Festival de Orquestras Populares


 

Brasília vai receber pela segunda vez o encontro da diversidade musical representada por grupos de grandes instrumentistas

O Festival de Orquestras Populares, a ser realizado de 6 a 8 de setembro na Caixa Cultural Brasília, produzido pelo Beco da Coruja Produções com a curadoria do Maestro Fabiano Medeiros, promove um intercâmbio musical da riqueza e representatividade cultural do Brasil.

Uma oportunidade do público conhecer expressões contemporâneas de tradições populares brasileiras, inovações estéticas e performances cênico-musicais, comandadas por maestros com trabalhos reconhecidos mundialmente. Inclusive, com a participação de grupos alinhados e comprometidos com a formação musical de jovens do DF.

Na programação, grupos que são referência no Brasil e no exterior, com repertórios expressivos na linguagem sonora instrumental, como Orquestra Popular do Recife (PE), Banda Mantiqueira (SP), Orquestra de Cavaquinhos de Brasília (DF), Funqquestra (DF), Maestro Forró e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (PE), Orquestra Popular Marafreboi (DF), Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (BA), Banda Sinfônica de Sobradinho (DF) e Orquestra Popular Candanga (UnB-DF). As apresentações serão gratuitas, com os shows a partir das 20h, na área externa da CAIXA Cultural Brasília.

“A curadoria do festival reuniu orquestras das mais diversas partes do Brasil. Algumas destacam-se pela pesquisa e resgate da cultura popular e outras pelo virtuosismo de seus instrumentistas. O público terá acesso a um recorte importante dentro do segmento das orquestras instrumentais populares brasileiras”, comenta o curador do festival, maestro Fabiano Medeiros. “Brasília tem um forte cenário instrumental, no qual esses grupos se inserem. Com a segunda edição do projeto, continuamos o caminho para consagrá-la no segmento e trazer outros conjuntos brasileiros para promover troca de experiências”, acrescenta.

Antecedendo a programação oficial, no dia 5 de setembro, será realizada uma apresentação da Orquestra Popular Marafreboi no Teatro da Caixa para crianças com deficiência auditiva e visual e idosos. Haverá intérprete em libras e audiodescrição.

Na quarta, 06 de setembro, das 9h às 12h, será realizada a RODA DE SABERES na Escola de Música de Brasília, com um bate-papo aberto sobre a vivência musical com os maestros: Letieres Leite, da Orkestra Rumpilezz (BA); Fabiano Medeiros, da Orquestra Marafreboi (DF), Ademir Araujo, o Formiga, da Orquestra Popular do Recife (PE) e maestro Forró, da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Durante a RODAS DE SABERES, será lançado o livro do “Arranjando Frevo de Rua”, do Maestro Marcos FM (PE). Informações pelo (61) 9 9995.8679 (Cássia).

Essa segunda edição do Festival de Orquestras Populares tem patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do Governo do Distrito Federal, CAIXA e Governo Federal.

Programação

Quarta, 06
Banda Sinfônica de Sobradinho (DF)
Orquestra Popular do Recife (PE)
Banda Mantiqueira (SP)

Quinta, 07
Orquestra de Cavaquinhos de Brasília (DF)
Funqquestra (DF)
Maestro Forró e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (PE)

Sexta, 08
Banda musical arte jovem (DF)
Orquestra Popular Marafreboi (DF)
Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (BA)

SOBRE AS ORQUESTRAS

Orquestra Popular do Recife (PE)
https://www.youtube.com/watch?v=UxNBFgNXzBc&t=2160s

Completando este ano 42 anos de existência, a Orquestra Popular do Recife é considerada um dos mais importantes grupos pernambucanos, a Orquestra Popular do Recife, foi idealizada em 1975 pelo escritor e professor Ariano Suassuna, tem a direção artística e musical do Maestro e compositor Ademir Araújo, “O Formiga”, um dos mais respeitados compositores e arranjadores nordestinos. A Orquestra que é pioneira na pesquisa e transcriação de gêneros tradicionais, desde sua estreia ritmos como maracatus, cocos, cirandas, reisados e caboclinhos estão presentes no seu repertório, sempre com arranjos valiosos. Mas sem sombra de dúvidas é interpretando os vários estilos de frevo, em especial o frevo-de-rua (frevo instrumental), que o grupo assombra pelo seu virtuosismo, sendo conhecida pela precisão, afinação e potência de seus metais.

Banda Mantiqueira (SP)
https://www.youtube.com/watch?v=FUgOqHqqusE

Com 25 anos de estrada, a big band paulistana apresenta linguagem instrumental brasileira que não se fecha às enriquecedoras influências de outras tradições musicais e é regida pelo clarinetista e saxofonista Nailor “Proveta” Azevedo. Com confessa influência das orquestras de Severino Araújo, Thad Jones, Count Basie e Duke Ellington, Proveta procurou uma forma de contato com a obra dos grandes compositores brasileiros – Pixinguinha, Cartola, Nelson Cavaquinho, Tom Jobim, entre outros – e passou a escrever arranjos para as composições desses grandes mestres, com colaboração do trompetista Walmir Gil e do violonista e contrabaixista Edson Alves. É inegável a forte influência que todos os seus componentes tiveram, como também acontece com a maioria dos músicos de todas as partes do mundo, ouvindo grandes jazzistas como Louis Armstrong, Miles Davis, Charlie Parker, Dizzy Gillespie, Sonny Rollins, John Coltrane, Phil Woods, J. J. Johnson, Elvin Jones, Herbie Hancock, Ron Carter, Mike Stern e também os brasileiros Formiga, Papudinho, Felpudo, Casé, Moacir Santos, Bolão, J.T. Meireles, Raul de Souza, Maciel, Don Salvador, Maestro Branco, Laércio de Freitas, Heraldo do Monte, Edson Machado, e outros tantos. Os integrantes da BANDA MANTIQUEIRA, individualmente, exercem intensa atividade nos estúdios de gravação e figuram nas fichas técnicas dos mais importantes discos gravados por uma gama variada de artistas.

Orquestra de Cavaquinhos de Brasília – Projeto Waldir Azevedo (DF)
https://www.youtube.com/watch?v=5dKhhuVzu5Q

Idealizada e fomentada pelo professor Dudu Oliveira – criador do Projeto Waldir Azevedo que funciona na Vila Telebrasília- a Orquestra possui um repertório cuidadosamente elaborado que muito emociona o espectador. Canções imortais de autoria dos mestres Waldir Azevedo, Dori Caymmi, Astor Piazzolla, Heitor Villa Lobos, Ary Barroso serão apresentadas no domingo, ao cair da tarde de inverno no planalto central. No show de encerramento das atividades deste semestre, a Orquestra de Cavaquinho conta com a participação do Mestre e maestro Antonio Cabrera nos teclados e do acordeonista Júnior Ferreira; referência no instrumento no país.

Banda Sinfônica de Sobradinho (DF)
https://www.youtube.com/watch?v=UKm1G2VWy3w

A Banda Sinfônica de Sobradinho-DF, iniciou suas atividades no ano de 1979, como Fanfarra do Complexo Escolar “A” de sobradinho, fundada pelo maestro José Antônio da Silva Nascimento. No ano de 1994 as atividades foram estendidas para a comunidade, o que possibilitou na transformação da fanfarra para a Banda Sinfônica de Sobradinho. Grande parte dos alunos prosseguem seus estudos em conservatórios, universidades no Brasil e exterior. Muitos trabalham como docentes, músicos em bandas militares, integrantes de conjuntos populares e músicos de orquestras sinfônicas. Pautada pela qualidade e excelência musical, foi agraciada como o Prêmio Funarte de Apoio à Bandas de música nos anos 2002 e 2014. Foi diversas vezes campeã do Concurso Nacional de Bandas e campeã do Concurso Regional de Bandas do Distrito Federal, que tem perseverado em manter as tradições musicais e impactar a cultura local, dando continuidade ao trabalho de 38 anos de apoio a educação musical para jovens músicos da cidade de Sobradinho.

Funqquestra (DF)
https://www.youtube.com/watch?v=MdZQU23S8AQ

Ousadia, diversão e sensibilidade. Com a proposta de quebrar barreiras e levar a música instrumental para perto do público, a FUNQQUESTRA se destaca no cenário instrumental brasileiro apostando na mistura do Funk, Jazz, Pop e, claro, Música Brasileira. Não bastasse a incomum combinação de estilos, a banda também quebra paradigmas com sua formação: 2 baterias – tocando juntas! – que se somam aos sons da guitarra, baixo, sintetizadores e um naipe de metais, gerando um conceito inédito e envolvente. Mas não pense que toda essa mistura tem como resultado um som complicado. A ideia é exatamente o contrário! A banda nascida em Brasília se propõe revelar um trabalho sonoro e capaz de capturar até os olhares e ouvidos mais distraídos. Com um time de músicos de primeira, a FUNQQUESTRA combina no mesmo pote as influências de Black Rio, Funk Como Le Gusta, Lettuce, Snarky Puppy e SF Jazz Collective, mostrando que música instrumental pode sim ser popular e divertida!

Maestro Forró e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério
https://www.youtube.com/watch?v=JuxeKCudD4Q
https://www.youtube.com/watch?v=zS9_gBgf6CI

Grupo liderado pelo Maestro Forró, a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (OPBH) está comemorando 15 anos em 2017, e vem realizando uma série de apresentações por todo o país. Como forma de celebrar, vai presentear o público do Festival de orquestras Populares com show especial que será uma mescla dos dois últimos CD’s autorais da OPBH: Jorrando Cultura e #CabeçaNoMundo, esse último que foi ganhador do Prêmio da Música Brasileira na Categoria Regional. Além da turnê, será lançado ainda esse ano em parceria com a RecifeProduções, um livro comemorativo do álbum “Jorrando Cultura”, primeiro trabalho autoral da OPBH produzido há 10 anos e que projetou a carreira da OPBH dentro e fora do País. Posteriormente também será disponibilizada uma edição do álbum em formato vinil.

Orquestra Popular Marafreboi (DF)
https://www.youtube.com/watch?v=sS9UQavu8nU

Composta por um grupo de 19 músicos e 5 bailarinos, tendo sido criada pelo maestro Fabiano Medeiros, clarinetista e compositor, com a pretensão de pesquisa e divulgação das músicas de matriz da cultura popular. A Marafreboi é formada com base na instrumentação de uma orquestra de sopros, hoje sendo considerada uma das orquestras, hoje sendo considerada uma das orquestras mais atuantes no ciclo carnavalesco de Brasília, com participação nos blocos mais queridos da cidade, como Suvaco da Asa, o Galinho de Brasília e as Virgens da Asa Norte, onde durante os festejos do Rei Momo, faz a festa de milhares de foliões. A Orquestra vem fazendo várias apresentações fora de Brasília, com uma celebrada turnê que passou por Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. Tendo, inclusive, recebido alguns convites para se apresentar na Argentina, na Colômbia e na festa da Música na França. Com dois álbuns que traduzem o trabalho de resgate, preservação e divulgação do acervo popular, privilegiando em seu repertório, composições autorais e de clássicos do universo de gênero da cultura popular como o frevo, maracatu, samba, ciranda, xote, cavalo-marinho, coco, xaxado, baião, carimbó e bumba-meu-boi. Ao longo de seus trabalhos, a orquestra acompanhou vários mestres da cultura brasileira como, Claudionor Germano, Edcarlos, Marcos Cesar, Expedito Baracho e os maestros Leonardo Bruno, Edson Rodrigues e Ademir Araujo. Além disso, realizando aberturas para vários outros artistas, os quais Antônio Nóbrega, Lia de Itamaracá, Carlinhos Brown, Geraldo Azevedo e outros.

Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz (BA)
https://www.youtube.com/watch?v=j7dk8PgBxvc

A RUMPILEZZ As raízes rítmicas afro-baianas traduzidas na harmonização do jazz. Esta é a proposta musical do grupo Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, a BigBand instrumental de percussão e sopros. Criada em 2006 pelo instrumentista e compositor Letieres Leite, a Rumpilezz é “regida” pelo rigor da percussão afro-baiana e marcada pela influência do jazz em sua construção harmônica. Completando 10 anos como expoente no cenário musical nacional, a Orkestra Rumpielzz é criticada como “uma verdadeira ruptura nas barreiras da música instrumental brasileira” por jornalistas e grande mídia, além de ser vencedora do Prêmio Bravo! Como Melhor Álbum Popular e o Prêmio da Música Brasileira em duas categorias, Revelação e Melhor Grupo Instrumental. Suas composições, concebidas a partir das claves e desenhos rítmicos do chamado Universo Percussivo Baiano (UPB) – termologia observada e desenvolvida pelo maestro Letieres – têm entre as referências histórico-musicais as agremiações percussivas como Ilê Aiyê e Olodum, os Sambas do Recôncavo e o culto sagrado do Candomblé. Em sua estrutura, a Orkestra conta com 5 músicos de percussão, que passeiam por instrumentos como surdo, timbau, caixa, agogô, pandeiro e caxixi, e por 15 músicos de sopro, compondo os quatro naipes de trompete, trombone, saxes (alto, soprano e tenor) e flautas e baixos (tuba, sax barítono e trombone baixo).

Serviço

Festival de Orquestras Populares
De 6 a 8 de setembro – Caixa Cultural Brasília (área externa)
Horário: 20h
Endereço: Setor Bancário Sul, Quadra 4, Lotes 3/4 , anexo à matriz da CAIXA e próximo ao edifício-sede do Banco Central.
Telefone: 61 3206-6456
Classificação Indicativa: Livre
Entrada franca
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal
FAC – Fundo de Apoio à Cultura

Anterior Programação infantil do Pátio
Próximo Dica para não errar no tempero