Turnê do espetáculo “Amana – Dança para Bebês”, do Grupo Psoas e Psoinhas, chega a São Paulo para participar da VII Mostra I Olhar – Festival de Teatro para Bebê

Em março deste ano, o Grupo Psoas e Psoinhas iniciou a turnê nacional do espetáculo “Amana – Dança para Bebês”. Cumpriu temporada em Brasília e regiões administrativas do Distrito Federal, seguiu para Pirenópolis (GO) e, após apresentação em São Paulo, onde integrou a programação da VII Mostra I Olhar – Festival de Teatro para Bebês, retorna a capital federal para encerramento do projeto de circulação.

Com o patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, as apresentações serão no próximo sábado, 14 de julho, às 11h e 16h, no Anexo II do Museu Nacional da República. A entrada é franca com retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão.

Julia Ferrari, Julieta Zarza, Katiane Negrão e Susana Prado, intérpretes criadoras do espetáculo, que tem direção de José Regino, recorrem à música, aos gestos, sons e movimentos para estabelecerem vínculo com os bebês. Fizeram parte do processo criativo estudos e vivências de Educação Somática e ancestralidade feminina. O toque/afeto é a essência desta proposta e a técnica de contato improvisação também norteia o trabalho.

Amana é uma palavra tupi-guarani que significa água que vem do céu. O espetáculo de dança para e com bebês de zero a quatro anos, com som ao vivo, traz um pouco de nossa ancestralidade, das gotinhas de nosso mar interno às gotas que somos neste universo de possibilidades.

Acessibilidade:

O espetáculo é direcionado para todos os bebês. Não utiliza linguagem verbal, se expressa pelo corpo e voz, movimento e música ao vivo. Para que todos possam usufruir desse momento de vínculo entre adultos e crianças, em pelo menos uma das apresentações há um intérprete de libras.

Espetáculo de vivência:

A expectativa é receber 25 crianças de zero a quatro anos, em cada apresentação. Dentro desse público principal está a díade (bebê e mãe ou outro responsável) ou tríade, (bebê e pais, ou outros responsáveis como avós etc.), totalizando o máximo de 80 pessoas. É um espetáculo que é pensado para todas as idades e, ao mesmo tempo, para que a vivência seja plena para o adulto é indispensável a presença dos bebês.

Sobre o Grupo Psoas e Psoinhas

Psoas e Psoinhas nasce em 2015 de um fértil encontro entre mulheres-artistas interessadas em pensar e agir a arte para a primeira infância. Pretende estabelecer um vínculo com bebês, pais, mães e educadoras para acessar um olhar mais sensível do ser. Possui duas montagens, “O Circolo”, com participação no Festclown-DF 2016 e recente temporada em Cuatro Elementos Espacio Teatral (Argentina 2018), e “Amana – dança para bebês”, contemplado pelo FAC 2015/2016, Festival Primeiro Olhar/ 2017 – DF, Festival Musicar DF 2018, Circulação DF, GO e SP/2018 e com apresentação no I Encontro Internacional de Práticas Somáticas e Dança/DF-2018.

Serviço

Amana – Dança para Bebês
14 de julho
Horários: 11h e 16h
Local: Anexo II do Museu Nacional da República
Endereço: Setor Cultural Sul, lote 2 – Esplanada dos Ministérios
Entrada: ingressos gratuitos distribuídos meia hora antes de cada sessão.
Lotação: 60 entre bebês e acompanhantes
Faixa etária: 0 a 4 anos

Ficha técnica

Intérpretes criadoras: Julia Ferrari, Julieta Zarza, Katiane Negrão, Susana Prado.
Direção: José Regino
Direção musical e preparação vocal: Julia Ferrari
Música original e arranjos: Julia Ferrari e intérpretes
Coordenação de produção: Janaína Mello
Orientadora em Educação do Movimento Somático: Katiane Negrão
Assessoria pedagógica: Susana Prado
Iluminação: Luciano Porto
Gestão executiva: Pedro Caroca
Fotos: Débora Amorim, Phillipe Carvalho e Rafael Nascimento
Vídeo: João Procópio e Ronaldo Cahin

Duração

Receptivo: em torno de 15 minutos
O espetáculo é contemplativo e interativo e a duração varia entre 30 min e 50 min, de acordo com a especificidade de cada grupo.
Contato: 61 9 8632-1907 – Janaína Mello – Coordenadora de Produção

Anterior Comedy Flix em cartaz no Teatro Brasília Shopping até dia 27
Próximo Projeto CineCult exibe Sonhos, de Akira Kurosawa