Thaís Oyama e Luiz Felipe Pondé debatem no Linhas Cruzadas a questão: filhos ou pets? Isso porque os brasileiros têm cada vez menos filhos e cada vez mais bichos de estimação.

O último relatório da ONU sobre a Situação da População Mundial mostrou que a taxa de fecundidade no Brasil, ou seja, filhos por mulher, diminuiu muito. Hoje é de 1,7. E na década de 60, essa média era de seis filhos. A taxa de fecundidade no Brasil também é inferior à da América Latina e do mundo. Mas quais os motivos das pessoas, em geral, e dos brasileiros, em particular, estarem tendo menos filhos?

Para Pondé, filhos se tornaram um ônus, primeiro de tudo para a mulher. À medida que a mulher se emancipa, vai tirando os filhos da frente. Ela não deixa de ter, nem todas as mulheres têm filhos, mas têm menos ou nenhum. Isso significa que vai dedicar a vida a trabalhar, estudar, fazer pós-graduação, ganhar dinheiro.

Em 2015, o cruzamento de uma pesquisa feita pelo IBGE mostrou que, pela primeira vez no Brasil, o número de famílias que cria cachorros é maior do que o número de famílias que têm crianças. De cada 100 famílias no País, 44 criam cachorros e só 36 têm crianças.

Segundo Pondé, filho é mais caro e dura muito tempo. “Ele cresce, escolhe a profissão e resolve ser livre. Aí tem filho, casa, separa, volta com o filho. Já os pets são muito mais controláveis. As pessoas amam muito, mas castram eles no segundo dia. Ou seja, eu te amo, mas não vai você me encher o saco, certo?”, comenta o filósofo.

Esses e outros aspectos do tema serão abordados no Linhas Cruzadas, da TV Cultura.

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE 👇
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Anterior Bluebagbang anuncia primeiro single de EP de estreia
Próximo Protocolo Volpone, um clássico em tempos pandêmicos