O pernambucano Lello Bezerra acaba de lançar o disco “Desde Até Então”. O trabalho, totalmente instrumental, conta com 7 faixas que andam de mãos dadas com o clássico e contemporâneo.

Inspirando-se em sua própria vida e na daqueles que o cercam, artista faz música por via das cores, símbolos, ícones e tempos cronológicos que comunicam, de forma particular, a real mensagem nas entrelinhas.

Entre as principais referências do projeto, Luiz Gonzaga, Mestre Galdino, Henry Miller, José Condé, os amigos de Lello ou, como ele mesmo diria, “eu e você”.

Lello Bezerra

Guitarrista, compositor, improvisador e arte educador, Lello caminha pelos inúmeros gêneros rítmicos brasileiros adquiridos de forma orgânica. Isso é conseqüência do ambiente de grande volume informativo e influenciador que é Pernambuco, sua terra natal. Sempre se relacionou com sons buscando, elementando e gerando unidade por via da guitarra.

Migrando para São Paulo, onde é radicado, teve passagem por conservatórios e experiências em vários contextos e linguagens musicais. Em Paris, encontrou e se apaixonou pelo ritual da improvisação livre, que fez do seu traço atual um algo único na guitarra apoiada por micromodular, loopers, objetos e performances figurando o som.

Insere essa estética em palcos, ateliês de arte educação com apoio em psicologia, estúdios, companhias de dança, trilhas para teatro e cinema.

Atualmente trabalha nos projetos Siba (seu mentor artístico), Mestre Anderson Miguel, Coletivo-Selo Disgrama, Núcleo de Artes e Comunicação Hospital Albert Einstein, Alessandra Leão, Karina Burh, Isaar e Beto Montag. Desenvolve também seu trabalho autoral ao lado do baterista e produtor musical Sergio Machado (PLIM) com previsão de lançamento ainda para o fim desse ano.

Das bandas de pífanos ao poli-idiomático, o traço do Lello segue de mãos dadas entre a tradição e o contemporâneo.

Anterior Os filmes infantis que ainda serão lançados em 2019
Próximo Parceria traz Chapolin e a Turma do Chaves ao Bob’s