura. Na escultura, uso o papel descartado. Uso esse descarte para fazer a massa doe papel maché; para elaborar as obras, que também abordam a temática do feminino”.

Por fim, LoreniSchenkel desfecha dizendo que: “Quanto mais eu trabalho, mais cresce minha intuição. É o contato com o que faço que me faz perceber como resolver o problema que eu crio. Busco ajuda na literatura. O espaço começa a se tornar mais apreensível retrospectivamente. No meu trabalho de colagem com pintura, busco trazer à luz a releitura de ícones tradicionais da pintura clássica, como El Grecco, para o mundo contemporâneo. Quero reimprimir uma nova leitura das imagens, tão rapidamente descartadas no mundo de hoje”.

Artista: LoreniSchenkel
Curador: Lourenço de Bem
Evento: Transmutação – Exposição individual de pinturas e esculturas
Local: Café Savana, 116 Norte, Bloco A, Loja 4, Brasília/DF.
Vernissage: 7 de abril, às 19 horas
Classificação etária: Livre
Entrada: Franca
Exposição: Aberta ao público
Período de exposição aberta ao público: 7 a 26 de abril, nos horários de funcionamento do café.
Designer, fotos, textos e Assessoria de Imprensa: Renata Coli (9161-8838)
Informações: (61) 8403 9262 – (61) 8303 9262 – E-mail: loreniartista@gmail.com – lorenit.com
Telefone do Café Savana: (61) 3347-9403.

Anterior Domingo Sem Chuva
Próximo Festa de Rua Circênicos