Adaptação de Jards Macalé para “Canto I”, de Ezra Pound, antecede disco previsto para o primeiro trimestre de 2019

Após vinte anos sem apresentar músicas inéditas, Jards Macalé lançou nesta sexta-feira, 11 de janeiro, o single “Trevas”, indicando com precisão os rumos que o artista seguiu para o novo álbum. O lançamento dele está previsto para o primeiro trimestre de 2019.

Canção construída a partir de um poema “Canto I”, de Ezra Pound, em tradução de Augusto de Campos, Décio Pignatari e Haroldo de Campos, a música revela o Brasil que o músico e compositor vê diante de si. “Chegamos ao limite da água mais funda”, canta Jards em um de seus versos que se repete ao longo da construção sonora marcada pelos violões de Jards e Kiko Dinucci, além do baixo de Pedro Dantas, bateria de Thomas Harres e guitarra de Guilherme Held.

“Trevas é sobre o Brasil do futuro. Chegamos ao poço mais fundo, chegamos ao limite, chegamos ao Brasil de 2019”, comenta Jards. A música conta com direção musical do próprio Macalé, direção artística de Rômulo Fróes e produção musical de Kiko Dinucci e Thomas Harres. O álbum é o primeiro a reunir composições inéditas desde 1998, quando o artista lançou “O Q Eu Faço É Música”. Além de Capinam, parceiro de longa, o trabalho reúne novos nomes do cenário brasileiro como Ava Rocha, Tim Bernardes, Clima, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes e Thomas Harres.

O projeto foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2017, com o apoio da Lei Rouanet. “O patrocínio do programa a este novo trabalho do Jards reverencia todo o legado que o artista ajudou a constuir para música brasileira e aposta no que a ousadia dele é capaz de impulsionar. Jards tem o dom de instigar, provocar e inquietar. E essa injeção de vida é mais do que necessária para este momento e para o futuro da música”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.

O texto duro e desesperançoso da canção, que caminha às vezes sobre, às vezes sob uma densa convenção rítmica aberta pela guitarra de Held, e entrecortada pela bateria de Thomas, chega, na segunda parte da música – essa de acento mais lírico e melódico – a uma certeira síntese, com o literal afogamento do canto de Macalé.

Processo criativo

Em um estágio já avançado do processo do álbum, já quase no fim da gravação do disco, enquanto todos escutavam a gravação de “Trevas”, Jards saiu da sala sem avisar para buscar na lanchonete do estúdio uma bacia com água.

Retornou ao modo Macalé de ser, bradando ao técnico: “Microfone essa bacia, porque eu vou testar uma coisa!”. E sem ter comunicado a ninguém sua ideia, enfiou a cara na bacia com água e cantou a letra da segunda parte, além de fazer um improviso vocal durante o solo de guitarra.

“A mim, pessoalmente, se tivesse me contado sua ideia, certamente teria tentado dissuadi-lo de realizá-la, por talvez achar redundante e ingênua a tentativa de emular o trecho da letra que diz ‘Chegamos ao limite da água mais funda’ debaixo d’água”, comenta Rômulo Fróes, diretor artístico do trabalho. “Mas o fato é que esse procedimento não apenas injetou um veneno que Macalé tanto queria para essa parte, como criou novas metáforas nada ingênuas. Foi mais um dos muitos ensinamentos que Macalé nos presenteou de modo nada didático, durante todo o processo do disco. Coisas de um artista verdadeiro!”, completa o diretor.

Letra

Sol rumo ao sono
Sombras sobre o oceano
Cidades cobertas de névoa espessa
Jamais devassada
Por brilho de sol

Chegamos ao Limite da água mais funda
Levanto o olhar pro céu
Chegamos ao Limite da água mais funda
Levanto o olhar pro céu

Trevas, trevas
Treva a mais negra sobre homens tristes
Trevas, trevas
Treva a mais negra sobre homens tristes

Me calo

Ficha Técnica

Voz e violão: Jards Macalé
Violão: Kiko Dinucci
Baixo: Pedro Dantas
Bateria: Thomas Harres
Guitarra: Guilherme Held

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes.

O último edital do programa neste ano selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente para a rica e pulsante produção musical brasileira.

Anterior Lucy Rose divulga “Conversation”, primeiro single do novo álbum
Próximo Gesaffelstein & The Weeknd lançam novo single "Lost in the Fire"