Exposição Cerrado Esperança traz as cores da artista plástica à Galeria da Casa Thomas Jefferson, de 15 de março a 17 de abril

A arte de Théa Sisson revela muito da relação do homem com a natureza, das figuras humanas e suas vivências pessoais. Artista plástica autodidata desde a infância, ela contou com mestres de técnicas variadas para aprimorar o talento. Com a maturidade e traços apurados, Sisson imprime forte emoção e transmite grande sensibilidade em suas telas. De 15 de março a 17 de abril, pela coletânea Cerrado Esperança, a arte de Théa Sisson poderá ser apreciada na Galeria de Arte da Casa Thomas Jefferson Hall – SEP Sul 706/906.

A mostra

Cerrado Esperança apresenta uma coleção documental da destruição causada pelo fogo na Chapada dos Veadeiros. As telas fazem o espectador sentir o calor das chamas em seu caminho de destruição, mostra a chegada do socorro heroico com esforço sobre-humano, as cenas dramáticas da tentativa de fuga dos animais e a esperança da fauna e flora ressurgirem das cinzas.

“Protegemos somente o que conhecemos”, alerta Sisson, que é membro da Associação Candanga de Artistas Visuais. “Théa Sisson captura o observador com a magia do seu traço, com a envolvência de suas cores.

Quem observa suas telas passa a fazer parte do universo retratado pela artista plástica”, observa Luiz Carlos Costa, produtor sociocultural da Casa Thomas Jefferson. Sisson realizou, ao longo de sua carreira, exposições individuais, participou de mostras coletivas e foi premiada em salões de arte.

Programe-Se

Exposição Cerrado Esperança
Local: Galeria de arte da Casa Thomas Jefferson – Asa Sul (SEPS 706/906)
Data: 15 de março a 17 de abril
Abertura: sexta-feira, 15 de março de 2019, 18h às 22h
Visitação: até 17 de abril: segunda a sexta, das 9h às 21h | sábados, das 9h às 12h | domingos e feriados, fechada.
Classificação indicativa: Livre
Entrada gratuita

Anterior Imaginário Cultural recebe grupo de humor RivoTrio
Próximo Primeiro reality de dança do GNT estreia esta semana