Evento “Festa do Amor” terá abertura de exposição, mostra de videodança, peça de dança e performance do coletivo artístico do “Bloco do Amor”

Reaberto em fevereiro depois de ter sido reformado, o Centro de Dança do DF, gerido pela Secretaria de Estado da Cultura do Distrito Federal, festeja o encerramento das atividades desenvolvidas ao longo do ano. A “Festa do Amor” acontecerá no dia 8 de dezembro (sábado), a partir das 16h, celebrando o corpo como agente principal de um mundo e de uma dança múltiplos, diversos, complexos e propositivos. A entrada é gratuita e o evento é viabilizado por uma campanha de financiamento coletivo, disponível em http://bit.ly/centrodedancadf.

Tudo começa com a abertura de uma nova exposição no local, “Lambe-dança: uma retrospectiva da Conexões Criativas no Centro de Dança”, com registros das variadas atividades realizadas ao longo do ano, feitos pela fotógrafa Karina Zambrana.

Também às 16h, se inicia a exibição da mostra de videodança “Discoreografia – Música, Dança e Blá, Blá, Blá”, de Elisabete Finger, um programa que fala de relações possíveis entre música e artes do corpo. Durante quatro anos, ele foi realizado em parceria com o Instituto Itaú Cultural e o Ministério da Cultura, tendo, ao todo, 35 episódios gravados.

Nesta mostra especial, serão mostradas três entrevistas – com Ney Matogrosso, Dream Team do Passinho e Karim Ainouz – e dois especiais sobre os contextos de dança de Teresina (PI) e Petrolina (PE).

Às 17h, todos poderão assistir à peça “Bola de Fogo”: uma dança regada a azeite de dendê do artista Fábio Osório Monteiro, que é também baiana de acarajé, devidamente registrada na Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivo e Similares (ABAM). A criação busca relacionar o fato de ele ser um artista atuante na cena contemporânea, tendo trabalhado com importantes artistas brasileiros e internacionais, e sua necessidade de subsistência diante da instabilidade dos tempos atuais. Depois da apresentação, ele seguirá vendendo seus deliciosos acarajés.

A programação se estende, a partir das 18h, com opções de food trucks de bebidas e comidas e com a performance inédita “Apocalypso em pisca pisca”, do coletivo artístico do “Bloco do Amor”, bloco de carnaval do DF: um espetáculo itinerante, colorido, iluminado e, claro, purpurinado, para cantar, dançar e brindar.

Coletivo artístico do Bloco do Amor
Coletivo artístico do Bloco do Amor | Foto: Lainha Loiola e Daniel Fama
Anterior Ilustradores de diversos estilos na Bibliotecas Públicas do DF
Próximo "Senttia Essential Cookbooks" ensinam fazer receitas em vídeos