João Bosco lança obra poética


Escritor João Bosco lança primeira e inovadora obra poética aos 65 anos. Livro “ Alelos Esmeraldinus” revela um universo de memórias familiares, além de estimular a terceira idade e pessoas com deficiência visual

São 65 anos de vida, de muitas estradas, memórias e bons casos para contar e recitar. Tudo isto com leveza, letras poéticas e inovadoras formas de se fazer poesia. O então servidor público João Bosco Rolim Esmeraldo pode ter largado a antiga profissão de industriário, mas nunca abandonou a literatura que o persegue desde os 16 anos. E é agora, após tantos anos, que ele aproveitou o momento da aposentadoria para lançar sua primeira obra: o livro de poesias “Alelos Esmeraldinus – Literatura em Estilos Inovadores” no dia 28 de novembro, a partir das 19h30, na livraria Fnac do ParkShopping (Guará). A noite com sessão de autógrafos terá também uma apresentação do músico brasiliense William Silva, que fará um pocket show com um repertório formado por sucessos da MPB e pop rock nacional.

Em 164 páginas, o autor vai revelar mais de 40 novos estilos poéticos de sua autoria e, ainda, mostrar cerca de 139 poesias e 68 aforismos (pensamentos proverbiais) para os leitores ávidos. No seu “Alelos Esmeraldinus” – trocadilho poético que faz referência ao DNA de sua família –, João Bosco explora temas diversos: amor, infância, memórias, fases da vida, dentre outros. Tudo com bom humor e nostalgia de quem guarda lembranças de várias fases de sua vida e de histórias que chamam a atenção e provocam a identificação de todas as gerações.

Cearense, o escritor se mudou para Brasília em 2012. E foi no DF que ele viu a oportunidade de embarcar na sonhada carreira artística de escritor. “Foi aqui, na capital, que tive, após a aposentadoria, a oportunidade de lançar esta obra. Fui também incentivado por um programa que estimula os aposentados a se sentirem vivos e ativos. Desde criança eu lia embaixo das árvores e sempre escrevia sobre momentos da minha vida. Agora vou poder expor isto”, ressalta o escritor.

Além de dar uma lição de como “viver bem a fase da aposentadoria com arte”, Bosco vai mostrar seus novos estilos literários. Como o “Gradílio”, forma poética que caracteriza poesias escritas respeitando o gradual. Isto é, o início, o meio e o fim conclusivo. Ainda, a “Foslex”, que se traduz como texto-luz. Ou seja, uma poesia de luz, de reverberação. Tem também o gênero “Calidospoese”, que se remete a um caleidoscópio e às formas circulares. “Para mim, a poesia é como um caleidoscópio. A depender do poeta e sua inspiração, o mesmo tema pode gerar multiformes poesias, a partir do toque e percepção de cada um”, conclui Bosco.

PARA TODOS OS PÚBLICOS

O lançamento de “Alelos Esmeraldinus” vem ainda com uma proposta que visa incentivar pessoas com deficiência visual. Além do livro, o autor vai também lançar a versão em CD, com poesias acompanhadas de fundos musicais e recitadas pelo premiado ator veterano Andrade Júnior. Andrade é um dos artistas da velha guarda mais conhecidos em Brasília.

“E ele recitou as poesias de uma forma encorpada. Quem escutar vai entrar nas histórias. Esta é uma forma de estimular pessoas com deficiência visual. A literatura deve se espalhar e ser um direito de todos”, diz. “Quero também incentivar as pessoas da terceira idade a colocarem para fora seu potencial. Sabe-se hoje por meio de pesquisas que grande parte dos aposentados entra em depressão ou até se suicida pelo ócio. Estamos vivos”, completa, orgulhoso.

As músicas de fundo são de autoria do poeta Bosco e do professor e maestro Jair Ferreira Santos. Eles fizeram 22 e 9 faixas, respectivamente.
O livro “Alelos Esmeraldinus” é uma realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal com patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura e Secretaria de Cultura do Distrito Federal. A publicação conta com belas ilustrações do baiano Alexandro Vieira Rolim, radicado em Belém (PA) e diagramação do seu filho, o cineasta Tiago Esmeraldo. A revisão ficou por conta de Maria de Jesus.

Serviço

Lançamento de Alelos Esmeraldinus – Literatura em estilos inovadores. Uma obra poética de João Bosco Rolim Esmeraldo
Dia 28 de novembro (segunda-feira), na livraria Fnac (ParkShopping – Guará)
Horário: 19h30
Entrada franca
Telefone para informações: 2105-2000
Classificação livre.

Anterior KALO - Filhos do Vento
Próximo Prêmio Vera Brant