Prestes a lançar o seu terceiro disco, Juliana Cortes anuncia o single Três com participação especial de Lemoskine. Canção também conta com composição de Estrela Leminski e será lançada nesta sexta, 23

Juliana Cortes está nos preparativos finais para o lançamento do Álbum 3, seu terceiro disco, que será revelado dia 30 de outubro. Mas antes, nesta sexta, 23, ela lança Três, faixa em parceria com Rodrigo Lemos, o Lemoskine, compositor curitibano que fez parte do time que participou da residência proposta por Juliana, que reuniu importantes nomes da música de Curitiba e Porto Alegre, como o produtor do disco, Ian Ramil. Faça o pre save aqui.

Três nasceu de uma provocação de Juliana durante a residência quanto ao tema “mãe”. Inspirados pelo tema, Lemoskine, Estrela Leminski e Zelito compuseram uma das canções mais comoventes do disco. Assista aqui ao teaser da música, que traz imagens deste período experienciado durante quatro dias, em Abril de 2019. “Três é a música mais doce do álbum. Decidi lançá-la porque, depois de 7 meses em distanciamento social, estou tomada de saudade da minha família. Esta música me faz viajar de volta pra casa”, comenta Juliana.

LINKS

Facebook
Instagram
YouTube
Spotify
Deezer
Tidal
Apple Music

SOBRE JULIANA CORTES

Natural de Curitiba, Juliana Cortes é formada em música popular, especialista em Canção e mestranda em Música. Desde 2012, quando apresentou o espetáculo Juliana Cortes convida Vitor Ramil, realizado em Curitiba, se alinhou a movimentos estéticos do sul do país e regiões de fronteira, como Argentina, Paraguai e Uruguai.

Em 2013, lançou o CD Invento com obras de autores contemporâneos, misturando a poética do sul com um instrumental jazzístico formado por baixo, guitarra e percussão. O disco, produzido pelo curitibano Fred Teixeira, foi citado como destaque por críticos de Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro e pré-selecionado ao Prêmio da Música Brasileira. Invento tem participação de Vitor Ramil, autor de três faixas do álbum.

O segundo disco solo, Gris, trouxe a sonoridade e geografia urbana das cidades onde o CD foi gravado: Curitiba, São Paulo e Buenos Aires. Complementar ao Invento e, ainda na tradição da MPB, Gris apresentou dez canções inéditas, reforçando a poética sulista e trazendo obras escritas por Arrigo Barnabé, Luiz Tatit e Dante Ozzetti – produtor musical do álbum -, além da participação especial de Paulinho Moska, Antônio Loureiro e o trio argentino Diego Schissi, Juan Pablo Navarro e Santiago Segret.

Gris foi eleito o 6º melhor álbum da MPB de 2016 no Japão, pela Revista LATINA e no ano seguinte, Juliana Cortes recebeu o troféu Catavento de melhor cantora – melhores da música independente – pela Rádio e TV Cultura, de São Paulo. Paralelo ao lançamento do álbum, a artista lançou o clipe/curta O Mal com direção e animação de Carlon Hardt.

Desde seus primeiros passos na direção de uma carreira solo, Juliana já passou por palcos de Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Minas Gerais e países como Argentina, Uruguai, Peru e Coreia do Sul. Em suas escolhas de repertório, a artista dá um zoom em poemas musicados, autores contemporâneos e canções experimentais, a fim trazer o novo para sua performance e conduzir o ouvinte para além do mesmo.

Anterior Millie Bobby Brown em entrevista exclusiva para a ELLE Brasil
Próximo Final do Top Cufa será em formato televisivo