1º Lobodança  faz parte das atividades da 11ª. edição do Lobo Fest – Festival Internacional de Filmes

Narrativas do corpo. Corpos em movimento que contam histórias. Histórias captadas por lentes e olhares diversos registrados em formato de curtas-metragem e que integram a programação do 1º Lobodança, mostra internacional de vídeo-dança, que estréia dia 18 de outubro no Centro de Dança do DF, às 20h, com entrada franca.

Na seleção, feita pela curadoria da mostra, oito filmes de nacionalidades diversas, que trazem o corpo como elemento central. O 1º Lobodança segue nos meses de novembro e dezembro com programação a ser divulgada em breve.

O 1º Lobodança – Mostra internacional de vídeo-dança faz parte das atividades da 11ª. edição do Lobofest – Festival Internacional de Filmes. O festival tem como principal desafio apresentar ao público um abrangente panorama global do Cinema do Presente com foco na pluralidade audiovisual – especialmente curtas-metragens, formato que o consagrou, e diversidade de temas.

Sempre em sintonia com o que há de mais novo e com foco na experimentação, o festival traz como grande diferencial em sua 11ª edição a total descentralização, trazendo todas as suas atividades para o Núcleo Bandeirante, cidade do Distrito Federal conhecida como o local onde Brasília nasceu em sua essência.
A programação será composta por três seleções inéditas internacionais e duas seleções nacionais, totalizando cerca de aproximadamente 100 filmes a serem exibidos no Museu Vivo da Memória Candanga e na Capelinha da Metropolitana.

Programação 

  • Ama, Julie Gautier – 6:37 minutos , Itália
    Julie Gautier dança por seis minutos em uma piscina, a 40 metros de profundidade, sem nenhum tipo de equipamento para respirar.
  • Valtari, Christian Larson – 10:21 minutos, Reino Unido
    Uma história sobre encontrar alguém.
  • Shunpo, Steven Briand – 4:23 minutos, França
    E se pudéssemos escapar da nossa rotina diária por um momento?
  • Pantsula, Alex Tiernan – 2:43 minutos – Afríca do sul
    Parte dança, parte estilo de vida, pantsula originou-se na era do apartheid em Joanesburgo e continua a ser um elemento definidor da cultura do distrito sul-africano.
  • No, I don’t want to dance, andrea vinciguerra – 2:39 minutos – Reino Unido
    Filme stop motion para aumentar a conscientização social sobre como a dança perigosa pode ser mortal.
  • Foot Dance, Nel Shelby Productions, 1:37 minutos – EUA
    Uma mini dança vídeo.
  • Continuum, Natalianne Boucher – 9:15 minutos – França
    Um continuum é um conjunto. Um todo. Seus elementos estão ligados em um espaço-tempo.
  • Étereas – Daniela Villanueva and Mara Soler – 4 minutos – México.
    Uma combinação de arte performática e animação usando uma dançarina e um bambolê em movimento para revelar linhas e formas impressionantes
  • Fiákra – Legado, Drinho – 2 minutos – Brasil
    Legado é uma música, escrita por Fiákra e Paulo Amaro, que fala sobre o respeito ao trabalho árduo que cada um exerce em seu ofício.

Serviço

1º Lobodança – Mostra Internacional de vídeo-dança

Centro de Dança do Distrito Federal
(SAN, quadra 1 Via N2 – Brasília DF)
Entrada gratuita

Anterior Film&Arts transmite uma das principais óperas do século
Próximo Preta Gil é atração na primeira edição do Station Festival Brasil