Após surpreendente sucesso alcançado em sua primeira edição, o Festival retorna com atrações de três Estados e do DF, e a certeza de que será acompanhado por ainda mais pessoas

Na estreia do projeto, o FICA em Casa exibiu, ao longo de três dias, 30 transmissões ao vivo perfazendo 15 horas de arte, cultura e entretenimento. Programação que foi acompanhada por mais de 10 mil pessoas.

Envolveram-se na realização do projeto, dezenas de trabalhadores da cultura entre designers, produtores, técnicos e comunicadores. Todos exercendo suas funções remotamente de suas casas. Time de profissionais, que segue na ativa para fazer com que o Festival chegue a um público ainda maior.

O Festival tem como proposta fazer com que criações artísticas de músicos, encenadores e performers, de diversos segmentos, cheguem aos lares de todos em confinamento. A vontade é a de que, “por algum período de tempo, os problemas sejam substituídos por tranquilidade e esperança através da arte”, dizem os realizadores do Festival em coro.

Para eles, “só a arte e a cultura têm ‘esse poder’ de elevar as pessoas, suas mentes, corações e almas, e consequentemente todo o corpo, minimizando os efeitos negativos que o isolamento pode causar”. Por conta disso, avisam, “vamos continuar espalhando arte e cultura enquanto for necessário”.

Assim sendo, o Festival Fica em Casa segue para a sua segunda edição trazendo, novamente, uma programação eclética de múltiplas linguagens, tanto nos estilos quanto nas vertentes.

De declamação poética ao circo e palhaçaria até chegar à música, exibidos com grande audiência na primeira edição, novidades se somarão na segunda. Como contação de histórias, grafite e vídeo-aulas de dança e outras técnicas, que serão apresentadas por ilustres artistas locais e nacionais.

Quanto a resposta dos artistas ao convite para integrarem a programação do FICA em Casa, a produção se mostra feliz em comentar que, “todos têm gostado demais de participar. Eles [os artistas] aceitação de pronto em somar na busca de minimizar – através da arte – a crise que assola o país e o mundo”. Quanto ao feedback da plateia virtual, “os mais elogiosos são com relação à possibilidade de interação, à qualidade das apresentações e à pontualidade dos artistas”.

Para que o projeto siga e chegue a mais pessoas, movimentando toda uma cena cultural a equipe de produção do FICA em Casa faz o convite: “contamos com a colaboração de todas e todos, como? Prestigiando os artistas com sua audiência, compartilhando com os amigos, deixando uma curtida, enfim existem várias formas de investir em um projeto colaborativo, espontâneo e sem financiamento”.

Para acompanhar a programação e assistir aos artistas, basta acessar @ficaemcasafestival, no Instagram, e facebook.com/FICA-204070822956916/

Programação

Sábado, 11 de abril de 2020

17:00 – Nyedja Gennari – Guará -DF
17:30 – Marmotagem – DF
18:00 – Paulo Vinícius – Guará/DF
18:30 – Cachorro do Mato – Joinvile/SC
19:00 – Joao Marinho – DF
19:30 – Serafim – Florianópolis/SC
20:00 – Neny HX- DALL – Canoas/RS
20:30 – Nando Muller – Joinvile/SC
21:00 – Saulo Fierz – Porto Alegre/RS

Domingo, 12 de abril de 2020

17:00 – Circo Rebote – DF
17:30 – Vitor Hartmann – Cruzeiro/DF
18:00 – Prika Lourenço – Joinvile/SC
18:30 – Bruno Kohl – Porto Belo/SC
19:00 – Chagall – Guará/DF
19:30 – Ricardo Ledoux – Joinvile/SC
20:00 – Duo Circulado Igor Rubato e Lucas Fernandes – Pipa/RN
20:30 – Juraci e Centurion da Mata – Taguatinga/DF
21:00 – Rás Kakaroto – Riacho Fundo/DF

Anterior Que tal o almoço de Páscoa com delícias do El Paso?
Próximo Lojas oferecem opções para a Páscoa por delivery no DF Plaza