Diplomatas de Cuba, EUA e Rússia se reúnem pela primeira vez em um filme para revelar os bastidores da era Fidel Castro

Uma revolução que mudaria totalmente a história das Américas e que colocaria uma pequena ilha do Caribe entre os territórios mais disputados pelos blocos capitalista e socialista, durante a Guerra Fria. Essa história, desde a famosa batalha de Sierra Maestra — quando Che Guevara, Fidel Castro e demais guerrilheiros tomaram o poder, em 1959 — até o declínio econômico após a derrocada da União Soviética, é contada no documentário francês “Cuba, A Revolução e o Mundo”, exibido pela primeira vez no Brasil pelo Curta!, em duas partes. O filme também está disponível no Curta!On, o clube de documentários do Curta! no NOW, da NET / Claro.

A história recente de Cuba é contada, no filme, sob uma nova perspectiva: a das pessoas que tiveram um papel-chave ao longo do processo revolucionário e suas decorrências. Pela primeira vez, dirigentes, membros dos serviços de inteligência, diplomatas cubanos, norte-americanos e russos estão reunidos em um único filme para revelar os bastidores do governo de Fidel Castro.

Além dos depoimentos, o documentário exibe um vasto acervo de imagens históricas. Estão ali entrevistas, pronunciamentos, cenas de Castro e seus aliados, além de registros dos conflitos e do cotidiano dos moradores da ilha.

A primeira parte do filme, dirigida por Mick Gold, fala da própria revolução e de seus primeiros desdobramentos. Entre eles, a instabilidade política e econômica que se seguiu à reação dos Estados Unidos e a resistência cubana às tentativas de invasão por parte daquele país. E, enfim, o respaldo soviético, tratado como uma forte interferência das potências orientais no Ocidente, em plena Guerra Fria.

O filme mostra também o impacto e a influência em outros países, como a Argélia, onde também houve uma guerrilha contra a dominação francesa. “Cuba, com apenas 110 mil km², se comporta quase como uma grande potência”, conta Oleg Darusenkov, diplomata soviético que viveu em Havana, um dos entrevistados do filme.

No final da primeira parte, a derrocada do bloco soviético, no início dos anos 1990, marca também o fim de seu respaldo financeiro e militar a Cuba. Abrem-se, então, as portas para a continuação do filme, a ser exibida na semana seguinte, sobre a realidade de escassez de recursos em uma ilha mais desenvolvida que as vizinhas, mas que vive ainda sob embargo econômico. A estreia é na Sexta da Sociedade, 16 de abril, às 23h.

Inspirado no livro de Frei Betto, ‘Batismo de Sangue’ relembra horrores da ditadura militar

A triste história de Frei Tito de Alencar e outros três frades dominicanos, que se envolvem na luta contra a ditadura militar no Brasil, é o tema de “Batismo de Sangue”. O filme, dirigido por Helvécio Ratton (“Menino Maluquinho”, 1995; “Amor & Cia”, 1998), é inspirado no livro homônimo de Frei Betto, interpretado no filme pelo ator Daniel de Oliveira.

Após se envolverem com Carlos Marighella, um dos principais guerrilheiros na resistência contra a ditadura, os quatro religiosos são presos e barbaramente torturados por Sergio Fleury — vivido por Cássio Gabus Mendes —, delegado que se tornara famoso por sua crueldade com os presidiários do DOPS. As sessões de tortura são revividas nas fortes cenas do filme, que mostram o terror dos porões da repressão. Ainda que os quatro tenham sobrevivido, as marcas físicas e psicológicas permanecem e culminam no suicídio de Tito (interpretado por Caio Blat), já no exílio. A exibição é na Quarta do Cinema, 14 de abril, às 20h30.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 12/04

21h – “A Sede do Peixe” (Documentário)

Em dezembro de 1997, no Rio de Janeiro, o compositor mineiro Milton Nascimento juntou amigos e parceiros de carreira no especial “A Sede do Peixe”. Participaram da produção os convidados Caetano Veloso, Alcione, Skank, Nana Caymmi e Gilberto Gil. Dirigida por Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, a obra é uma relíquia cultural, retratando momentos inesquecíveis, muitas vezes descontraídos, na carreira de um dos maiores ícones da música popular brasileira. Direção: Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda. Duração: 55 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 13 de abril, terça-feira, às 01h e 15h; 14 de abril, quarta-feira, às 09h; 18 de abril, sábado, às 16h45.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 13/04

22h20 – “Sonhos em Movimento” (Documentário)

Em 2008, poucos meses antes de sua morte, a coreógrafa Pina Bausch decide fazer uma nova montagem de seu famoso espetáculo “Kontakthof”. Em vez de colocar em cena os bailarinos da sua famosa companhia, ela escolhe trabalhar com adolescentes de 14 a 18 anos das escolas da cidade de Wuppertal, que nunca tinham subido em um palco nem dançado antes. O documentário é sobre a história desses jovens e a dança. Direção: Anne Linsel e Rainer Hoffmann. Classificação: Livre. Horários alternativos: 14 de abril, quarta-feira, às 02h20 e às 16h20; 15 de abril, quinta-feira, às 10h20; 17 de abril, sábado, às 22h20; 18 de abril, domingo, às 13h.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 14/04

20h30 – “Batismo de Sangue” (Ficção)

Baseado em fatos reais, o filme conta a participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar no final dos anos 1960. Movidos por ideais cristãos, eles decidem apoiar a luta armada e são presos e torturados. Um deles, Frei Tito, é mandado para o exílio na França, onde, atormentado pelas imagens de seus carrascos, comete suicídio. O roteiro é uma adaptação do livro de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti. Diretor: Helvécio Ratton. Duração: 110 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 15 de março, quinta-feira, às 0h30 e 14h30; 16 de abril, sexta-feira, às 8h30; 18 de abril, domingo, às 14h35.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 15/04

21h40 – “José e Pilar” (Documentário)

Relato sobre a vida do escritor José Saramago e sua mulher, Pilar del Rio, enquanto ele terminava um de seus livros em sua casa na Espanha. O cotidiano simples e amoroso do casal é retratado de forma singela e direta. Direção: Miguel Gonçalves Mendes. Duração: 127 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de abril, sexta-feira, à 01h40 e às 15h40; 19 de agosto, segunda-feira, às 01h e às 09h40.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 16/04

23h – “Cuba, a Revolução e o Mundo — Parte 1: Os Combatentes” (Minissérie documental em dois episódios)

Ao longo de 50 anos de relações internacionais, em que Cuba se volta sucessivamente para o Oriente e depois para o Ocidente e desempenha um papel importante na África e na América Latina, surge uma história pouco conhecida do século XX, uma história contada pela primeira vez por suas testemunhas diretas. Diretora: Mick Gold. Duração: 59 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 17 de abril, sábado, às 03h e às 10h45; 18 de abril, domingo, às 18h; 19 de abril, segunda-feira, 17h; 20 de abril, terça-feira, às 11h.

Sábado –17/04

21h45 – “Bethânia Bem de Perto – A Propósito de um Show” (Documentário)

Maria Bethânia entrou para o rol das grandes cantoras brasileiras em 1965, no show teatral “Opinião”, apresentando-se ao lado de Zé Ketti e João do Vale. O filme registra o primeiro show da cantora no Rio, realizado na boate Cangaceiro, após sua consagração como intérprete da música “Carcará”. Intercaladas aos números musicais, documenta cenas do cotidiano da cantora e encontros com Anecy Rocha, Wanda Sá, Rosinha de Valença, Silvinha Teles, Jards Macalé, entre outros. Direção: Eduardo Escorel e Júlio Bressane. Duração: 33 min. Classificação: Livre.

Domingo – 18/04

22h – “Tempo Rei” (Documentário)

O documentário acompanha a comemoração dos 30 anos de carreira de Gilberto Gil, que visita Itauçu (BA), cidade à qual não voltava desde 1951. Junto a amigos e familiares, ele conta histórias e relembra fatos marcantes de sua biografia. Dirigido por Andrucha Waddington e Lula Buarque de Hollanda, o filme traz participações especiais de Stevie Wonder, Caetano Veloso e Carlinhos Brown. Diretor: Andrucha Waddington e Lula Buarque de Hollanda. Duração: 110 min. Classificação: 12 anos.

Sobre o Grupo Curta!

O Grupo Curta! tem como missão a difusão de conteúdos audiovisuais relevantes nas áreas de artes e humanidades, sejam brasileiros ou estrangeiros, através da TV linear (canal CURTA!), de plataformas de streaming de operadoras de telecom e da internet. A curadoria de conteúdos é, portanto, o motor central do grupo e foi uma das que mais aprovaram projetos originais para financiamento da produção pelo Fundo Setorial do Audiovisual: já foram mais de 120 longas documentais e 800 episódios de 60 séries que chegam ao público em primeira mão através de suas janelas de exibição:

O canal Curta!, linear, está presente nas residências de mais de 10 milhões de assinantes de TV paga e pode ser visto nos canais 556 da NET / Claro TV, 75 da Oi TV e 664 da Vivo Fibra, além de em operadoras associadas à NeoTV;

O Curta!On, o novo clube de documentários do Curta!, no NOW da Claro / Net, conta com mais de 450 filmes e episódios de séries documentais, organizadas por temas de interesse como Música, Artes, MetaCinema, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mitologia e Religião, Sociedade e Pensamento. Há também pastas especiais com novidades – que estreiam a cada mês –, conteúdos originais exclusivos, biografias, além de uma degustação para quem ainda não é assinante do serviço.

A Tamanduá TV, plataforma marketplace aberta para qualquer internauta, já reúne mais de quatro mil conteúdos. O usuário pode alugar filmes e séries específicos ou assinar de forma econômica um dos pacotes que contêm conteúdos segmentados por área de interesse: CineBR, CineDocs, CineEuro, CurtaEducação (para professores e estudantes do Ensino Médio e Enem), MetaCinema (para aficcionados e estudantes de Cinema), entre outros. Os pacotes CineBR, CineDocs e CineEuro são disponibilizados desde 2018 como serviço de valor agregado (SVA) para perto de oito milhões de assinantes de banda larga fixa (ISP) da operadora CLARO, sem custo adicional.

As atividades do Grupo Curta! também promovem a geração de royalties para produtores audiovisuais independentes, com a exploração de seus direitos audiovisuais nas diferentes janelas de streaming. O pacotes Cines da Tamandua TV e do Curta!ON estão repassando anualmente mais de R$ 1,5 milhão de reais em royalties para os produtores dos conteúdos que difunde.

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE 👇
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Anterior Grupo p.art.ilha se reúne em nova ação em formato online
Próximo Delgres lança segundo álbum ‘4.00AM', disponível agora