VI Encontro de Palhaças de Brasília vai exaltar a graça e o poder das mulheres com muita gargalhada e discussão. Espetáculos e cabarés com ingressos a venda na bilheteria do centro cultural. Oficinas e demais atividades gratuitas

O CCBB Brasília recebe, de 10 a 14 de outubro, o Festival Palhaças do Mundo – VI Encontro de Palhaças de Brasília que chega para celebrar a graça e poder das mulheres através da palhaçaria. A CiRcA Brasilina, com duas tendas montadas nos jardins do centro cultural, abre o picadeiro para a programação comemorativa do Dia das Crianças e também do aniversário do próprio CCBB, que completa 18 anos no dia 12 de outubro.

Além de muito riso, o evento trará discussões referentes às questões de gênero no Brasil e no mundo. Para isso, o encontro contará com uma programação que inclui oficinas, espetáculos e a exibição de curtas que compõem o seriado Palhaças do Mundo , que permitirá ao público conhecer um pouco mais sobre o universo da mulher e da palhaça. Haverá ainda cabarés, que são espetáculos com curtos esquetes e que acontecem dentro da lona da CiRcA, assim como mesas redondas, discussões e debates.

Segundo a idealizadora, Manuela Castelo Branco, o objetivo do festival é encantar, mas também provocar e educar crianças e adultos, para que entendam um pouco da realidade das mulheres palhaças e das mulheres em geral.. “O Festival começou com o intuito de abrir espaços para mostrar o trabalho de palhaças em Brasília. Cada palhaça é um satélite em torno de uma poética, de um momento histórico, e de experiências pessoais e estéticas muito específicas. Por isso, o evento traz essa discussão de gênero, protagonismo feminino e mas também de diversidade”, explica.

Manuela conta que, até o século XX,havia poucas mulheres trabalhando com essa arte e que muitas dessas palhaças vinham de uma formação teatral. No entanto, há outros nichos estéticos que alimentaram a palhacaria feminina, e, de acordo com Manuela, com o passar dos anos, a classe se uniu, se fortaleceu e desenvolveu várias técnicas inovadoras de teatro e circo.”Neste contexto, há toda uma comicidade a ser desenvolvida, pesquisada e explorada pelas palhaças na concepção de novas ‘gags’, e de uma dramaturgia própria para mulheres, bem como o reconhecimento de sua arte”, completa.

Sobre a programação

Passam pelo picadeiro da Circa Brasilina, os espetáculos – Decripolou Totepou(Odília Nunes \ PE), – As Desempregadas(Maria Tavares e Julia Maia \ DF), A Coisa do Humano (Joriana Freitas \ CE), Café Buffê (Aline Marques e Eduardo D´Avila\ RS), Surpresa (Lia Motta \ GO) e As Bodas de Umbigolina (Joice Agale \ BA). E os Cabarés Palhaçísticas: Cabaré que Burla, com Nara Menezes (PE) \ Las Panamericanas (RJ), Cabaré da Nega, com Madame Froda (Ana Luiza Bellacosta / DF) e Cabaré da Buffa – que é resultando da oficina do Charme ao Chorume, com Aline Marques ( RS)

O Curta Palhaças traz a II Temporada do seriado Palhaças do Mundo, dirigido por Manuela Castelo Branco, a palhaça Matusquella. Um seriado documental, composto de 12 episódios por temporada, e que mapeia poeticamente o universo de palhaças espalhadas pelo globo, com foco em palhaças brasileiras, mas com episódios contando histórias de palhaças que vivem e trabalham no exterior.

Dentro da programação do festival, espaço para diálogo e ideias. Na Roda de Cuidado e Auto Cuidado entre Palhaças, comandada por Cleudes Pessoa , roda de conversa, reflexão, práticas de cuidado, autocuidado e de cura, na qual palhaças se encontram para trocarem e se apoiarem, num espaço nutridor, baseado na sororidade e no cuidado.

Ainda nas atividades do Palhaças em Tese, sempre após a exibição do Curta Palhaças, haverá um debate diário com a presença de pesquisadoras brasileiras. Na abertura a diretora do seriado Palhaças no Mundo, Manuela Castelo Branco debate e lança a II Temporado do seriado. Depois vem o Lançamento do livro As Tintas do Riso, com a presença da autora Nayara Homem. O livro resulta de pesquisa como maquiadora e palhaça, e da série de entrevistas realizadas com 45 palhaças e palhaços da Bahia, vindos de circos itinerantes, grupos e artistas independestes. Um raio X sobre a maquiagem dentro desse recorte. Por fim, leitura dramatizada de A Máscara e a Sombra: L’Arte della Cortigiana, escrito e interpretado por Joice Aglae Brondani, pós-doutora em Artes Cênicas e professora da UFBA. A leitura recupera documentos e aspectos históricos relacionados ao surgimento da palhaçaria feminina combinada a um estudo sobre comicidade e gênero.

Ainda dentro do ciclo de ideias, Palhaças Em Rede promove roda de conversa sobre a Rede Internacional de Palhaças, com Nara Menezes, integrante da secretaria de articulação do movimento. Uma abordagem histórica e iconográfica sobre a atuação e movimentação dessa rede que já articula artistas de todas as regiões do país. Nara Menezes é palhaça, pesquisadora da comicidade feminina, e produz o Festival PalhaçAria, Festival internacional de mulheres palhaças, que é bianual e acontece no Recife.

E tem até momento para meditar. Na atividade, Palhaças Pela Paz, uma invasão de palhaças realizam uma poética e inspiradora meditação coletiva guiada por Thais Kuri, com práticas do Tai Chi Chuan misturadas a práticas e reflexões ligadas ao Sagrado Feminino.

O Festival Palhaças do Mundo é uma realização do Centro Cultural Banco do Brasil e Circa Brasil com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) e do Banco do Brasil.

Serviço

Festival Palhaças do Mundo
De 10 a 14 de outubro
Espetáculos e cabarés
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Demais atividades gratuitas
CiRcA Brasilina – Jardins do CCBB
Centro Cultural Banco do Brasil – DF
Endereço: SCES Trecho 2 – Brasília/DF Tel.: 61 3108-7600

Programação

Espetáculos e cabarés com ingressos a venda na bilheteria do centro cultural
Oficinas e demais atividades gratuitas
Todas as atividades são realizadas nas tendas da CiRcA Brasília, montada nos jardins do CCBB

Quarta, 10 de outubro

9h00\12h00 – Oficina : Do Charme ao Chorume (Aline Marques) / gratuito
19h00\21h00 – Roda de Cuidado e Auto Cuidado entre Palhaças – Cleudes Pessoa (DF)/gratuito

Quinta, 11 de outubro

9h00\ 12h00 – Oficina: Do Charme ao Chorume (Aline Marques \ RS) / gratuito
18h30 – Curta Palhaças: Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco \ DF) / gratuito
19h00\ 20h30 – Palhaças em Tese: Bate-papo sobre o Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco\ DF) / gratuito
20h30 – Curta Palhaças: Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco\ DF) / gratuito
21h00 – Cabaré que Burla (Mestres de Cerimônia: Nara Menezes \ PE e Las Panamericanas \ RJ)

Sexta, 12 de outubro

9h00\ 12h00 – Oficina: Do Charme ao Chorume (Aline Marques \ RS) / gratuito
10h00\ 11h00 – Palhaças pela Paz – (Thais Kuri \ DF) / gratuito
16h00\ 17h00 – Decripolou Totepou (Odília Nunes \ PE)
17h00\ 18h30 – Palhaças em Tese: Lançamento do livro As Tintas do Riso (Nayara Homem \ BA) / gratuito
18h30: Curta Palhaças – Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco \DF ) / gratuito
19h00 \ 20h00 – As Desempregadas (Maria Tavares e Julia Maia \ DF)
20h30 – Curta Palhaças: Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco\ DF) / gratuito
21h00 – Cabaré da Nega (Mestres de Cerimônia: Ana Luiza Bellacosta \ DF)

Sábado, 13 de outubro

9h00\ 12h00 – Oficina: Do Charme ao Chorume (Aline Marques \ RS) / gratuito
16h00\ 17h00 – A Coisa do Humano (Joriana Freitas \ CE)
17h00\ 18h30 – Palhaças em Tese: A Máscara e a Sombra: L’ARTE DELLA CORTIGIANA (Joice Aglae \ BA) / gratuito
18h30: Curta Palhaças – Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco \DF) / gratuito
19h00 \ 20h00 – Café Buffê (Aline Marques e Eduardo D´Avila\ RS)
20h00\ 23h00 – Festa na Circa (confraternização)

Domingo, 14 de outubro

16h00\ 17h00 – Surpresa (Lia Motta \ GO)
17h00\ 19h00 – Palhaças em Tese: PALHAÇAS EM REDE (Nara Menezes \ RJ) / gratuito
19h00\20h00 – As Bodas de Umbigolina (Joice Agale \ BA)
20h30 – Curta Palhaças – Seriado Palhaças do Mundo (Manuela Castelo Branco\ DF) / gratuito
21h00 – Cabaré da Buffa (Mestres de Cerimônia: Aline Marques \ RS)

SOBRE AS ATIVIDADES

ESPETÁCULOS

Ingressos à venda na bilheteria do CCBB

DECRIPOLOU TOTEPOU, com Odilia Nunes (PE)

De crianças, poetas e loucos todos têm um pouco. E a oralidade popular e a expressão corporal provocam e estimulam o imaginário da criatividade. Em cena uma única personagem, Bandeira, uma palhaça contadora de estórias que carrega na sua maleta todos os sonhos e objetos que encantam a cena.

Ficha Técnica

Criação, produção, adaptação e performance: Odilia Nunes.
Figurino: Asaías Lira (Zaza)
Poesias de: Vinicius de Moraes, Olavo Bilac, Cecília Meirelles, Pedro Bandeira, Marcus Accioly, Roseane Murray e Carlos Gomide.
Classificação etária: LIVRE
Grupo: Cia Retalhos

AS DESEMPREGADAS, com Maria Tavares e Julia Maia (DF).

“As Desempregadas” levam para as ruas o tema da relação da mulher com o trabalho, o tempo, a amizade e a autonomia a partir de elementos acrobáticos, poéticos e musicais. O espetáculo reflete sobre o que é ou não considerado emprego e como o contexto social oprime os sonhos das realizações e anseios dessas duas mulheres se esbarram. Ele se apropria das tecnologias do circo para dar suporte a provocações como: O que você sabe fazer de bonito, de sincero, de legítimo e que não serve pra ganhar um emprego?

Ficha Técnica 

Intérpretes Criadoras: Maria Tavares, Julia Maia
Direção: Ana Flávia Garcia.
Classificação etária: LIVRE
Grupo: Trupe As Desempregadas

A COISA DO HUMANO, com Joriana Pontes (RN).

Porpeta é uma palhaça amorosa que vive na sua rotina entre a profissão e sua casa. O cuidado com o outro é um aspecto peculiar, talvez devido a sua profissão de veterinária. Porpeta passa o dia numa rotina admirável até que a mesma é interrompida por um celular que toca insistentemente pra tornar-se parte da sua vida. Mesmo sem ela querer, o celular aos poucos vai consumindo seu tempo e ao passar dos dias, suas ações são movidas apenas em função das redes sociais, essa Coisa do Humano que toma completamente sua atenção.

Ficha Técnica

Interpretação: Joriana Pontes
Direção: Nil Moura
Classificação etária: LIVRE
Grupo: Cia. Bagana

CAFÉ BUFFÊ, com Aline Marques e Eduardo d’Avila (RS).

O casal Celói & Linguiça, vai salvar a sua noite. Os dois bufões são como um espelho embaçado do mundo e, de forma cômica e grotesca, expõem o que há de abusivo, injusto, inacessível e banal em nossa sociedade.

Ficha Técnica

Orientação técnica da máscara bufão e atuação: Aline Marques
Direção: Aline Marques e Eduardo d’Avila
Texto: Aline Marques e Eduardo d’Avila
Trilha sonora original: André Paz
Iluminação: Gilmar Barcarol
Cenário, figurino e maquiagem: Aline Marques e Eduardo d’Avila.
Fotografia: Pulp Fotografia

Classificação etária: 16 ANOS
Grupo: Casa de Madeira

SURPRESA, com Lia Mota (GO).

Marmotta sobrevive em seu universo particular e solitário. Mas hoje é um dia especial. É hoje! Enfim o dia que tanto esperara e planejara. É hoje que uma pessoa muito importante será surpreendida por uma grande festa em homenagem à sua existência. Marmotta então se dedica aos preparativos da festa para que tudo seja perfeito.

Ficha Técnica

Direção: Lia Motta
Trilha Sonora: Gustavo Finkler
Orientação e Assistência de direção: Ana Fuchs
Dramaturgia: Lia Motta
Luz: Fabrício Teixeira
Cenografia: Luciana Delacroiax
Figurinos: Antônio Rabadan e Luciana Delacroiax
Classificação etária: LIVRE
Grupo: Cia. Palhaça Sem Lona.

AS BODAS DE UMBIGOLINA GOIABENTA (BA)
O monólogo parte da poesia e do lírico ao tratar de temas como a fragilidade do ser humano, as oscilações de seus sentimentos, a vida cotidiana, dança, morte, ressurreição e matrimônio.

Ficha Técnica

Texto, Direção e atuação: Joice Aglae
Classificação etária: LIVRE
Grupo: Cia. Buffa de Teatro.

CABARÉS PALHAÇÍSTICAS
Ingressos à venda na bilheteria do CCBB

Cabaré Palhaçísticas

Aqui palhaças e convidados podem mostrar números variados e dividir espaço harmoniosamente fazendo com que o cabaré seja um espaço privilegiado para testar números, experimentar plateia, e expor a comicidade feminina sobre outra ótica.
Nessa edição há uma concentração na temática da comicidade feminina a partir do corpo e de seus sentires, dessa maneira o cabaré recupera esses conteúdos.
Nesta edição serão três cabarés, sendo o último deles reservado para a amostragem dos resultados obtidos na oficina ministrada por Aline Marques, ou seja, um cabaré bufonesco.

Cabaré que Burla

Mestras de Cerimônia: Nara Menezes (RJ) \ Las Panamericanas (PE e RJ)
Classificação etária: 16 anos

Cabaré da Nega

Mestra de Cerimônia: Madame Froda (Ana Luiza Bellacosta)
Classificação etária: 16 anos
Cabaré da Buffa ( Cabaré resultante da oficina do Charme ao Chorume)
Mestras de Cerimônia: Celói (Aline Marques)
Classificação etária: 16 anos

OFICINAS E DIÁLOGOS

Atividades gratuitas

Do Charme ao Chorume

(atividade gratuita mediante inscrições)

A formação e o aprimoramento técnico das palhaças são uma chave para a promoção e o desenvolvimento da pesquisa sobre palhaçaria feminina, bem como a iniciação e\ou o aprimoramento de muitas nesta arte. Nos últimos anos tem crescido o interessa de estudantes e artistas, e, sobretudo palhaças, em torno da bufonaria. Assim, a oficina traz uma breve formação sobre bufonaria ministrada por Aline Marques, bufona há cerca de 15 anos. A oficina resultará num cabaré próprio que fecha a programação do festival.

Diferente do personagem, o bufão não é criado pelo ator, trata-se de uma dilatação de suas características grotescas e críticas, que revelam a sagacidade e o desejo do ator, de debochar e de fazer denúncias. Através de uma linguagem cômica, reveste-se de graça uma condição que é originalmente sombria. O bufão é um duplo do ator. Trata-se de uma descoberta pessoal e única. Durante a oficina são apontados diversos possíveis caminhos e linhas de exploração da linguagem. Cabe ao ator farejar, bebericar e tatear, fazendo uso de suas vísceras, instinto e intelecto, para lapidar e revelar, pouco a pouco, o seu bufão\bufona.

Inscrições prévias pelo email: circabrasilina@gmail.com

Quantidade de Vagas: 20

Roda de Cuidado e Auto Cuidado entre Palhaças – Cleudes Pessoa (DF)

(atividade gratuita mediante inscrições)

O ativismo é permeado por enfrentamentos e tensões cotidianas, muitas vezes deixando profundas cicatrizes em nossas almas. E a palhaçaria feminina tem muito de ativismo. Buscando promover uma roda de conversa, reflexão, práticas de cuidado, autocuidado e de cura, palhaças se encontram para trocarem e se apoiarem, num espaço nutridor, baseado na sororidade e no cuidado.

Sobre o facilitador

Cresceu e iniciou seu percurso de artivista no Ceará, mora no Cerrado desde 2010. É facilitadora de Rodas de Autocuidado e cuidado entre Mulheres Ativistas a 4 anos. Graduada em Assistência Social pela Universidade Estadual do Ceará, tem formação complementar em Terapias Integrativas, atua também como produtora cultural na Kali Coletiva Feminista – Rede de Assessoria a Projetos Culturais e Sociais. É ativista feminista na Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB).

Inscrições prévias pelo email: circabrasilina@gmail.com

Quantidade de Vagas: 20

 

Anterior Dia das crianças: Escolas se apresentarão no Pátio Brasil
Próximo Gal Costa apresenta turnê Espelho d'Água em Brasília