Abertura no sábado, 15, terá Maracatu Carneiro Manso (PE). Grupo Okalonam, oriundo do Cordel do Fogo Encantado, encerra programação dia 29 do Festival São Batuque

A cultura popular e de matriz africana vai ocupar ruas, centros de cultura, universidades e terreiros do Distrito Federal. O 11ª Festival São Batuque promove de 15 a 29 de setembro atividades formativas, festejos e encontros musicais com grupos locais, de outros estados e atrações internacionais.

Todo o evento tem entrada gratuita e presta homenagem a dois encantados: os Caboclos e os Boiadeiros, representantes do arquétipo sertanejo e caçador.

A abertura do festival será no dia 15, sábado, com a Festa Okê, no Centro Tradicional de Invenções Culturais, com homenagem ao Caboclo de Lança e apresentações do Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro (DF) e do Maracatu Carneiro Manso (PE). “O Caboclo de Lança é um guerreiro, de origem indígena, que anda nas matas para levar a paz e nos proteger. Um figura que nos inspira”, explica o mestre Manoel Salustiano, que vem de Pernambuco para se apresentar à frente do Maracatu Carneiro Manso.

A programação do 11º Festival São Batuque inclui ainda oficina de dança afro com Tainara Cerqueira (BA) e Ekedy Miriam (DF), oficina de percussão com Gabi Guedes (BA) e Ìdòwú Akinruli (Nigéria), homenagem ao boiadeiro com o grupo Cabula (BA), feijoada e samba com o Grupo 7 na Roda (DF).

A parte formativa terá palestra sobre Culturas de Matriz Africana e Racismo Institucional com Fabiano Santos (PE) e Maria Carolina Oliveira (PE), além vivência de Pedagogia Griô com Martinha do Coco e Luciana Meireles, ambas do DF.

“O São Batuque ocupa os locais de conhecimento e cultura para difundir suas ações. Nossos terreiros e universidades vão receber mestres, brincantes, dançarinos e músicos da cultura afrobrasileira. Um intenso intercâmbio cultural em espaços que fervem conhecimentos”, ressalta a curadora e coordenadora-geral do Festival São Batuque, Stéffanie Oliveira.

O evento é uma realização do Instituto Candango de Culturas Populares, com produção da Rosa dos Ventos Produções e fomento da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, Fundação Cultural Palmares e Ministério da Cultura.

O encerramento do festival será no dia 30 de setembro, domingo, com um grande festejo na Prainha dos Orixás. A programação inclui Encontro de Batuqueiros (DF) e apresentações de grupos como Razões Africanas (RJ), Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro (DF), Lirinha (PE) e Okalonam (PE) – grupo percussivo oriundo da formação original do Cordel do Fogo Encantado.

aqui_tem_festival_sao_batuque1
Palco da Cultura Popular, no centro de Garanhuns | Foto: Jaqueline Maia

Serviço

11ª Festival São Batuque – 2018
15 a 29 de setembro
Entrada franca
Classificação Indicativa: Livre
Realização: Instituto Candango de Culturas Populares
Produção: Rosa dos Ventos Produções
Fomento: Secretaria de Cultura do Distrito Federal
Fundação Cultural Palmares e Ministério da Cultura

Programação

15 de setembro – FESTA OKÊ! (Homenagem ao Caboclo)
Às 21h, no Centro Tradicional de Invenções Culturais
21h – Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro (DF)
22h30 – Maracatu Carneiro Manso (PE)

18 de setembro – Oficina de Dança Afro
Com Tainara Cerqueira (BA) e Ekedy Miriam (DF)
Às 10h, no Instituto Federal de Brasília
Às 19h, no Ilê Axé Opô Inle (Planaltina)

21 e 22 de setembro – Oficina de Percussão
Com Gabi Guedes (BA) e Ìdòwú Akínrúlí (NGR)

21/09, às 19h – Masterclass com Gabi Guedes e Ìdòwú Akínrúlí. na Escola de Música de Brasília (Asa Sul)

22/09, às 14h – Oficina de Percussão com Gabi Guedes e Ìdòwú Akínrúlí, no Ilê Axé Oyá Bagan (Paranoá)

23 de setembro – FESTA XETRUÁ! (Homenagem ao Boiadeiro)
Às 14h, no Ilê Axé Oyá Bagan (Paranoá)
12h: Grupo Cabula (DF)
14h: Grupo 7 na Roda (DF

25 de setembro – Vivência de Culinária
Com Mãe Neide (AL) e Chidera Ifeanyi (NGR)
Às 19h, no Restaurante Simbaz (413 Sul)

26 de setembro – Palestra: Culturas de Matriz Africana e o Racismo Institucional
Com Fabiano Santos (PE) e Maria Carolina Oliveira (PE)
Às 19h, na Tenda da Diversidade – UnB (Semana Universitária)

27 de setembro – Vivência em Pedagogia Griô
Com Martinha do Coco (DF) e Luciana Meireles (DF)
Às 19h, na Tenda da Diversidade – UnB (Semana Universitária)

29 de setembro – O FESTEJO!
A partir das 18h, na Prainha dos Orixás (Setor de Clubes Sul)
18h: Encontro de Batuqueiros com Martinha do Coco (DF)
20h: Razões Africanas (RJ)
21h: Recital: Lira – Poesia Eletrônica (PE)
23h: Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro (DF)
00h: Grupo Okalonam (PE)

Anterior Márcio Donato (4 AMIGOS) em “É pra isso que tô vivendo”
Próximo Cine Circular chega a Brazlândia neste fim de semana