GRAVAÇÃO DE DVD – COMO É?


Parece simples e até óbvio, mas para um artista gravar um DVD há uma série de exigências, normas e protocolos a serem seguidos. Recentemente, o cantor Milsinho se arriscou na gravação de um DVD ao vivo na rua! Acompanhe o passo-a-passo dessa produção cultural.

O DVD DO POVO, projeto do cantor e compositor Milsinho, começou muito antes do show que culminaria no registo em vídeo. O início mesmo é na escrita do projeto cultural, que, no caso dele, foi por meio do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria do Estado de Cultura do Distrito Federal, conhecido carinhosamente como FAC. Escrever o projeto leva aí mais ou menos um mês, pois tudo deve estar previsto… desde o elenco que irá compor a obra (músicos convidados, instrumentistas, técnicos e produtores) até a planilha financeira, que vai organizar como será a distribuição de cachês e pagamentos de funcionários diretos.

Na fase da escrita, é necessário levar em consideração a trajetória e desejo do cantor e compositor (e proponente) de resgatar suas raízes e fazer um samba na rua, em sua cidade, com a participação de amigos de carreira e família. Sonho e vida real precisam aprender a dividir espaço nas linhas que constituem os Objetos das Propostas enviadas para concorrência pública de Edital Cultural.

Mas como produzir uma gravação de DVD ao vivo na rua ?

Primeiro, é preciso ter uma boa equipe de produção e, no caso da gravação do DVD DO POVO, essa equipe estava bem representada. Ana Paula Martins e Lucélia Freire encabeçaram essa parada para dar um toque de agilidade, criatividade e simpatia à toda linha executora do projeto.

cantor Milsinho
Foto: Nathalia Britto

Obviamente não é nada fácil, a começar por fechar a agenda de todos os músicos, convidados e local de gravação. Neste projeto, por exemplo, a produção teve que se readequar diariamente por causa das mudanças de datas, troca de profissionais, readequação orçamentária e a boa e velha burocracia. De acordo com Ana Paula Martins, a produção contou com cerca de 30 pessoas que trabalharam diretamente nos bastidores e 10 pessoas que prestaram serviços indiretos para que o evento acontecesse.

Realizados os agendamentos, é hora de dar cara ao projeto. Para isso, entra em cena a equipe de COMUNICAÇÃO, que vai do Designer Gráfico (que criará a identidade visual da proposta) e o Assessor de Imprensa (que fará tanto a identidade visual quanto a notícia sobre a gravação correr pela imprensa tradicional (sites, jornais e televisão) e alternativa (redes sociais e visualizações on line).

O show foi planejado para ser apresentado num ponto bastante popular de Taguatinga (cidade do DF). Aí vem a fase de documentações e serviços necessários. Só pra você ter uma ideia, são eles:
ALVARÁ DA ADMINISTRAÇÃO DE TAGUATINGA (para informar o que é que tá pegando);

VARA DE INFÂNCIA E DA JUVENTUDE (para garantir que não há trabalho infantil ou que criança pode acompanhar e assistir);

ECAD (por mais que algumas músicas sejam autorais e pertençam ao cantor que tá gravando o DVD, é necessário que o órgão saiba disso pra não cobrar taxa sobre música alheia);

AUTORIZAÇÃO DE EMPRESA CADASTRADA NO SLU PARA RECOLHIMENTO DE LIXO (é isso… acabou o show, o espaço deve estar limpinho no dia seguinte);

CONTRATAÇÃO DE BRIGADISTAS E SEGURANÇAS (evento grande precisa ter mesmo, pois se alguém tiver alguma indisposição dentro da arena, o socorro deve ser imediato);

PASSAGEM ÁEREA E HOSPEDAGEM PARA CONVIDADOS (com artistas convidados esse é um expediente sempre recorrente);

LOCAÇÃO DE ESTÚDIO DE PARA ENSAIO E GRAVAÇÃO (até porque não é só chegar e pegar o microfone);

CONTRATAÇÃO DE TENDAS, ALAMBRANDOS, BANHEIROS QUIMÍCOS E PALCO (porque sim…);

CONTRATAÇÃO DE MÚSICOS DA BANDA BASE PARA ENSAIO E GRAVAÇÃO;

CONTRAÇÃO DE EMPRESA PARA GRAVAÇÃO E EDIÇÃO DE VÍDEO (o show gravado é só o primeiro passo pra transformar isso em DVD meses depois);

CONTRATAÇÃO DE FOTÓGRAFO PARA REGISTRO DO EVENTO;

COMPRA DE FIGURINO PARA BANDA;

DEFINIÇÃO DE CRONOGRAMA PARA EQUIPE;

ACOMPANHAMENTO DE DOCUMENTAÇÃO JUNTO AO FAC – FUNDO DE APOIO A CULTURA.

Viu?! O trabalho é gigantesco, mesmo que seja pra um evento que acontece numa só tarde. Após a edição, aprovação de conteúdo, queima de mídia, padronização de material gerado (capas, encartes) e distribuição, o projeto ainda continua na fase de pós-produção, que consiste em fechar relatórios, pagamentos, contratos e avaliação de equipe.

Mesmo que pareça muita coisa, não se pode negar que estamos falando de produção cultural, onde um clima descontraído, animado e empreendedor toma conta das fases toda de trabalho. A gravação do DVD de Milsinho representa, dentro do contexto do Distrito Federal, uma conquista imensa da música local, reafirmando cada vez mais a força dos artistas e dos produtores, bem como a participação do público, que gosta de ver um produto de qualidade. Diria até mais… a gravação do DVD DO POVO só confirma que vale a pena divulgar e lutar pela produção artística desse nosso querido quadradinho.

Anterior Jennifer Garner fala sobre a preparação para seu papel
Próximo Torneios vão agitar o Museu do Videogame Itinerante