As sessões da peça Tsunami são gratuitas e acontecem em escolas públicas de Planaltina e Sobradinho

Ganhador do Prêmio SESC do Teatro Candango 2018 na categoria melhor atriz e melhor cenografia, além de ser indicado nas categorias de melhor espetáculo, direção e dramaturgia, “Tsunami” está de volta. Desta vez, as sessões da peça – dirigida por Jonathan Andrade – acontecem em escolas públicas de Sobradinho e Planaltina, e no Complexo Cultural de Planaltina.

O espetáculo faz parte do projeto artístico e pedagógico  “Mediações: espectadores em comunidade”, idealizado pelo artista e educador Wellington Oliveira. Com abordagem inovadora no campo da mediação teatral, a iniciativa se propõe a  construir com grupos de estudantes a proposta de formação de espectadores que será desenvolvida nas escolas em que o espetáculo irá se apresentar. Antes de cada sessão, as oficinas articuladas de forma colaborativa serão multiplicadas pelos próprios estudantes em suas escolas, integrando um conjunto de ações pedagógicas que vão ampliar as possibilidades de conexão dos espectadores com a peça.

Em cena, a atriz Ana Flávia Garcia dá vida a uma sobrevivente de um mundo devastado e deslocada de seu território. Estrangeira e refugiada, ela é fluente apenas em um idioma desconhecido por todos. Mesmo com a ausência de palavras compreensíveis, ela busca resgatar suas memórias e construir uma narrativa sobre os diversos tempos de sua vida, propondo um jogo de espelhamentos que coloca o espectador diante de sua própria existência.

“Em tempos de grandes conflitos globais, guerras, disputas territoriais, crises migratórias, políticas e sociais, as diferenças tornam-se cada vez mais presentes. O contexto nos desafia a construir diálogos plurais e capazes de abarcar estas diferenças comuns a todos os sujeitos”, detalha Wellington Oliveira. “Tsunami propõe um exercício de aproximação por meio do afeto, tendo como ponto de partida sentimentos que atravessam qualquer ser humano, para lançar um olhar sobre os desafios que o tempo presente nos solicita enquanto indivíduos e sociedade”, completa.

Patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, “Tsunami” deve ser visto por, aproximadamente, 1.500 estudantes da rede pública.

Serviço

Espetáculo Tsunami

Sessão aberta à comunidade
No Complexo Cultural de Planaltina
(Av. Uberdan Cardoso, Setor Administrativo, Via WL 02, Lote 02)
Dia 25 de outubro, às 10h, sessão aberta do espetáculo.

Sessões exclusivas para escolas
No Centro de Ensino Médio 01 de Planaltina:

  • De 21 a 24 de outubro, Oficinas de capacitação de mediadores teatrais.
  • Dia 24 de outubro, Oficina de formação de espectadores e apresentação do espetáculo no auditório da escola.

No Centro Educacional Vale do Amanhecer:

  • De 22 a 25 de outubro, Oficinas de capacitação de mediadores teatrais.
  • Dia 25 de outubro, Oficina de formação de espectadores na escola.

No Centro Educacional 02 de Sobradinho:

  • De 28 a 30 de outubro, Oficinas de capacitação de mediadores teatrais.
  • Dia 31 de outubro, Oficina de formação de espectadores na escola e apresentação do espetáculo no Teatro de Sobradinho (anexo à escola).

No Centro de Ensino Médio 01 de Sobradinho:

  • De 05 a 07 de novembro, Oficinas de capacitação de mediadores teatrais.
  • Dia 08 de novembro, Oficina de formação de espectadores na escola e apresentação do espetáculo no auditório da escola.

Sempre com entrada franca.
Não recomendado para menores de 14 anos.
Informações: (61) 98216-0481 e www.espetáculotsunami.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/espetaculotsunami/

Ficha Técnica

Direção, encenação e dramaturgia: Jonathan Andrade
Atriz criadora: Ana Flávia Garcia
Sonoplastia: Tomás Seferin.
Iluminação: Moises Vasconcellos
Vídeo Mapping: Fernando Gutierrez.
Coordenação artístico-pedagógica, produção executiva, idealização e direção de projeto: Wellington Oliveira.
Concepção de projeto educativo: Martha Moraes e Wellington Oliveira.
Arte-Educadores: Maria Eugênia Félix, Martha Moraes e Wellington Oliveira
Produção: Naná Maris Produções
Assessoria de imprensa: Maíra de Deus Brito

Anterior Pocket show sobre a mulher contemporânea com Simonia Queiroz
Próximo Música, dança e comédia animam o fim de semana em Samambaia