Apontada pelos críticos como uma das maiores atrizes brasileiras, detentora de alguns dos mais importantes prêmios do teatro e do cinema do País, Grace Passô é uma estrela indiscutível

Aos 38 anos de idade, ele atua, dirige, escreve textos para teatro, protagoniza longas-metragens premiados nacional e internacionalmente, e começa a participar de projetos na televisão. Mas Grace Passô é, acima de tudo, uma artista de personalidade, com pensamento luminoso a respeito de alguns dos principais temas contemporâneos.

É o que ficará evidente na participação dela como convidada do quinto encontro do ciclo de debates DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS, que vem sendo realizado no Teatro dos Bancários. A artista sobe ao palco na próxima terça-feira, dia 23 de abril, a partir das 19h, para falar sobre “Raízes do Brasil – Herança africana, tradições e novas expressões: uma perspectiva da produção artística negra no Brasil atual”. A entrada é franca.

Grace Passô nasceu em Pirapora, Minas Gerais, em 1980. Depois de estudar na Fundação Clóvis Salgado, fundou, em 2004, o grupo Espanca!, que cumpriu trajetória de grande sucesso até 2014, apresentando espetáculos como Amores Surdos, Por Elise e Congresso Internacional do Medo. Em 2016, protagonizou o monólogo Vaga Carne, que foi transformado em filme, sendo convidado a abrir a Mostra de Cinema de Tiradentes esse ano. A peça conquistou o Prêmio Shell de dramaturgia, o Prêmio Questão de Crítica de melhor espetáculo e o Prêmio Cesgranrio de melhor texto.

A atriz vem conquistando prêmios ao longo da carreira. E eles não param de chegar. Grace Passô já conquistou o Prêmio Shell, o APCA – Grande Prêmio da Crítica, APTR, Prêmio Leda Maria Martins, Prêmio Bravo! Prime de Cultura, Festival do Rio, Festival de Brasília (Troféu Candango de melhor atriz por ‘Temporada’), Medalha da Inconfidência, melhor atriz do Festival de Turim (também pelo filme ‘Temporada’) e menção honrosa no Festival Caminhos do Cinema Português, em Coimbra, pelo trabalho no filme ‘Praça Paris’, de Lúcia Murat. Um dos próximos projetos, o filme ‘No coração do mundo’, dirigido por Gabriel e Maurílio Martins, tem estreia prevista pra 2019.

Como dramaturga, tem obras publicadas em português, francês, italiano, espanhol, mandarim, inglês e polonês. Seus textos são encenados por diferentes companhias no Brasil. Neles, Grace Passô aborda temas como intolerância, machismo e racismo. Ex-cronista do jornal O Tempo, de Belo Horizonte, a artista afirmou, em entrevista ao jornal, que “é impossível falar sobre um corpo sem pensar sobre sua raça”.

E declarou: “Eu não tenho um centímetro de dúvida de que a maior potência da arte brasileira hoje vem em das produções em torno de pautas e artistas negras e negros”. Sua fala sobre “Raízes do Brasil – Herança africana, tradições e novas expressões: uma perspectiva da produção artística negra no Brasil atual” promete oferecer visões diferenciadas e reveladoras sobre o racismo.

DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS tem direção geral de Nilson Rodrigues. Os encontros seguem até o dia 14 de maio, sempre às terças-feiras, a partir das 19h, no Teatro dos Bancários (entrequadra 314/315 sul), com entrada franca. Os próximos convidados incluem o doutor em filosofia e professor da USP, Pablo Ortellado falando sobre “Internet e Tecnologia: informação e desinformação na era digital”; o poeta, escritor e agitador cultural Sérgio Vaz discorrendo sobre “A literatura que vem da periferia”; e o escritor, jornalista e tradutor Eduardo Bueno abordando “A crônica e o humor na sociedade brasileira”.

PROGRAMAÇÃO

RAÍZES DO BRASIL – HERANÇA AFRICANA, TRADIÇÕES E NOVAS EXPRESSÕES: UMA PERSPECTIVA DA PRODUÇÃO ARTÍSTICA NEGRA NO BRASIL ATUAL

O legado, a tradição e as novas expressões da cultura negra na literatura brasileira. Um olhar sobre a produção literária dos negros no Brasil e suas novas expressões.

Palestrante: GRACE PASSÔ – Atriz, diretora e dramaturga brasileira, formada pelo Centro de Formação Artística Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte/MG. Foi cronista do jornal O Tempo e possui publicações de textos teatrais em português, francês, italiano, espanhol, mandarim, inglês e polonês.

Data: 23 de abril
Local: Teatro dos Bancários, EQS 314/315 – Bloco A
Horário: 19h

Serviço

DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS
Local: Teatro dos Bancários (EQS 314/315)
Datas: até 14 de maio, sempre às terças-feiras
Horário: 19h
ENTRADA FRANCA (distribuição de senhas meia hora antes do início da palestra)
Capacidade do teatro: 473 lugares

Anterior Manotopia: Como o Vale do Silício tornou-se um clubinho machista
Próximo Pare para ouvir, Malía que lança seu primeiro álbum, "Escuta"