No ano em que seu grande best-seller completa dez anos, Francisco Azevedo reúne trechos de romances, poemas, crônicas e outros escritos em “Eu sou eles”

Desde que surgiu na cena literária com o aclamado romance “O arroz de Palma”, de 2008, o escritor carioca tem trazido à luz personagens marcantes, imersos no torvelinho de surpresas e de transgressões do cotidiano. Uma década depois desta estreia, esses personagens retornam, juntos, em “Eu sou eles”, volume de fragmentos que mistura vozes, estilos e gêneros.

“Eu sou eles” reúne trechos adaptados de todos os romances, poemas, crônicas, peças de teatro e roteiros cinematográficos já escritos pelo autor. Não é uma antologia, como esclarece em entrevista ao blog da Record, mas sim um exercício de desconstrução, em que o escritor transmuda gêneros, assume o papel de seus personagens e os incorpora. “Desconstruí tudo o que havia produzido, para então, com as peças soltas e embaralhadas, montar o quebra-cabeça, formando um todo que me revelasse e desse sentido”, explica. Um livro “fruto da paixão”, nascido do susto, a replicar e transformar o vozerio ficcional em estímulo para o pensamento.

A obra vem a lume com o subtítulo “fragmentos”. Suas páginas apresentam poemas, pensatas, reflexões, narrativas curtíssimas e memórias. É como se o autor repassasse sua história, desde a juventude, quando perseverou nos primeiros escritos, até os dias de hoje. Agora, Francisco se dedica ao próximo romance, “A roupa do corpo”, que deve ser lançado em 2020. Nele, além de personagens inéditos, com seus dramas e questões, estarão reunidas as novas gerações dos três romances anteriores – “O arroz de Palma”, “Doce Gabito” e “Os novos moradores”. “Me alegra demais ver que, de repente, por força do destino ou do acaso, essa turma mais jovem se encontra, cruza suas histórias e experiências. Vida que segue”, comemora.

Romancista, dramaturgo, roteirista, poeta e ex- diplomata, Francisco Azevedo nasceu no Rio de Janeiro em 1951. Começou a se dedicar à literatura em 1967, quando venceu concurso promovido pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Além de livros e peças de teatro, encenadas no Brasil e no exterior, escreveu para mais de 250 produções audiovisuais. Seu primeiro romance, o best-seller O arroz de Palma, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e já conquistou milhares de leitores em todo o mundo, tendo sido traduzido para treze idiomas. É autor, também pela Editora Record, dos romances Doce Gabito e Os novos moradores.

Serviço

“Eu sou eles”
Francisco Azevedo
294 páginas
R$ 39,90
Editora Record |Grupo Editorial Record

Anterior História do país na exposição "Capitais do Brasil" até janeiro
Próximo Fontaines D.C lança as “Too Real” e “The Cuckoo Is A-Callin”