O quinteto de metal Australiano Future Static compartilha seu novo single, “The Hourglass”. Liminality, álbum de estreia do Future Static estará disponível dia 24 de Novembro de 2023 pelo selo Wild Thing Records

O quinteto de metal de Melbourne Future Static compartilhou o vídeo clipe e novo single de “The Hourglass”, retirado do seu aguardado álbum de estreia, Liminality, que será lançado dia 24 de novembro de 2023 através do selo Wild Thing Records. A divulgação dessa faixa mais recente ocorreu imediatamente após o término da primeira turnê internacional da banda, em apoio aos colegas de gravadora The Omnific, pela Europa e pelo Reino Unido.

Numa visão mais abrangente, “The Hourglass” é uma grande mostra das camadas de influência prog que estão impregnadas no cerne do DNA da Future Static. Abrindo com preenchimentos de bateria estrondosos antes de fazer a transição para um duplo golpe de guitarras afinadas e gritos viscerais, a faixa continua a tecer riffs incríveis, um refrão impactante e uma atmosfera emocional arejada em um pacote poderoso. Originalmente intitulada ‘Ruin//Reclaim’, “The Hourglass” gradualmente passa a ser marcada por uma energia “destrutiva” antes de abraçar um som mais leve após a ponte, com o restante do fluxo lírico da faixa se ligando ao instrumental harmonioso.

“Tematicamente, essa música descreve o que se sente quando você diz algo que é situacionalmente irritante ou doloroso e, em vez de deixá-lo passar, você tenta consertá-lo com mais palavras desnecessárias e mal interpretadas, causando uma profunda reflexão sobre as próprias intenções e, em alguns casos, mudanças na vida de forma negativa”, explica a banda. “Escrever “The Hourglass” foi um verdadeiro esforço de grupo. Os versos, escritos principalmente por Amariah, falam metaforicamente sobre cavar um buraco de maneira generalizada, compilando várias situações causadas por esse comportamento cíclico, enquanto Kira escreveu o refrão descrevendo uma situação específica em que esse ‘vômito verbal’ foi induzido.”

O vídeo musical do single, dirigido por Colin Jeffs, que está de volta, mergulha na metáfora de “cavar um buraco para si mesmo” com sua história e visuais, retratando a expressão no contexto de cavar a própria sepultura. Interpoladas entre as imagens dos personagens da história (representados por Amariah Cook (vocal principal) e Kira Neil (baixo/vocal de apoio) da Future Static), estão imagens do relógio de areia titular, que paira ameaçadoramente enquanto a areia dentro dele continua a escorrer incessantemente.

Definido como “o espaço entre” ou “um estado de vazio”, a decisão da Future Static de nomear seu álbum de estreia de Liminality é poeticamente apropriada. A adição da nova vocalista Amariah Cook em 2021 marcou um ponto de transição claro entre seus primeiros dias e a Future Static que conhecemos agora. Isso dito, a banda não é estranha aos efeitos do limbo, seja um processo de gravação e escrita em isolamento induzido pela pandemia ou um desafio de dois anos de turnês domésticas e internacionais em apoio a Jinjer (UKR) e Voyager (AU) antes de lançar um álbum completo. É nesses momentos marcados pela ausência e estase que a Future Static floresce. A partir da separação física, a banda se comprometeu a tornar Liminality o trabalho mais colaborativo possível, com as vozes musicais únicas de todos os membros presentes em uma declaração artística coesa e, ao mesmo tempo, diversificada. Usando as camadas incessantes de guitarras líderes inspiradoras, riffs pesados e efervescentes, acompanhados por melodias vocais únicas e empilhadas pelas quais a Future Static é conhecida, o álbum flui por uma combinação de diferentes inspirações de gênero e temas.

Pré-Salvar/Pré-venda do álbum de estreia da Future Static, Liminality, AQUI.

Future Static – Liminality
(Wild Thing Records)

Faixas:

01. Chemical Lobotomy
02. Venenosa
03. Roach Queen
04. Icarus
05. …And The Walls That Were Built
06. Waves
07. Iliad [Featuring Luke Taylor of Heartline]
08. Will I?
09. The Hourglass
10. Halfway Across The World
11. Plated Gold [Featuring Sean Harmanis of Make Them Suffer]
12. The Embers

Sobre Future Static:

O quinteto de Melbourne, Future Static cria uma emocionante síntese de música alternativa, melódica e progressiva para moldar um tipo único de música pesada emocional, diferente de qualquer outra. Os singles de estreia da nova cantora Amariah Cook, “Waves” (2021) e “Venenosa” (2022), além do eletrizante cover de metalcore de “Gasolina” (2023), receberam aclamação crítica significativa, conquistando um forte apoio de veículos como SiriusXM (EUA), New Noise Magazine (EUA), Triple J (AU), ABC Rage (AU), Kerrang! (Reino Unido), Metal Hammer (Reino Unido), 89FM – A Rádio Rock (BR), Wikimetal (BR), Spotify e Apple Music. O grupo acaba de concluir sua primeira excursão internacional pela Europa e pelo Reino Unido, incluindo datas com The Omnific, além de apresentações nos lendários festivais alemães Reeperbahn e Euroblast. Em casa, a banda embarcou em uma maratona de dois anos de turnês domésticas muito requisitadas, incluindo o suporte a atrações como os superastros do metal progressivo Jinjer (UKR) e a banda Voyager, que participou da Eurovision, além de serem escolhidos como convidados especiais em shows com Destroy Rebuild Until God Shows (EUA), RedHook, Caligula’s Horse, Windwaker, Circles e Bloom. Eles também se apresentaram em grandes festivais como Knight & Day, UNIFY Forever, UNIFY – Off The Record, CVLTFEST da Alpha Wolf e BIGSOUND.

**”Não subestime esta banda – ousamos dizer que você ouvirá muito mais no futuro.”**
– Rich Hobson, MetalHammer (Reino Unido)

**”Grandes coisas estão por vir para esta banda.”**
– Alex Baker, Kerrang! Radio (Reino Unido)

**”Há um futuro gigantesco esperando por esta banda… esta banda está prestes a explodir.”**
– Rod Whitfield, Wall Of Sound (AU)

O álbum de estreia da banda, intitulado Liminality, está programado para ser lançado em 24 de novembro de 2023, pelo selo Wild Thing Records.