O cantor paulistano Lê Coelho apresenta seu novo trabalho com participação especial da atriz e cantora Cida Moreira e produção de Ivan Gomes

O cantautor e instrumentista paulistano apresenta seu terceiro trabalho solo, intitulado de Atravessia em todas as plataformas digitais. Ouça aqui.

“É o terceiro disco que assino solo, embora meus trabalhos sejam sempre uma construção que conta com a colaboração coletiva de muita gente. Ele vem depois de Tuvalu lançado em 2014 e Imirim de 2017. Tenho também dois discos lançados com Os Urubus Malandros e dois com a Banda de Argila”.

Atravessia é composto por 3 faixas: “O tempo e o Vento”, “Ausência” e “Atravessia”. A escolha do formato EP se deu na quarentena. “Em determinado momento, ainda antes de iniciar a pandemia, percebi que meu desejo era lançar um trabalho que falasse sobre os rituais da vida, sobre os pequenos ciclos que vamos acumulando durante nossa passagem por aqui, ciclos que de acordo com minha percepção possuem sempre um mesmo mecanismo de angústia, que desencadeia em dor e depois cura”, explica.

“A cura de que falo não é uma solução, não é um remédio, é o fechamento de um ciclo, é o momento em que sentimos que devemos ou podemos encerrar um desses ciclos e nos abrirmos para um novo ciclo. Assim, decidi por essas três canções, cada uma representando um desses momentos: angústia, dor e cura. E assim inventei essa palavra Atravessia, para dar nome ao disco. Dessa forma, não fazia sentido incluir outras músicas no disco, esse disco é assim, três canções que representam essa história que eu queria representar.”

Seu último projeto antes deste novo trabalho foi o show ‘Boleros e Outras Delícias’, com Cida Moreira cantando Sérgio Sampaio, espetáculo que foi realizado no teatro do Sesc Pompéia e com turnê interrompida pela pandemia. Desse projeto surgiu a parceria com a atriz e cantora Cida Moreira, que em Atravessia canta “Ausência”.

Ivan Gomes assina a produção. “Há 15 anos é meu parceiro, que chamei para integrar os Benditos Malditos, em que tocavamos apenas músicas de Itamar Assumpção”. De 2009 pra cá, Ivan toca baixo e faz produção de todos os discos de Lê. Em ‘Boleros e Outras Delícias’ fazem juntos a direção musical do espetáculo. A bateria das faixas é de Pedro Prado, a flauta é de Marina Bastos e a percussão é de Ricardo Braga. Todas as bases foram gravadas juntas: baixo, bateria e percussão. O violão e a guitarra foram registrados posteriormente.

Sobre Lê Coelho

Lê Coelho é paulistano, começou a estudar violão aos 10 anos na escola do bairro do Imirim, Zona Norte da cidade, onde nasceu e cresceu. Depois seguiu os estudos com professores particulares, ingressou na antiga ULM e passou pelo CLAM até entrar no curso de música popular da UNICAMP em 2003 onde formou a Banda de Argila e começou a apresentar suas próprias canções. Esse trabalho gerou dois discos lançados em 2007 (Banda de Argila) e 2010 (Refrão). Em 2009 formou o grupo também autoral Lê Coelho e Os Urubus Malandros com uma releitura estética do samba, e desse trabalho surgiram mais dois discos em 2012 (Um Samba a Mais) e 2017 (Urubus Malandros). Sua carreira solo tem início em 2014 com o disco “Tuvalu” e segue com “Imirim” em 2017 e o mais recente trabalho “Atravessia” de 2021.

Ainda em relação ao trabalho autoral, é compositor de “Gota por Gota”, música que ficou conhecida na voz do então cantor Lineker, hoje São Yantó, e em 2020 lançou o single “Garoa” em parceria com o compositor Márcio Lugó. Nesses trabalhos autorais, circulou por diversos estados e cidades brasileiras, se apresentando em renomados espaços culturais, realizou turnês internacionais e teve participações, parcerias e dividiu palco com artistas como Zeca Baleiro, Cida Moreira, Rômulo Fróes, Vânia Bastos, Otto, Ully Costa, Poeta Arruda, Tata Fernandes, Verônica Ferriani, Maria Beraldo, Lívia Nestrovski, Luísa Toller, Marina Bastos, Inés Terra, banda 1/2 de 3 ou 4… Realiza outros projetos paralelos ao seu trabalho autoral, com destaque para “Benditos Malditos” e “Boleros e Outras Delícias”, o primeiro com releituras da obra de Itamar Assumpção na voz de Guga Costa e o segundo dedicado ao repertório de Sérgio Sampaio na voz de Cida Moreira, atuando como instrumentista, arranjador e diretor musical.

Faixa a faixa

“O tempo e o Vento”

As canções foram criadas em períodos diferentes, todas iniciadas antes da pandemia. “O Tempo e o Vento” foi uma canção que começou a surgir depois de um show do Radiohead que fui no Allianz parque, não me lembro mais o ano, e demorei um tempão para fechar ela. Não sou grande conhecedor de Radiohead, e havia escutado muito pouco até ir ao show. Fiquei muito impressionado positivamente. Acho que de alguma maneira aquele show influenciou essa música musicalmente. Música e letra nasceram juntas. A música fala sobre a angústia de alguém que se encontra em um lugar de incertezas, de dúvidas sobre a vida, sobre seu destino… alguém que se sente frágil diante da própria vida e dos próprios sentimentos e futuro.

“Ausência”

Nasceu de um exercício de uma aula que estava fazendo na pós-graduação em canção popular na faculdade santa marcelina com Lilian Jacoto, que tratava sobre a relação de música e letra na canção. Escrevi primeiro a letra, e depois musiquei. A letra fala sobre a dor, especificamente a dor gerada pela ausência, e tentei criar uma relação intrínseca entre o contorno melódico e a letra, guardando a revelação do sentido metafórico da letra para o final da música. Como a Lilian deu uma sugestão e um colega que fazia a aula também deu outra, ambos se tornaram parceiros na música. Foi um caso bem particular de maneira de compor para mim.

“Atravessia”

Surgiu quando estava na Bahia. Fiz uma viagem à bahia sozinho no início de 2020. Estive em lugares sozinho, praias sem ninguém, e tudo aquilo me levou a muitas reflexões sobre a vida e o destino. Sobre nosso não poder de decidir sobre os acontecimentos da própria vida, às surpresas inesperadas que a vida nos impõem, e sobre a beleza e sabedoria de lidar com isso, como isso é por si só um processo de cura. Essa música finalizei depois, durante a pandemia.

Ficha técnica

FAIXAS

O Tempo e O Vento (Lê Coelho)
Ausência (Lilian Jacoto/Jan Balanco/Lê Coelho)
Participação Especial: Cida Moreira
Atravessia (Lê Coelho)

FICHA TÉCNICA

Produção Musical: Ivan Gomes
Masterização: Andre Mais
Mixagem: Murilo Gil
Arranjos de Base: Ivan Gomes, Lê Coelho, Pedro Prado e Ricardo Braga
Arranjo de Flautas: Ivan Gomes

Flautas: Marina Bastos
Bateria (faixas 1 e 3): Pedro Prado
Percussão (faixas 1 e 3): Ricardo Braga
Baixo Elétrico (faixas 1 e 3) e Baixo Acústico (faixa 2): Ivan Gomes: Ivan Gomes
Voz (faixa 2): Cida Moreira
Guitarra (faixas 1 e 3), Voz e Violão de Nylon: Lê Coelho
Coro (faixa 3): Bruna Alimonda (Abacaxepa), Bruna Lucchesi, Carol Cavesso (Abacaxepa), Ivan Gomes, Marina Bastos, Paulo Ohana e Rodrigo Mancusi (Abacaxepa)

Gravado entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021 no Estúdio Lebuá por Ivan Gomes e João Antunes.

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE FINANCIAMENTO COLETIVO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 👇
BOTÃO DE APOIO 👇

Anterior Meu Amigo Charlie Brown 🎭 na Mostra de Teatro On-Line
Próximo O Pescador e a Estrela, 🎭 musical infantil no CCBB Brasília