Canção tem como foco servir de alento e levar mensagem às pessoas que necessitam de auxilio

“Virou tão comum julgar alguém mesmo sem saber que ela é”, essa é a maior lição que a nova música do cantor niteroiense LIPE lançou nessa última quinta-feira, dia 10 de novembro. O mês escolhido para o lançamento foi em colaboração com o movimento do setembro amarelo, que assim como o outubro rosa, também traz um significado vital para a vida de muitas pessoas.

Já disponível em todas as plataformas musicais, “Sua Essência” retrata a realidade em que vivemos em sua forma mais pura, procurando alertar e servir de auxílio a todas aquelas pessoas que a cada 45 segundos estão dispostas a cometerem suicídio, interrompendo suas próprias vidas, por motivos que muitas vezes a atenção de um amigo, parente, ou outras pessoas podem ajudar a evita-lo.

Ao invés de adotar o clima animado e cinematográfico que os videoclipes com o estilo do cantor têm, como “Meu Chão”, “Sou Teu Fã” e “Lábios de Mel”, o cantor de 22 anos, aproveitou o engajamento de sua carreira e a sua essência para fornecer ao seu público uma ferramenta de apoio, criando uma música motivacional, como retrata o refrão: ‘já passou o temporal, a chuva cai sobre ti, e Deus te secou e te acolheu”.

O Brasil já se tornou o 8º país onde mais se comete suicídios e a mensagem passada pelo cantor vem como um alento para que todas as pessoas possam olhar para si mesmas e perceberem que sua própria essência é capaz de cura-las. Com uma duração de aproximadamente quatro minutos, a composição feita pelo próprio cantor traz diversas lições de reflexões baseadas no comportamento dos indivíduos da sociedade, além de fazer referência ao caso famoso do motoboy que foi vítima de racismo em Valinhos-SP.

Para Lipe, a música é muito importante nesse momento e ressalta uma responsabilidade que a gente têm em relação as outras pessoas: “É um mês para a gente relembrar o que devemos fazer em todos os outros meses. É um mês que lembra a gente de que existe uma causa importante demais para não darmos valor. A cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio, isso é um número muito bizarro. Essa música, ela vem como uma ferramenta, como um auxílio para as pessoas que precisam de ajuda. A gente tem que ter responsabilidade nesse momento, e tem profissionais que trabalham com isso, e essa música é só mais uma ferramenta para ajudar quem realmente precisa. Ela fala um pouco de se encontrar novamente, de achar sua essência que alguém escondeu, e achar o valor que a gente realmente tem. ”

Feedback:

Nos comentários do vídeo em suas primeiras horas de lançamento no canal oficial do cantor no YouTube, já é possível perceber como o efeito da mensagem teve sucesso em atingir as almas das pessoas que a ouvem, sendo denominada como “hino” por uma das seguidoras. Em outro comentário, é possível ler agradecimentos, onde fãs relataram que a canção propõe uma sensação de paz e luz. E por fim, uma mensagem que define exatamente a missão que o artista tem com essa homenagem ao combate ao suicídio: “Essa música vai ajudar muitas pessoas. O mundo precisa conhece-la”.

Produção:

A produção, mixagem e masterização musical ficou por conta de Luciano King, os arranjos e fundo musical feito em piano ficou por conta de Suelen Cristini. O clipe foi montado com a participação de diversas pessoas e de padrões variados para enfatizar exatamente o clima e as lições que a canção tem para passar ao público, contou com a edição da dupla James Andrade e Wanderson Chan, que também leva crédito na direção do vídeo, além de Iara Machado, que cuidou da fotografia still.

Ficha Técnica:

Música: Sua Essência
Intérprete : Lipe
Composição: Lipe
Produção Musical: Luciano King
Arranjo: Suelen Cristini
Piano: Suelen Cristini
Mixagem e Masterização: Luciano King
Direção e Fotografia: Wanderson Chan
Fotografia Still: Iara Machado
Edição: James Andrade e Wanderson Chan
Roteiro: Ramon Calvo
Agradecimento especial ao Caio, Julia, Hiego, Pedrinho, Jéssica e Irene!
Uma realização de 4CTRL

Anterior O martelo das Feiticeiras é relançado pela Rosa dos Tempos
Próximo Sobre os desafios da música durante a quarentena