IV Festival Internacional de Cinema LGBTI ocupa vários endereços na capital de 23 de maio a 6 de junho

Em comemoração ao Mês Internacional do Orgulho LGBTI, e dando continuidade às ações promovidas em Brasília no âmbito do Dia Internacional Contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia, missões diplomáticas e centros culturais em Brasília organizam o IV Festival Internacional de Cinema LGBTI. A entrada é franca.

A programação deste ano inclui 17 filmes, sendo 4 documentários, em diversos idiomas, mas legendados em português, que abordam diversas questões da comunidade LGBTI. A luta pela igualdade de direitos, a descoberta da própria identidade, a aceitação da identidade pela família e sociedade ou a relação entre a tradição e os diferentes modos de amar são alguns dos temas que tratam os filmes.

A mostra contará também com a presença do Brasil. O UNAIDS (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS) apresentará o projeto “Luz, Câmera, Zero Discriminação”, realizado em São Paulo com pessoas trans e travestis; a produtora Sétima edições, que realiza todos os anos o Festival Curta Brasilia, exibirá três curtas-metragens de realizadores brasilienses que mostram a diversidade da comunidade LGBTI no DF. E por fim, contaremos com a exibição do documentário “Meu nome é Jacque”, viabilizada pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos do Brasil.

Por meio desta 4ª edição do Festival, as Embaixadas e Instituições participantes reafirmam seu compromisso com a igualdade e a dignidade de todos os seres humanos, independentemente da sua orientação sexual, identidade de gênero e/ou status sexual.

A Coordenação é assinada por Marie-France Rojas Válerie Simone – Embaixada da Bélgica e Juan Jesús Montiel Rozas – Embaixada da Espanha.

CRONOGRAMA

23 de maio a 26 junho
Instituto Cervantes
SEPS 707/907 – Conj. D – Asa Sul – CEP: 70390-078

Quinta-feira / 23 maio
19h – Cerimônia de abertura
19h30 – Carmen e Lola (Espanha, 103 min.)

Sexta-feira / 24 maio
18h30 – Uma viagem (Eslovênia, 85 min.)

Sábado / 25 maio
16h – Curta Brasília: o Distrito da diversidade, divergência e empatia (60 min.)
17h15– O pai da Itália (Itália, 93 min.)
18h50 – Riu, o que contam os cantos (Chile, 71 min.)

Domingo / 26 maio
18h00 – Meu nome é Jacque (Brasil, 72 min.)

Segunda-feira / 3 junho
19h – Roda de Conversa “Camp e a Estética LGBT na obra de Pedro Almodóvar (Instituto LGBT+, 90 min.)

29 de maio
Camões – Centro Cultural Português em Brasília
SES – Avenida das Nações, Quadra 801, Lote 2, CEP: 70402-900

Quarta-feira / 29 maio
18h30- Diamantino (Portugal, 99 min.)

30 maio a 02 junho
Aliança Francesa
SEPS 708/907 – Lote A – Asa Sul – CEP: 70390-079

Quinta-feira / 30 maio
18h30 – Luz, Câmera, Zero Discriminação · (UNAIDS, 70 min.)
20h – A Rainha da Irlanda (Irlanda, 86 min.)

Sexta-feira / 31 maio
18h30 – Laurence para sempre (Canadá, 161 min.)

Sábado / 1 junho
18h – O Terceiro Casamento (Bélgica, 100 min.)
19h40 – Desobediência (Reino Unido, 114 min.)

Domingo / 2 junho
18h – Conquistar, amar e viver intensamente (França, 132 min.)

04 a 06 de junho
Goethe-Zentrum Brasília
SEPS-EQS 707/907 – Conj. F, salas 103–137 – CEP: 70390-078

Terça-feira / 4 junho
18h30 – Refeições em família (Croácia, 50 min.)
19h30- Abraça-lo (Austrália, 127 min.)

Quarta-feira / 5 junho
18h30 – Algo a romper (Suécia, 80 min.)
20h – Afinal de contas (Dinamarca, 90 min.)

Quinta-feira / 6 junho
18h30 – Triângulo amoroso (Alemanha, 119 min.)
20h30- Garotos (Países Baixos, 78 min.)

Resumo dos filmes

Carmen e Lola [Carmen y Lola] · Dir. Arantxa Echevarria · 2018 · 103 min. · Espanha · C.I.: 12

Carmen é uma adolescente cigana que vive na periferia de Madri. Como todas as mulheres de sua comunidade, está destinada a casar e criar muitos filhos. Um dia ela conhece Lola, uma jovem cigana incomum, que sonha em entrar na universidade, faz grafite e tem ideias próprias. Carmen se aproxima de Lola e descobre um mundo novo que, inevitavelmente, vai levar as duas a serem rejeitadas por suas famílias.

23 maio · 19h30 · Instituto Cervantes

Uma viagem [Izlet] · Dir. Nejc Gazvoda · 2011 · 85 min. · Eslovênia · C.I.: 14

Três grandes amigos embarcam em uma viagem, repetindo o que fizeram no ensino médio, porém eles não são mais crianças. Gregor vai lutar na guerra do Afeganistão, Živa vai estudar no exterior, enquanto Andrej ainda se diverte com todo mundo. Mas há segredos não revelados. Será que a amizade deles poderá sobreviver?

24 maio · 18h30 · Instituto Cervantes

O pai da Itália [Il padre d’Italia] · Dir. Fabio Mollo ·2017 · 93 min. · Itália · C.I.: 14

Paolo, homossexual de 30 anos, vendedor em uma loja, rompe o relacionamento porque seu parceiro quer família e filhos. Incapaz de planejar seu próprio futuro e de assumir responsabilidades por causa de traumas passados e da infância no orfanato, Paolo vê mudar sua existência graças a Mia, uma moça no sexto mês de gravidez que, com a sua aparição e fuga, provoca o repentino amadurecimento de Paolo.

25 maio · 17h15 · Instituto Cervantes

Riu, o que contem os cantos [Riu, lo que cuentan los cantos] · Dir. Pablo Berthelon · 2017 · 71 min. · Chile · C.I.: Livre

O documentário “Riu”, que na língua Rapanui significa canção, é uma viagem espiritual e física da última herdeira da cultura ancestral de tradição oral que resta na Ilha de Páscoa (Chile). María Elena Hotus, uma idosa de 70 anos, que é compositora, intérprete e mestra de diferentes técnicas vocais, toma a decisão de deixar seu legado antes de partir. Por esta razão, indica como sua sucessora a sua filha, Aru Pate Hotus, uma transexual da ilha que deverá lutar contra os preconceitos locais. Juntas, visitarão cada espaço da ilha que possua alguma lenda importante e transformarão aquele lugar num cenário nativo, onde os cantos primitivos por elas e outros rapanuis são entoados, com letras que falam sobre suas origens e tradições e que sustentam a historia de Rapanui.

25 maio · 18h50 · Instituto Cervantes

Meu nome é Jacque · Dir. Angela Zoé · 2016 · 72 min. · Brasil · C.I.: 14

A diversidade narrada através da história e vida de Jacqueline Rocha Cortês, uma mulher transexual, portadora do vírus HIV, que precisou e ainda precisa superar grandes obstáculos para viver sua vida da melhor forma possível, quebrando paradigmas e derrubando preconceitos.

25 maio · 18h50 · Instituto Cervantes

Diamantino · Dir. Gabriel Abrantes, Daniel Schmidt · 2018 · 99 min. · Portugal · C.I.: 14

Diamantino, o maior jogador de futebol do mundo, perde seu talento e encerra sua carreira em desgraça. Em busca de um novo propósito na vida, o ícone internacional embarca numa odisseia delirante, onde ele enfrenta o neofascismo, a crise dos refugiados, mutações genéticas, e a busca pela origem de seu gênio.

29 maio · 18h30 · Camões – Centro Cultural Português em Brasilia

A Rainha da Irlanda [The Queen of Ireland] · Dir. Conor Horgan · 2015 · 86 min. · Irlanda · C.I.: 18

A Rainha da Irlanda é um documentário sobre a vida da drag queen irlandesa ‘Panti Bliss’, na preparação para o referendo histórico sobre igualdade no casamento para casais do mesmo sexo na Irlanda.

30 maio · 20h · Aliança Francesa

Laurence para sempre [Laurente anyways] · Dir. Xavier Dolan · 2012 · 161 min. · Canadá · C.I.: 14

Situado nos anos 90, um homem tenta salvar seu relacionamento com a noiva após revelar a ela suas aspirações de se tornar uma mulher. Laurence Para Sempre mostra a história de um amor selvagem e incomum, cheio de conflitos e transformações.

31 maio · 18h30 · Aliança Francesa

O Terceiro Casamento [Troisièmes Noces] · Dir. David Lambert · 2018 · 100 min. · Bélgica · C.I.: 14

À Martin, um viúvo homossexual e excêntrico, por volta dos 50 anos, oferecem um casamento de conveniência com uma congolesa de 20 anos, Tamara. Esses dois seres tão diferentes terão que acreditar em seu amor diante das autoridades migratórias e por meio de fingimentos, e acabarão se amando… à sua maneira!

1º junho · 18h · Aliança Francesa

Desobediência [Disobedience] · Dir. Sebastián Leilo · 2017 · 114 min. · Reino Unido · C.I.

Uma mulher que se criou em uma família ortodoxa judia regressa ao seu lar de origem por conta da morte de seu pai, um rabino. Lá, ela se lembra da paixão proibida pela melhor amiga de infância, que atualmente está casada com seu primo. As duas exploram os limites da fé e sexualidade.

1º junho · 19h40 · Aliança Francesa

Conquistar, Amar e Viver Intensamente [Plaire, aimer et courir vite] · Dir. Christophe Honoré · 2018 · 132 min. · França · C.I.: 16

1990. Arthur é um estudante de 20 anos que vive em Rennes (França). Sua vida muda no dia em que ele conhece Jacques, um escritor que mora em Paris com seu filho. Durante o verão, Arthur e Jacques se divertem e se amam. Mas esse amor, Jacques sabe que deve ser vivido rapidamente.

2 junho · 18h · Aliança Francesa

Refeições em família [Nije Ti Zivot Pjesma Havaja] · Dir. Dana Budisavljevic · 2012 · 50 min. · Croácia · C.I.: 12

Durante uma série de cafés da manhã e almoços, os segredos da família há muito tempo enterrados vêm à tona quando a mãe, o pai e seus dois filhos adultos tentam falar sobre as coisas que realmente importam, mas que nunca antes foram discutidas. A família aborda seus sentimentos em relação a vários temas como o estilo de vida hippie, a homossexualidade, doenças, guerra e a culinária.

4 junho · 18h30 · Goethe-Zentrum Brasília

Abraça-lo [Holding the man] · Dir. Neil Armfield · 2015 · 127 min. · Austrália · C.I.: 18

Baseado no famoso livro de memórias e peças teatrais de mesmo nome, essa é a história apaixonante, engraçada e extraordinariamente comovente do caso de 15 anos de amor entre Timothy Conigrave e o garoto pelo qual ele se apaixonou no ensino médio, John Caleo. Tim era um ator aspirante e John, o capitão do time de futebol da escola. O relacionamento deles floresceu e durou mesmo diante das circunstâncias que foram colocadas pela vida – orgulho, adversidade, discriminação, tentação e perda – até que o único problema que o amor não conseguiu resolver: tentou destruí-los.

4 junho · 19h30 · Goethe-Zentrum Brasília

Algo a romper [Something must break] · Dir. Ester Martin Bergsmark · 2014 · 80 min. · Suécia · C.I.: 16

Sebastian leva uma vida triste, com um trabalho pouco interessante e sem sorte no amor. Sua aparência andrógina não ajuda a fazer amigos, mas ele está cada vez mais disposto a assumir sua verdadeira identidade transexual. Quando se apaixona pelo garoto heterossexual Andreas, Sebastian encontra força para fazer a transformação mais importante da sua vida: assumir definitivamente a identidade feminina, adotando o nome Ellie.

5 junho · 18h30 · Goethe-Zentrum Brasília

Afinal de contas [Lang Historie Kort] · Dir. May el-Toukhy · 2015 · 90 min. · Dinamarca · C.I.: Livre

Ellen e seus amigos, todos entre 30 e 40 anos, estão às voltas com os sabores e dissabores do amor e da redenção romântica. Ao longo de três anos, a vida desse grupo é contada em oito episódios, cada um em uma celebração. É um conjunto de histórias de pessoas que lutam contra a concepção do relacionamento perfeito e estão destinadas a reavaliar suas opiniões sobre o amor verdadeiro.

5 junho · 20h · Goethe-Zentrum Brasília

Triângulo amoroso [Drei] · Dir. Tom Tykwer · 2011 · 119 min. · Alemanha · C.I.: 16

Hanna e Simon são casados e têm em torno de 40 anos. Ela é apresentadora de um programa de entrevistas na TV, enquanto que ele é engenheiro. Apesar de viverem bem, ambos fantasiam aventuras com outras pessoas. Quando Hanna conhece Adam, um cientista que trabalha com genética, ela logo se sente atraída. Não demora muito para que iniciem um caso. Paralelamente, Simon precisa lidar com a morte da mãe e a notícia de que está com câncer no testículo. Após passar por uma cirurgia, Simon vai a uma piscina pública e lá conhece Adam. Pela primeira vez na vida ele se sente atraído por um homem.

6 junho · 18h · Goethe-Zentrum Brasília

Garotos [Jongens] · Dir. Mischa Kamp · 2014 · 78 min. · Países Baixos · C.I.: Livre

Sieger, um atleta de 15 anos, treina para um campeonato de natação durante as férias de verão. No time, conhece a Marc, com quem desenvolve uma amizade. Saem bastante com outros dois colegas do time, entre eles, Stef, melhor amigo de Sieger. Quando um dia saem para mergulhar em um lago, Sieger e Marc ficam a sós e acabam se beijando. Confuso com o que aconteceu, Sieger afirma para Marc que não é gay antes de ir embora. A vida não fica nada fácil quando Sieger quer conciliar o irmão e o pai, e quando esse irmão e Stef o incentivam a namorar uma garota.

6 junho · 20h15 · Goethe-Zentrum Brasília

ATIVIDADES PARALELAS

Em cada canto e filme do DF habita com semelhanças, a diversidade. Os três filmes integrantes do Festival Curta Brasilia mostram a diversidade da comunidade LGBT no DF em diversos aspectos: social, econômico, étnico e de gêneros. Um convite para um olhar a empatia enquanto fio condutor entre distintas e mesmo divergentes realidades.

Em defesa da família · Dir. Daniella Cronemberger · 2016 · 24 min. · Brasil (DF) · C.I.: 10

Vanessa e Marília formam uma família há 13 anos e são mães de três meninos. O cotidiano é cheio de obrigações e as mães precisam dividir as tarefas. Entre um piquenique com amigos e a festa junina da escola, a família é obrigada a enfrentar ameaças externas. Seus direitos civis correm perigo.

Afronte · 2017 · Dir. Bruno Victor e Marcus Azevedo · 16 min. · Brasil (DF) · C.I.: Livre

Ficção e documentário se cruzam para mostrar o processo de transformação e empoderamento de Victor Hugo, um jovem negro e gay, morador da periferia do Distrito Federal. Seu relato se mistura aos depoimentos de outros jovens, cujas histórias revelam diferentes formas de resistência, encontradas em discursos de valorização do negro gay.

Fora do Plano · Dir. Raul de Lima · 2016 · 20 min. · Brasil (SP) · C.I.: 16

O Plano Piloto, espaço central e referência modernista no centro do Brasil, cercado de regiões administrativas é o lugar que tantos desejam estar. Ao redor, as histórias vivem além do centro e criam narrativas próprias maiores que a segregação econômica. Como perifeira resistem. Como periferia existem.

25 maio · 16h · Instituto Cervantes

Luz, Câmera, Zero Discriminação · 70 min.

Lançado pelo UNAIDS como parte das celebrações do Dia da Visibilidade Trans de 2019, o projeto é fruto de uma parceria com o M·A·C AIDS Fund, com apoio da Coordenação de Políticas para LGBTI da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo e produção da Brodagem Filmes. Esse projeto consistiu em um curso de audiovisual para 16 pessoas trans e travestis, entre fevereiro e março de 2018, em São Paulo. Ao longo de dez encontros, foram ministrados conteúdos sobre sonorização e produção, roteiro, pré-produção, direção, fotografia, filmagem, edição e pós-produção.

Após a exibição dos curtas do curso: “Somos Todxs Humanxs”, “Transmasculinidades”, “(R)EXISTIR” e “Brasil Repressão”, haverá um debate moderado pela UNAIDS Brasil, que contará com a presença de participantes do curso, um especialista em audiovisual e um dos produtores do Festival.

30 maio · 18h30 · Aliança Francesa

Roda de Conversa “Camp e a Estética LGBT na obra de Pedro Almodóvar · 90 min. 

No ano em que o diretor espanhol Pedro Almodóvar (1949, Ciudad Real) completa 70 anos, essa roda de conversa oferece um breve panorama sobre sua obra cinematográfica, construindo diálogos culturais a partir de cenas icônicas de seus filmes.

Mais do que investigar como sexualidade ou gênero são representados, nos debruçaremos sobre como sua obra se conecta com perspectivas estéticas erigidas dentro das comunidades LGBT+. Partimos do que Susan Sontag chamou de “sensibilidade Camp”, e com Almodóvar, iniciaremos um diálogo sobre qual a potência do desejo, da afetação e da estética como ferramentas de crítica cultural.

Ministrantes: Mari Velasco e Felipe Areda

Felipe Areda é antropólogo (UnB, 2009) e educador social. É fundador e presidente do Instituto de Cultura Arte e Memória LGBT+. Como professor e pesquisador dedica-se à História, Pensamento e Memórias LGBT Brasileira assim como as teorias da Cultura LGBT+.

Mari Velasco é artista visual com graduação em Design Gráfico (PUC-Rio, 1999), e em Psicologia (PUC-Rio, 2006) e um Mestrado em Comunicação Audiovisual pela Universidade Complutense de Madrid (2006). Realizou uma pesquisa sobre cinema, homossexualidade e construção da subjetividade, que trabalha a Memória LGBT+.

3 junho · 19h · Instituto Cervantes

Coordenação

Embaixada da Bélgica
Embaixada da Espanha

Produção

Embaixada da Alemanha
Embaixada da Austrália
Embaixada do Canadá
Embaixada do Chile
Embaixada da Croácia
Embaixada da Dinamarca
Embaixada da Eslovênia
Embaixada da França / Institut Français
Embaixada da Irlanda
Embaixada da Itália
Embaixada dos Países Baixos
Embaixada da Portugal
Embaixada do Reino Unido
Embaixada da Suécia

Parceria

Aliança Francesa
Goethe
Instituto Cervantes
Camões

Apoio

UNAIDS
Delegação União Europeia
Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos
Festival Curta Brasilia
Love is Great
Documenta Filmes
Vitrine Filmes
WBI
Instituto LGBT+
Restaurante El Paso

Media partner

Desfrute cultural

Anterior Agora Vai - Lab de Comunicação para Empreendedores
Próximo 2ª edição do Festival Nacional de Teatro de Bolso do DF