Espetáculo parte de estudos científicos, dados históricos e fenômenos culturais para perguntar o que é ser gay nos dias de hoje. A transmissão é gratuita, pelo Facebook da Casa 1

O que é ser viado nos dias de hoje? Essa é a questão que o Coletivo Inominável pergunta em seu espetáculo Inhai – Coisa de Viado. A partir da leitura de estudos de neurocientistas, da análise de fenômenos culturais, de dados históricos e de depoimentos pessoais de homens gays, os atores do Coletivo Inominável refletem sobre identidade, homofobia, amor, conquistas e sobre o que foi ser gay no passado, como é ser hoje e qual futuro queremos.

O espetáculo, que estreou em 2019 e segue na ativa desde então, se baseia nos preceitos do teatro documentário, onde notícias e fatos reais são compartilhados com a plateia e se tornam material para a cena. Assim,fatos recentes como a atual pandemia do coronavirus e a representatividade nas eleições municipais são inseridos na dramaturgia atualizada e mantém a peça relevante.

Para a apresentação do dia 02 de dezembro, o espetáculo será transmitido ao vivo pelo Facebook da Casa 1, importante casa de acolhida e centro cultural LGBT, e contará com a participação remota de atores convidados, interpretação em LIBRAS e participação ativa do público, via chat e live do Instagram do Coletivo, entre outras surpresas.

O elenco é composto por Alexia Twister, apresentadora do novo reality show da Netflix, Nasce uma Rainha, Cayke Scalioni e Fernando Pivotto, e a direção é de Cezar Zabell, que assina a dramaturgia com Pivotto.

Sobre Inhai – Coisa de Viado

Na ativa desde 2019, o espetáculo já passou por diversos teatros, participou de festivais e foi indicado a Melhor Espetáculo pelo Guia Gay de São Paulo (2019), além de acumular críticas positivas em suas temporadas. Atualmente adaptado às necessidades sanitárias do combate ao coronavirus, o espetáculo se apresenta de modo online, investigando a tecnologia como possibilidade estética e de interação com o espectador.

Sobre o Coletivo Inominável

Fundado em 2015, o Coletivo Inominável se mantém ininterruptamente na investigação de como diluir as fronteiras entre palco e plateia e como incluir o espectador em cena. Em seu repertório constam os trabalhos “A Gaivota ” (2015) e “A Casa de Bernarda Alba” (2017), além de “Inhai – Coisa de Viado” (2019) e “A Festa de Aniversário Para O Amigo Que Foi Para Dublin” (2020), ambas ainda na ativa.

INHAI – COISA DE VIADO

Dia 02 de dezembro, às 20h30
Transmissão pelo https://www.facebook.com/casaum
Sessão com interpretação em LIBRAS.

Sinopse

A partir de dados históricos, fenômenos culturais, estudos científicos, depoimentos pessoais e contribuições da plateia, o Coletivo Inominável pergunta o que é ser gay nos dias de hoje.
Direção Cezar Zabell
Assistência de direção Fernando Pivotto
Dramaturgia Fernando Pivotto e Cezar Zabell
Elenco Alexia Twister, Cayke Scallioni e Fernando Pivotto
Ator convidado Wes Machado
Intérprete de LIBRAS Lucas Araújo
Siga a peça nas redes: https://www.instagram.com/inhaicoisadeviado/
Instagram do Coletivo Inominável: https://www.instagram.com/coletivoinominavel/

Anterior Café Filosófico CPFL encerra lives “fica em casa”
Próximo ‘A Sogra Perfeita’, protagonizado por Cacau Protásio