AQUI TEM DIVERSÃO

Linhas Cruzadas e o comunismo no Brasil, assista agora!

Luiz Felipe Pondé e Thaís Oyama | Foto: Divulgação

Linhas Cruzadas debateu sobre comunismo no Brasil na última quinta (1/7), na TV Cultura. Apresentada por Thaís Oyama e Luiz Felipe Pondé, a edição também conta com depoimentos de Guilherme Boulos e Eugênio Bucci

O Linhas Cruzadas da quinta-feira (1/7) debateu o que é ser comunista no Brasil. Thaís Oyama e Luiz Felipe Pondé buscam entender qual é o perfil do comunista atual e desmistificar preconceitos contra essa ideologia. A edição inédita vai ao ar na TV Cultura, a partir das 22h.

Com depoimentos de Guilherme Boulos e Eugênio Bucci, os apresentadores fazem um apanhado histórico das diferentes linhas de pensamento do comunismo e diferenciam o que é colocado como estereótipo do que é um símbolo de luta concreta. “O comunismo tal como a gente vê em qualquer definição histórica é o regime que estava calcado numa análise da história pelo Marx de que o capitalismo chegaria a um momento entrópico em que ele iria entrar em crise”, afirma Pondé.

Do começo ao fim, a edição segue com questionamentos do que significa se intitular comunista. E ainda, resgata exemplos de regimes que já seguiram ou seguem essa ideologia atualmente e como isso se encaixa, ou não, na realidade capitalista. “Ser comunista hoje significa combater a desigualdade social e ampliar mecanismos de representação, incluir diversidades que normalmente são excluídas, inclusive do mercado de trabalho. Portanto, não implica a ideia de você destruir a privatização dos meios de produção” finaliza o filósofo.

Realização: Fundação Padre Anchieta, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal – Lei de Incentivo à Cultura

ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE FINANCIAMENTO COLETIVO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 
BOTÃO DE APOIO 

Sair da versão mobile