Festival de Ceviches no El Paso Latino


Os chefs David Lechtig e Sebastián Parasole criam novas versões para o tradicional prato peruano com flores e frutas numa Ode à Primavera de 25 de novembro a 4 de dezembro

Desde 2007, o chef peruano David Lechtig realiza anualmente festival para compartilhar com os comensais receitas e novas criações do prato que hoje é um dos favoritos no mundo: o ceviche. Em 2016, com as contribuições do chef argentino Sebastián Parasole, David propõe versões com ingredientes que homenageiam a primavera e o frescor da chuva que ela traz.

O IX Festival de Ceviches do El Paso Latino será uma oportunidade àqueles que querem experimentar iguarias como o maracujá do cerrado, castanha de baru, salmão gravlax acevichado e até a exótica melancia mentolada, em harmonia com o prato símbolo do Peru.

São dez versões, a quatro mãos, de ceviches servidos nos almoços e jantares, em duos à escolha do cliente (R$ 59). Todos acompanhados por Causa Peruana, uma massa fria de batata, temperada com ají amarillo e limão e servida com salpicão de camarão, e uma Croqueta Criolla, o bolinho crocante de peixe, levemente apimentado. David ainda propõe uma inusitada gelatina de pisco sour aromatizada com pétalas de rosa. “ A ideia é fazer com que o cliente renove o paladar entre as degustações”, explica o chef.

O IX Festival de Ceviches foi o resultado de longas conversas entre os chefs e amigos David e Sebastián , durante uma viagem à Praia da Pipa (RN). “Nessas andanças, falávamos sobre a vida, sobre a expectativa pela chegada da primavera, sobre como a chuva influencia nossa vida e na gastronomia de Brasília. Assim, nasceu a ideia de unir , no menu do festival, os sabores do mar, do cerrado e os primaveris – flores, frutas e aromas”, explica Lechtig.

Menu IX Festival de Ceviches

1. Ceviche de robalo con fruta de la pasion – tradicional ceviche peruano incrementado com maracujá do cerrado e flores comestíveis
2. Ceviche con Melancia de Menta e Ají Amarillo – lascas de corvina temperadas com leche de tigre , Ají amarillo e cubos de melancia mentolada.
3. Atún selado coberto con Leche de Tigre, farofa de pipoca y Nori – pequenos medalhões de atum finalizados com leche de tigre e pimenta rocoto em cama de algas e milho.
4. Camarones en Apperol – o crustáceo em espumante, suco de limão e laranja. Servido com batata doce.
5. Pulpo en salsa criolla y leche de tigre con aceitunas negras – polvo temperado em leche de tigre, cebola roxa, pimenta dedo-de-moça picada e azeitonas pretas.
6. Ceviche Romeo y Julieta – a tilápia com leche de tigre, goiaba e queijo tofu.
7. Ceviche blanco con mango verde y pimenta jalapeño –tilápia do cerrado com manga verde, pimenta jalapeño ao estilo mexicano
8. Salmón Gravlax – o pescado com funcho, leche de tigre e pepino com tabasco.
9. Primavera en el mar – mexilhões, vieira, peixe, lula e polvo, marinados em uma releitura do leche de tigre com ají amarillo picado, sobre cama de farofa com amendoim e nori,.
10. Salmón Primavera – salmão em leche de tigre suave com ají amarillo. Cebola roxa, flores comestíveis, finalizado com crocantes de castanha de Baru.

Sobre os chefs

David Lechtig é peruano de Ica e, em 1998, inovou quando abriu a primeira cevicheria na capital, o El Paso Latino. Realizou festivais e talleres para difundir a gastronomia do seu país, o que tornou a casa a preferida dos amantes do prato. O El Paso Latino oferece, além do menu de ceviches, os pratos tradicionais da cozinha criolla e sulamericana. Além de uma carta com os melhores piscos (aguardente de uva peruana) e drinks feitos com a bebida.

Sebastián Parasole é formado pelo Instituto Argentino de Gastronomia (IAG). Foi Chef da Cátedra de Cozinha Fria no Instituto Argentino de Gastronomia. Chegou ao Brasil como Assessor da Coordenação do Curso de Gastronomia, com uma trajetória de 12 anos como educador gastronômico e é atualmente e Coordenador Geral do Curso de Gastronomia do IESB. Desde 2011, é sócio proprietário do Melhor Gourmet, grupo dedicado ao Turismo Gourmet com mérito Cultural e Educacional, em parceria com o estrelado restaurante El Celler de Can Roca em Girona e Espai Sucre em Barcelona. Sebastián é um dos chefes do Movimento #Cerradovivo no ano 2014, resgate e a divulgação da Biodiversidade do Cerrado Brasileiro.

Ceviche – A Delícia Andina mais difundida no mundo

O mais popular dos pratos peruanos tem várias versões históricas sobre sua origem. É sabido que a iguaria já era consumida há mais de mil anos quando uma civilização pré-Inca, Chímu, começou a preparar o peixe com água salgada do mar, tumbo (fruta típica do norte do Perú) e ají amarillo . Chamavam essa mistura primitiva de Siwichi. Dizem que, com a chegada das escravas mouras, junto com os espanhóis, veio também um prato árabe chamado “Sei-vech”, que tem características parecidas ao nosso escabeche. A fusão dos dois pratos criou o ceviche atual. O ceviche consiste em pequenos pedaços de filé de peixe ou frutos do mar curtidos no suco de limão, temperados com cebola roxa, ajís (pimentas) amarillo (mais suave) ou rojo (forte). Não bastasse a combinação primorosa de sabores, cores e texturas, o ceviche ainda tem motivos de sobra para virar tendência. Ele significa o retorno à simplicidade da cozinha. Celebra o frescor dos ingredientes. E combina alto teor de proteína com o mínimo de gordura. Conceitos bastante valorizados atualmente.

Serviço

IX Festival de Ceviches do El Paso Latino
El Paso Latino 404 Sul
De 25 de novembro a 4 de dezembro
Funcionamento: Terça a Domingo
Horário: 12h às 15h / 18h às 23h30
Reservas: (61) 3323-4618
Aceita todos os cartões
Manobrista no local: R$ 10
R$ 59 ( Duo de Ceviches + 1 causa peruana + 1 croqueta criolla )

Anterior João Ferreira e Vinícius Vianna
Próximo Brasília Photo Show 2016/2017