17º Festival Taguá de Cinema acontece de 7 a 10 de junho. Evento gratuito reúne exibição de filmes, oficinas, debates, shows no SESC Taguatinga

Em mais uma edição, o 17º Festival Taguá de Cinema mostra sua pluralidade e irreverência com a projeção de filmes de diversos estados do país, de 7 a 10 de junho, de graça, no Teatro Paulo Autran – Sesc Taguatinga. Além de diversas mostras de cinema, a programação reúne oficinas sobre audiovisual, acessibilidade cultural e diferentes formas de produção coletiva e sob a perspectiva indígena, shows imperdíveis e debates com os realizadores dos filmes exibidos. Para assistir aos filmes da Mostra Competitiva e curtir os shows, basta retirar o ingresso aqui. Acompanhem a programação completa nas redes sociais @festivaltagua.

Mostra competitiva

24 filmes de curta-metragem foram selecionados com ajuda da curadoria e do público para serem exibidos na telona, de 7 a 10 de junho, sempre às 20h. Confira a programação:

7 de junho

Levante Pela Terra, de Marcelo Cuhexê (DF);
Jussara, de Camila Cordeiro Ribeiro (BA);
Ela Mora Logo Ali, de Rafael Rogante e Fabiano Barros (RO);
Nunca Me Perguntaram Nada, de Gabrielle Souza (RJ);
Último Domingo, de Renan Barbosa Brandão e Joana Claude (RJ);
A Nossa Festa Já Vai Começar, de Cadu Marques (MA).

8 de junho

No Mar, de Clara Linhart e Rodrigo Garcia (RJ);
Manual da Pós-Verdade, de Thiago Foresti (DF);
Silêncio dos Homens, de Gabriel Duarte (SP);
Big Bang, de Carlos Segundo (MG);
Filhos da Noite, de Henrique Arruda (PE);
Busca, de Rodrigo Sousa & Sousa (SP);
Xixiá – Mestre Dos Cânticos Fulni-Ô, de Hugo Fulni-Ô (PE).

9 de junho

Grito do Coletivo, de Vinícius de Oliveira e Thiago Nunes (DF);
Morro do Cemitério, de Rodrigo R. Meireles (MG);
Nossos Passos Seguirão os Seus… de Uilton Oliveira (RJ);
Nem O Mar Tem Tanta Água, de Mayara Valentim (PB);
Uma Paciência Selvagem Me Trouxe Até Aqui, de Érica Sarmet (RJ).

10 de junho

Rua Dinorá, de Natália Maia e Samuel Brasileiro (CE);
Ana Rúbia, de Diego Baraldi e Íris Alves Lacerda (MT);
Mergulho, de Marton Olympio e Anderson Jesus (SP);
Um Transe De Dez Milésimos De Segundos, de Jamile Cazumbá (BA);
Nossa Mãe Era Atriz, de André Novais Oliveira e Renato Novaes (MG);
Quebra Panela, de Rafael Anaroli (PE).

Premiação

Os filmes participantes da Mostra Competitiva concorrerão a quatro prêmios em dinheiro, sendo três deles no valor de R$ 2.500 para cada uma das três obras escolhidas pelo Júri Oficial do Festival e um prêmio no valor de R$1 mil para o filme escolhido pelo Júri Popular.

Música é vida

Para deixar o festival ainda mais colorido e cheio de vida, a programação musical é ampla e terá shows com Sambadeiras de Roda, Mato Seco, Gaivota Naves, Margaridas e Os Cachorros das Cachorras. Discotecagem com DJ Savana, DJ e VJ Gerson Deveras e DJ Karla Testa.

Esse ano, o Festival Taguá também celebrou uma parceria com o projeto DF-instrumental-FEST, que partilha sua programação com o público no dia 10 de junho, trazendo shows de Iara Gomes, Aiure, Duo Alvenaria, Esdras Nogueira, Passo Largo. Com apresentações de talentos musicais locais e nacionais, o DF-instrumental-FEST percorre seis cidades sob a proposta de democratizar o acesso à música instrumental brasileira, ocupando espaços públicos e centros culturais de boa circulação.

Para assistir aos shows, é necessário retirar o ingresso aqui.

Festival mirim

A criançada também tem seu espaço garantido com a mostra de curtas infantis, apresentações de teatro e mímica de Miquéias Paz, nos dias 8 e 9 de junho, a partir das 9h30. Além de muita diversão no Parque DiverSom com direito a picolés para refrescar o calor brasiliense.

Mostra Azul

No Festival Taguá a acessibilidade e inclusão são certas! E como cinema é arte para todos, pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) terão acesso à Mostra Azul, que acontece no dia 8, às 15h. Com luz e som adaptados para o público, essa sessão de cinema única irá proporcionar uma experiência mais agradável. Haverá monitores qualificados para oferecer suporte e atender às necessidades das famílias presentes.

Mão na massa!

Além de vasta programação, o festival ainda oferece oficinas com profissionais para introdução de assuntos como produção de podcast, cinema indígena, expressão por meio do bordado livre, cultura acessível e produção coletiva de audiovisual. As aulas são destinadas a cineastas e entusiastas que gostam de aprender. A participação é mediante inscrições, e podem ser realizadas em https://www.festivaltaguatinga.com.br//oficinas.html

No dia 7 de junho às 14h acontece a Oficina de Produção de Podcast com Marina Mara, a super mestra de cerimônias do festival. Os participantes irão aprender que o podcast pode ser mais um produto de desdobramento de um filme, por exemplo e colocar a mão na massa para aprender a gravar, editar e publicar.

No dia 8, de 15h às 17h30 é a vez da Oficina Imersão para Incorporar Virtualidades com Carol Berger. Durante duas horas e meia, o público é levado a um processo que o conduz através de diferentes linguagens e aguça seus sentidos: o toque de objetos, a voz, a escrita, a dança, entre outros. No final do processo, os participantes terão os sentidos preparados para mergulhar no rito proposto pelo filme Virtual Ritual, criado com tecnologia imersiva (assistido com óculos e headset para a amplitude de 360०), onde seis personagens avatares inspirados nos fenômenos da natureza os conduzem por 12 minutos a explorarem a relação de seu corpo com o meio ambiente.

Também no dia 8, acontece a Oficina Viés Ideológico, de 17h às 19h com o Coletivo Linhas da Resistência que ensinará técnicas do bordado livre para as pessoas que se sintam estimuladas a bordar bandeiras, faixas, lenços e produtos que reflitam seu viés ideológico, como forma de expressão política para a conquista de um mundo melhor. Quem tiver uma cadeira de praia ou banco portátil pode levar, para melhor se acomodar ao espaço. O material será disponibilizado na hora da aula.

No dia 9 de junho, o público pode participar da Masterclass: o Fazer Coletivo do Cinema Indígena, de 14h às 18h. O premiado cineasta Takumã Kuikuro apresenta o fazer coletivo do cinema indígena, baseado nas formas tradicionais de organização de suas comunidades, permeado por contextos de adversidade ou vulnerabilidade a que estão submetidos os povos originários do Brasil, e que tem como princípio fundamental garantir a manutenção da vida e de seus modos de existência.

No dia 9 acontece a Oficina Cultura Acessível – Construções Possíveis, às 15h, com Rita Louzeiro presidente da Associação Brasileira por Ação por Direitos das Pessoas Autistas (Abraça). O público participante compreenderá os conceitos de Deficiência e Acessibilidade como conceitos técnicos, por meio de aula expositiva e dialogada, com avaliação de situações com questionamentos sobre tais conceitos.

E para fechar a programação, no dia 10, de 14h às 18h é a vez do Minicurso Dinâmica Labcine – Realização Coletiva de Audiovisual, com Weslley Oliveira que compartilha a experiência da Labcine Filmes, produtora e distribuidora de jovens realizadores do Piauí e Maranhão. Em aula, os alunos terão a oportunidade de conhecer a Dinâmica Labcine, método de realização coletiva desenvolvido e consolidado a partir da experimentação.

Programação

Quarta-feira, 7 de junho

14h РOficina de Prodṳ̣o de Podcast com Marina Mara
19h РFeira, pra̤a de alimenta̤̣o e parque DiverSom
19h – DJ Savana
19h – Mostra Taguá VR
20h – Mostra Competitiva (1)
22h – Show Sambadeiras de roda
23h – Show Mato Seco

Quinta-feira, 8 de junho

9h30 – Teatro Infantil com Trevo
10h – Mostra Infantil
10h – Debate com realizadores (Competitiva 1) no Hotel Go INN
11h15 РTeatro Infantil Miqu̩ias Paz
15h – Mostra Azul
15h РOficina Imerṣo para Incorporar Virtualidades com Carol Berger
16h РDebate Especial: Lutar e Criar: Uma Alternativa para Constrṳ̣o do Poder Popular
17h – Encontro com Linhas Da Resistência e Oficina Viés Ideológico
19h РFeira, pra̤a de alimenta̤̣o e parque DiverSom
19h – DJ e VJ Gerson Deveras
19h – Mostra Taguá VR
20h – Mostra competitiva (2)
23h – Show Gaivota Naves

Sexta-feira, 9 de junho

9h30 – Teatro Infantil com Trevo
10h – Mostra Infantil
10h – Debate com realizadores (Competitiva 2) no Hotel Go INN
11h15 РTeatro Infantil Miqu̩ias Paz
14h РMaster Class com Takuṃ Kuikuro
15h РMostra Paralela Cinema de Converg̻ncia
15h – Oficina Cultura Acessível – construções possíveis com Rita Louzeiro
16h – Debate Mostra paralela
19h РFeira, pra̤a de alimenta̤̣o e parque DiverSom
19h – DJ Karla Testa
19h – Mostra Taguá VR
20h – Mostra Competitiva (3)
22h – Show Margaridas
23h – Show Os Cachorros das Cachorras

Sábado, 10 de junho

9h30 – Debate com realizadores (Competitiva 3 e 4) no Hotel Go INN
14h РMinicurso Din̢mica Labcine РRealiza̤̣o coletiva de audiovisual com Weslley Oliveira
14h – Debate Especial: Carolinas
15h РMostra Paralela Cinema de Converg̻ncia
14h – Debate Mostra paralela
16h – Debate Especial: “O Papel das Mulheres nas lutas da Classe Trabalhadora”, apresentação do Movimento Olga Benário e do 3º Encontro de Mulheres da América Latina e Caribe
17h30 – DF-instrumental-Fest Show de Iara Gomes
18h25 – DF-instrumental-Fest Show de Aiure
19h РFeira, pra̤a de alimenta̤̣o e parque DiverSom
19h15 – DF-instrumental-Fest Show de Duo Alvenaria
19h – Mostra Taguá VR
20h – Mostra Competitiva (4)
22h – DF-instrumental-Fest Show de Esdras Nogueira
23h РPremia̤̣o
23h30 – DF-instrumental-Fest Show Passo Largo

SERVIÇO

17º Festival Taguá de Cinema
Quando: De 07 a 10 de junho
Local: Teatro Paulo Autran – Sesc Taguatinga (Brasília – DF)
Acesso: gratuito
Informações: www.festivaltaguatinga.com.br