Dentre as estreias da semana, destaque para o filme alemão “Todos os Outros”, inédito no Brasil; para o senegalense “Madame Brouette”, para os títulos da programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema, que serão exibidos em ambiente exclusivo no Sesc Digital, além da série de curtas para a garotada pelo CineClubinho.

A série Cinema #EmCasaComSesc oferece a cada semana streaming gratuito de filmes em alta qualidade e sem necessidade de cadastro; para assistir, acesse:

sescsp.org.br/ cinemaemcasa

A série Cinema #EmCasaComSesc, realizada pelo Sesc São há mais de quatro meses, disponibiliza gratuitamente ao público novos filmes em streaming pela plataforma do Sesc Digital. Na próxima quinta-feira (22/10), a série estreia as obras de ficção “Requiem Para Senhora J.” e “La Sapienza”, o título inédito “Todos os Outros”, pela Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!, o senegalense “Madame Brouette”, pelo Cine África, e um programa especial de curtas para a garotada, pelo CineClubinho. A grande novidade da semana é a exibição, a partir do dia 22/10 – e com estreias também nos dias 26/10 e 29/10 – , de uma seleção gratuita de filmes da programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, em ambiente exclusivo no Sesc Digital, numa parceria do Sesc São Paulo com a Mostra.

Disponível a partir de 24/10, o filme “Todos os Outros”, de Maren Ade, é o destaque da “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!”. Inédito no Brasil, e com limite de visualização para 1700 usuários, o filme conta a história de Chris e Gitti, que estão em um aparente idílio amoroso durante as férias na Sardenha. Porém, em meio as brincadeiras, aos rituais íntimos e aos hábitos fúteis, o relacionamento esconde uma tensão. Numa tentativa de viver perigosamente, Chris começa a revelar seu gênio voluntarioso, querendo mostrar à namorada quem domina na relação. Com isso, a confiança que ela depositava nele sofre um duro golpe. Classificação indicativa 14 anos.

A “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!” é uma realização do Consulado Geral da República Federal da Alemanha em parceria com o Sesc São Paulo e que neste ano comemora os 30 anos da Reunificação Alemã. Até 13 de novembro, seis premiados títulos dirigidos por mulheres serão disponibilizados gratuitamente no Sesc Digital. A cada sábado, uma nova opção entra em cartaz, todas legendadas em português. Para assistir, basta acessar sescsp.org.br/ cinemaemcasa .

Nesta semana, pelo Cine África – que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia e Nigéria -, a estreia é a obra de ficção senegalesa “Madame Brouette”, de Moussa Senè Absa. Mati, também conhecida como Madame Brouette, ganha a vida empurrando seu carrinho de mão nos corredores da feira livre de Sandaga (Senegal). Divorciada, sonha em abrir a própria lanchonete para ganhar a vida com dignidade, junto com a filha, Ndèye, e a amiga, Ndaxté, que também fugiu de um casamento violento. Um dia, ao amanhecer, os moradores do distrito de Niayes Thiokeert são acordados pelo som de tiros. Brouette confessa ter matado o ex-marido e seus vizinhos se unem em sua defesa. Classificação indicativa 12 anos.

O Cinema #EmCasaComSesc também traz outras boas opções. O filme “Requiem Para Senhora J.”, de Bojan Vuletić, fala de Jelena, cujo marido morreu há um ano. Ela se sente cansada e solitária, apesar de viver junto com as duas filhas e a sogra, em seu apartamento na Sérvia. Jelena decide que no final da semana, no aniversário da morte do marido, irá se suicidar. Ela tem uma pistola pronta, mas há uma série de coisas para resolver. Aos poucos, esta mulher tranquila e humilde começa a perceber que nada é simples em um país que está constantemente caminhando entre o tormento e a transição. Classificação indicativa 14 anos.

Outra sugestão é “La Sapienza”, de Eugène Green. Alexandre é um arquiteto bem-sucedido que vai para a Itália trabalhar num livro acompanhado de sua esposa, Alienor, que sente o casamento abalado. Em Stresa, conhecem Goffredo, futuro estudante de arquitetura, e sua irmã, Lavinia, que sofre de um transtorno nervoso. Enquanto Alienor fica com Lavinia, Alexandre continua sua viagem com Goffredo. A separação será o início de uma nova jornada para o casal. Classificação indicativa 12 anos.

A novidade da semana é a exibição de títulos que integram a programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo no Sesc Digital, a partir do dia 22/10, e com estreias também nos dias 26/10 e 29/10, em uma parceria do Sesc São Paulo com a Mostra. Os filmes, que poderão ser vistos no ambiente exclusivo da plataforma de streaming do Sesc (sescsp.org.br/44mostra), têm limite de mil a 2 mil visualizações. “Para o Sesc, o apoio a difusão de filmografias mundiais é fundamental para a expansão do acesso da diversidade de obras para todos os públicos. O cinema, como prática social e simbólica, tem sinalizado – de modo cada vez mais pulsante – que a arte é lupa que amplia a crítica da realidade”, comenta Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

As estreias na quinta-feira, dia 22/10, são os títulos “Sem Cabeça”, “Nimby”, “O Caminho para Moscou”, “Luz Acesa”, “O Mágico e o Delegado” e “Guerra”. Já na segunda-feira, dia 26/10, as estreias são os títulos “1986”, “Sobradinho”, “Winona”, “A Herdade” e “Ladrões de Cinema”. Confira as sinopses na programação abaixo.

Pelo CineClubinho, novo espaço na Plataforma Sesc Digital que apresenta o melhor do cinema infantil e infanto-juvenil, o destaque da semana é uma programação de curtas de animação que falam de convivência e o relacionamento, seja com pais, com amigos ou mesmo com pessoas “indesejadas”. O título “Menina da Chuva”, de Rosária, fala de bonecas vermelhas para as meninas vermelhas, bolas azuis para os meninos azuis. “Calango Lengo – Morte e Vida Sem Ver Água”, de Fernando Miller, trata de Calango Lengo, nordestino que tem que cumprir seu destino, sem ter o que colocar no prato. “Dia Estrelado”, de Nara Normande, mostra um lugar inóspito, onde um menino e sua família lutam pela sobrevivência. “Eu Queria Ser Um Monstro”, de Marão, traz o cotidiano de uma criança com bronquite. E “Historietas Assombradas (Para Crianças Mal Criadas)”, de Victor-Hugo Borges, apresenta três histórias que sua avó não contou – senão, você ia fazer xixi na cama.

PROGRAMAÇÃO #EmCasaComSesc

Estreias 22/10

REQUIEM PARA SENHORA J.
(Dir.: Bojan Vuletić | Sérvia, Bulgária, Macedônia, Rússia, França |2017 | 94 min | Ficção | 14 anos)
Jelena já viveu o suficiente. Seu marido morreu há um ano, ela se sente cansada e solitária apesar de suas duas filhas e sua sogra, todas vivendo em seu apartamento. Ela decidiu que, no final da semana, no aniversário da morte do marido, ela se suicidará. Ela tem uma pistola pronta. Mas, há uma série de coisas para resolver: ela precisa devolver uma poltrona que pegou emprestada com um vizinho, colocar sua fotografia na lápide e renovar seu cartão de seguro de saúde. Gradualmente, esta mulher tranquila e humilde começa a perceber que nada é simples em um país que está constantemente caminhando entre o tormento e a transição.

LA SAPIENZA
(Dir.: Eugène Green | França, Itália | 2014 | 105 min | Ficção | 12 anos)
Alexandre, um arquiteto bem-sucedido, vai para a Itália trabalhar num livro acompanhado de Alienor, sua esposa, que sente o casamento abalado. Em Stresa, conhecem Goffredo, futuro estudante de arquitetura, e sua irmã Lavinia, sofrendo de um transtorno nervoso. Enquanto Alienor fica com Lavinia, Alexandre continua sua viagem com Goffredo. A separação será o início de uma nova jornada para o casal. Uma história de amor que se desenvolve no paralelo entre arquitetura e inspiração artística. O título se refere à igreja de Sant’Ivo alla Sapienza, em Roma.

MOSTRA ALEMÃ DE CINEMA: ELAS DIRIGEM!

TODOS OS OUTROS
(Dir.: Maren Ade | Alemanha | 2009 | 119 min | Ficção | 14 anos)
Chris e Gitti estão em um aparente idílio amoroso durante as férias na Sardenha. Porém, em meio às brincadeiras, aos rituais íntimos e aos hábitos fúteis, esconde-se uma tensão. Cheia de entusiasmo, ela não teme expressar o amor que sente por Chris, enquanto ele é mais reservado em relação à exposição de sua vida pessoal e profissional, demonstrando certa insegurança. Numa tola tentativa de viver perigosamente, Chris começa a revelar seu gênio voluntarioso, querendo mostrar à namorada quem domina o relacionamento. Com isso, a confiança que ela depositava nele sofre um duro golpe. Gitti tenta se conformar com o novo comportamento de Chris, mas o que começara como uma experiência lúdica logo se transforma numa luta contra a própria personalidade. Enquanto ele se afirma como o mais forte da relação, ela começa a perder a cabeça.

[Disponível a partir de 24/10. Limite de visualização para 1700 usuários]

CINE ÁFRICA

MADAME BROUETTE
(Dir.: Moussa Senè Absa | Senegal, França, Canadá | 2002 | 101 min | Ficção | 12 anos)
Mati, também conhecida como Madame Brouette, ganha a vida empurrando seu carrinho de mão nos corredores da feira livre de Sandaga (Senegal). Divorciada, ela sonha um dia abrir sua própria lanchonete para ganhar a vida com dignidade, junto com sua filha, Ndèye, e sua amiga, Ndaxté, que também fugiu de um casamento violento. Um dia, ao amanhecer, os moradores do distrito de Niayes Thiokeert são acordados pelo som de tiros. Madame Brouette confessa ter matado o marido e todos seus vizinhos se unem para defendê-la.

[Disponível de 22 a 28/10]

44ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA EM SÃO PAULO

Estreias a partir de 22/10:

SEM CABEÇA
(Bisar | Dir.: Kaveh Sajjadi Hosseini | Irã | 2020 | cor | 93 min | Ficção | 16 anos)
Arghavan é uma mulher perto da meia-idade. Quando ela o marido levam o cachorro de estimação ao veterinário, eles descobrem que alguém forçou o animal a comer muitos doces, o que, provavelmente, o deixará cego. Arghavan decide que não quer mais cuidar do cão e, por isso, o casal precisa encontrar um novo lar para o bichinho. Ela tenta matá-lo, mas quando o marido descobre, um segredo vem à tona: o chefe de Arghavan a estuprou, e o cachorro foi testemunha desse crime. Existe um buraco que casais normalmente tentam esconder para salvar o casamento. Adotar um animal de estimação é uma forma de encobrir esse buraco. O buraco que transforma o amor em hábito.

[limite de 2000 visualizações]

NIMBY
(Nimby | Dir.:Teemu Nikki | Finlândia | 2020 | cor | 93 min | Ficção| 14 anos)
Perspectiva Internacional
Mervi é uma garota gay que mora em um bairro hipster de Helsinque, na Finlândia. Ela vive com a namorada, Kata, há quase um ano. O casal, finalmente, está pronto para assumir seu relacionamento em público. Mas ainda é preciso contar para as famílias: os pais de Mervi podem aceitar mais facilmente que os de Kata, que moram em Berlim e são muçulmanos. As meninas precisam tomar coragem para enfrentar a mãe de Kata, uma política famosa, quando ela vai visitá-las em Helsinque.

[limite de 2000 visualizações]

O CAMINHO PARA MOSCOU
(Moskau Einfach! | Dir.: Micha Lewinsky | Suíça | 2020 | cor | 99 min. | Ficção | 14 anos)
Perspectiva Internacional
Em 1989, a Suíça se deparou com a revelação de um escândalo nacional: mais de 900 mil pessoas foram monitoradas por suas convicções políticas durante o período da Guerra Fria. É nesse contexto que o policial Viktor Schuler é enviado ao teatro Schauspielhaus, de Zurique, para observar e monitorar a cena teatral de esquerda local. No entanto, logo ele se apaixona por uma das atrizes da companhia, Odile, a quem deveria justamente vigiar. Viktor se vê em uma encruzilhada sem volta: ele deverá escolher entre sua missão e o seu coração.

[limite de 1000 visualizações]

LUZ ACESA
(Dir.: Guilherme Coelho | Brasil | 2020 | cor | 69 min | Documentário| 16 anos)
Mostra Brasil
O documentário retrata cinco pessoas que tentam se recuperar do alcoolismo ou do uso abusivo de substâncias. As diferentes narrativas mostram aspectos variados do vício: há um artista que parou de beber sem a ajuda dos Alcoólicos Anônimos; um homem sóbrio há 23 anos que auxilia quem tenta vencer a dependência das drogas; uma mulher que passou por internação; um aposentado que ainda precisa superar o vício; e um homem já recuperado que vive na periferia do Rio de Janeiro.

[limite de 1000 visualizações]

O MÁGICO E O DELEGADO
(Dir.: Fernando Coni Campos | Brasil | 1983 | cor | 103 min | Ficção| 16 anos)
Apresentação Especial
Um mágico e sua assistente chegam a uma pequena cidade do interior da Bahia para apresentar um espetáculo de variedades. A estreia da dupla é frustrada pela prepotência do delegado. O dia seguinte é o dia da feira local. Comovida pela pobreza da feira, Paloma sugere a Velasquez, o mágico, um grande truque que traga fartura para onde existe a miséria, o que é feito. No entanto, a mágica dura pouco e, logo, a cidadezinha volta à sua pobreza habitual. Há uma grande revolta e o delegado prende Velasquez. Na cadeia, ele é colocado numa cela comum onde já estão quatro outros presos; a presença do ilusionista quebra a rotina da vida carcerária e coisas espantosas e maravilhosas começam a acontecer.

[limite de 2000 visualizações]

GUERRA
(Dir.: José Oliveira, Marta Ramos | Portugal | 2020 | cor | 104 min | Ficção | 14 anos)
A partir das recordações de um professor de língua portuguesa na atualidade, seguimos Manuel, seu pai, ex-combatente da guerra colonial e constantemente atormentado por essas lembranças. Iremos com ele até́ o fundo dos lugares físicos que o obcecam -dos quartéis da formação até aos lagos e jardins da sua juventude- bem como ao abismo da sua memória: a guerra e a paixão juntas, inseparáveis, numa batalha que pergunta ou grita as imemoriais dúvidas existenciais.

[limite de 2000 visualizações]

Estreias a partir de 26/10 (com limite de 2 mil visualizações):

1986
(1986 | Dir.: Lothar Herzog | Alemanha, Belarus | 2019 | cor | 77 min. | Ficção | 16 anos)
Perspectiva Internacional
Elena é uma estudante que vive em Minsk, na Belarus. Ela é apaixonada pelo namorado, Victor, ainda que a relação seja cada vez mais difícil. Depois que seu pai é preso, a jovem precisa dar continuidade aos seus negócios ilegais. Para fechar acordos em nome dele, Elena tem que dirigir um caminhão inúmeras vezes em direção à zona proibida de Chernobyl. Ela passa a se sentir atraída pela beleza do local – enquanto sua vida parece cada vez mais contaminada por uma força destrutiva. Enquanto Elena adentra essa região, ela imerge em um ambiente surreal que a confronta com o passado e com a história de sua família, e revela como o impacto do acidente de Chernobyl permanece presente mais de 30 anos após o ocorrido.

[limite de 2000 visualizações]

SOBRADINHO
(Dir.: Marília Hughes, Cláudio Marques | Brasil | 2020 | cor | 70 min | Documentário | Livre)
Mostra Brasil
Nos anos 1970, uma barragem e uma usina hidrelétrica foram construídas em Sobradinho. O governo da época, comandado pelo regime militar, achou que aquela pequena cidade, no sertão nordestino, seria o local ideal para aquelas construções porque não haveria grande resistência dos moradores. Assim, 73 mil pessoas foram deslocadas -é uma das maiores migrações forçadas da história do Brasil. Quatro cidades e dezenas de vilas ficaram submersas. Dona Pequenita foi a única habitante a retornar ao local; lá, ela vive em uma cidade-fantasma. Pequenita recebe a visita de três agentes sociais, que possuem vídeos e fotos antigas da região.

[limite de 2000 visualizações]

WINONA
(Winona | Dir.: Alexandros Voulgaris | Grécia | 2019 | cor | 88 min | Ficção | 16 anos)
Perspectiva Internacional
Parece um passeio comum em uma praia deserta: quatro jovens mulheres aproveitam o calor do sol e a brisa do mar. Nenhuma delas se chama Winona. O dia passa em meio a brincadeiras inocentes e conversas de garotas, enquanto ouvem música e dançam. O riso entre elas é pontuado por lágrimas, e as lágrimas são lavadas pela imaginação. Até que o dia chega ao fim e as quatro precisam se despedir. Despretensiosamente misteriosa e profundamente comovente, a narrativa se revela por meio de uma linguagem de intimidade, tecida por amor e tristeza, e mantém seu doloroso segredo até o fim.

[limite de 2000 visualizações]

A HERDADE
(The Domain | Dir.: Tiago Guedes | Portugal, França | 2019 | cor | 166 min. | Ficção | 16 anos)
Perspectiva Internacional
A saga de uma família proprietária de um dos maiores latifúndios da Europa, na margem sul do rio Tejo, convida-nos a mergulhar profundamente nos segredos da sua Herdade, fazendo um retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal dos anos 1940, atravessando a Revolução dos Cravos até os dias de hoje. A Herdade (palavra que vem de “hereditas”, do latim, tal como herança) funciona como uma enorme ilha dentro de um país dominado por uma ditadura fascista. Uma espécie de reino comandado por um príncipe anarquista e progressista, mas que inevitavelmente se chocará de frente com a vontade de mudança de um povo.

[limite de 2000 visualizações]

LADRÕES DE CINEMA
(Dir.: Fernando Coni Campos | Brasil | 1977 | cor & pb | 127 min. | Ficção | 14 anos)
Apresentação Especial
Durante o Carnaval, no Rio de Janeiro, uma equipe de cineastas norte-americanos tem seu material de filmagem roubado no bloco que eles estavam documentando. Os ladrões, do morro do Pavãozinho, resolvem eles mesmos fazer um filme, tendo a Inconfidência Mineira como tema. A população da comunidade adere à ideia com o mesmo espírito da preparação de uma escola de samba, com exceção de Silvério, que preferia vender o equipamento e dividir o dinheiro. A obra é realizada, mas a polícia recupera o material e prende os larápios. Os americanos, então, levam o filme para os Estados Unidos, lançando-o com o título Sweet Thieves, com sucesso de público e crítica.

[limite de 2000 visualizações]

CINECLUBINHO

SESSÃO DE CURTAS: Convivência (58 min.)
Animações que mostram a convivência e o relacionamento entre as pessoas, seja com os pais, com os amigos ou mesmo com pessoas “indesejadas”.

MENINA DA CHUVA
(Dir: Rosária | Brasil | 2010 | 7 min | Livre)
Bonecas vermelhas para as meninas vermelhas, bolas azuis para os meninos azuis.

CALANGO LENGO – MORTE E VIDA SEM VER ÁGUA
(Dir.: Fernando Miller | Brasil | 2008 | 10 min | Livre)
Calango Lengo, nordestino, tem que cumprir seu destino, sem ter o que pôr no prato. Na seca não há outra sorte: viver fugindo da morte, como foge o rato do gato.

DIA ESTRELADO
(Dir.: Nara Normande | Brasil | 2011 | 17 min| Livre)
Em um lugar inóspito, um menino e sua família lutam pela sobrevivência.

EU QUERIA SER UM MONSTRO
(Dir.: Marão | Brasil | 2009 | 8 min| Livre)
O cotidiano de uma criança com bronquite.

HISTORIETAS ASSOMBRADAS (PARA CRIANÇAS MAL CRIADAS)
(Dir.: Victor-Hugo Borges | Brasil | 2005 | 16 min | Livre)
Três histórias que sua avó não contou, senão você ia fazer xixi na cama.

CINESESC

Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o CineSesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros. O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.

Série Cinema #EmCasaComSesc

Desde o início de junho, o CineSesc realiza a série Cinema #EmCasaComSesc, em sua plataforma sescsp.org.br/cinemaemcasa, com estreias semanais. A iniciativa de oferecer filmes em streaming em sua nova plataforma digital reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente online, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas online e gratuitamente.

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira (considerando a semana de cinema de quinta à quarta-feira). Há ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado desde o mês de março, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

SIGA O SESC NAS REDES:
Facebook/Twitter/Instagram

Fase Beta
As versões da plataforma do Sesc Digital encontram-se em fase beta, ou seja, novidades e melhorias serão implementadas a partir das interações que se desenvolverem entre o público e os recursos. Além disso, o catálogo será expandido periodicamente, englobando novas temáticas e linguagens.

+ SESC NA QUARENTENA

Desde o final de agosto, cinco meses após a suspensão majoritária do atendimento presencial nas unidades, o Sesc São Paulo anunciou uma parcial e gradativa retomada, com um número restrito de atividades, dirigidas aos alunos que já eram inscritos nos cursos de Ginástica Multifuncional, Práticas Corporais e Corrida, além de pacientes das Clínicas Odontológicas cujos tratamentos foram interrompidos pela pandemia. Todas essas atividades serão previamente agendadas, visando restringir a circulação de público no interior das unidades. Todas as 40 unidades do estado darão início a essa retomada gradual à medida que os municípios em que estão instaladas atinjam a classificação necessária para reabertura, estabelecida pelo Plano São Paulo do Governo do Estado, e em conformidade com as regulações municipais.

Paralelo à retomada gradual de alguns serviços presenciais, a instituição segue oferecendo um conjunto de iniciativas on-line, que garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita. Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

Mesa Brasil Tecido Solidário Teatro Música Dança Cinema Esporte Crianças Ideias SescTV Selo Sesc Edições Sesc São Paulo Youtube Sesc São Paulo Instagram Sesc Ao Vivo Portal Sesc SP

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: http://www.sescsp.org.br/sescdigital

Anterior Primor ensina uma deliciosa receita de bolo de cupuaçu
Próximo Live com Hamilton de Holanda no Bossa Criativa