Cinema #EmCasaComSesc estreia mais quatro filmes nesta semana e promove bate-papo com Christian Dunker sobre novos hábitos do público com a reabertura das salas

A partir de quinta-feira, 16 de julho, o Sesc Digital disponibiliza documentário do diretor russo Alexander Sokurov gravado no Museu do Louvre, uma produção franco-alemã que é uma experiência fotográfica da diretora Agnés Varda pela França, o brasileiro Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano, e ainda um filme estoniano carregado de muito mistério e fantasia; live com o psicanalista Christian Dunker e a crítica de cinema Maria do Rosário Caetano acontece nesta quarta, 15, às 20h, no YouTube do CineSesc.

A série Cinema #EmCasaComSesc oferece a cada semana streaming gratuito de filmes em alta qualidade e sem necessidade de cadastro; Para assistir, acesse sescsp.org.br/cinemaemcasa.

E no próximo dia 23, o SescTV lança a série Cena Inquieta, com 26 documentários dedicados ao teatro sob curadoria de Silvana Garcia e direção de Toni Venturi.

Lançada há pouco mais de um mês e com mais de 100 mil visualizações, a programação de filmes em streaming do Sesc São Paulo, na plataforma Sesc Digital, oferece mais quatro novos títulos a partir desta quinta-feira, 16 de julho. Basta acessar o Cinema Em Casa para conferir longas e documentários, sempre a partir de quinta-feira, com acesso gratuito a qualquer hora do dia para ver e rever quando e onde quiser, e sem necessidade de cadastro.

Antes, na quarta, 15, o CineSesc promove em seu canal no YouTube (@youtube.com/cinesesc) o bate-papo CINEMA DA VELA – De Volta para o Cinema?. Uma conversa com o psicanalista Christian Dunker e a crítica de cinema Maria do Rosário Caetano, sobre como voltar a frequentar as salas de cinema adotando novos hábitos. Num possível horizonte de retomada das atividades culturais, muitas questões povoam o imaginário dos frequentadores de cinema. Enquanto a sala representava o escuro necessário para a imersão e entrega diante de uma experiência estética construída em comunhão, como a realidade de uma pandemia pode afetar o desejo pela experiência coletiva do cinema? A mediação será do jornalista Sandro Macedo.

Nesta semana, o #EmCasaComSesc exibe o docudrama Francofonia – Louvre sob Ocupação, de Alexander Sokurov, indicado ao Leão de Ouro no Festival de Veneza de 2015. A obra que se situa entre a ficção e o documentário foi filmada no Museu do Louvre, na França, e sua trama se passa em 1940, à época da Segunda Guerra Mundial. O diretor do museu e um oficial alemão trabalham juntos para proteger as obras de arte dos nazistas. Um filme que aborda a relação entre arte e poder e questiona o quanto a arte pode nos ensinar sobre nós mesmo, inclusive nos momentos mais sangrentos do mundo.

Outra estreia da semana é o brasileiro Corpo Elétrico, do diretor Marcelo Caetano. Um drama ficcional que conta a história de Elias, assistente da estilista Diana em uma confecção de roupa feminina. O verão está chegando e seu sonho é conhecer o mar. Na fábrica, as responsabilidades aumentam à medida em que o fim de ano se aproxima. Depois de uma noite fazendo hora extra, Elias e os operários decidem sair e tomar uma cerveja. É quando novas possibilidades de encontros surgem no horizonte de Elias.

A partir desta quinta, 16, o público também poderá conferir o documentário franco-alemão Visages Villages, da cineasta belga Agnès Varda e do fotógrafo e artista urbano francês JR, pseudônimo de Jean Réné, e muito conhecido por suas exposições fotográficas ao ar livre. O filme é uma experiência fotográfica e cinematográfica destes dois talentos mundialmente reconhecidos por questionarem a cultura da exibição das imagens. Juntos, eles viajam por regiões da França bem longe dos centros urbanos, com um caminhão que captura imagens de forma mágica.

E fechando a lista de estreias da semana, uma produção da Estônia, no norte da Europa. Muito mistério e fantasia em A Sociedade Secreta de Souptown, do diretor Margus Paju. Em pleno festival de verão da cidade, Mari e seus amigos notam algo estranho: todos os adultos estão agindo como crianças! Eles pedem ajuda ao avô de Mari e recebem um caderno antigo com pistas para o antídoto contra a epidemia misteriosa que está afligindo a cidade. Com apenas 48 horas para reverter a maldição e um misterioso homem mascarado em seu encalço – a Sociedade Secreta sai em sua missão mais importante.

A programação do Cinema #EmCasaComSesc contempla quatro eixos principais neste primeiro momento. Uma curadoria de clássicos do cinema, em sua maioria cópias restauradas e exclusivas na plataforma; uma seleção contemporânea internacional, com filmes que tiveram uma trajetória relevante em festivais no mundo todo e que merecem uma nova oportunidade de exibição ao público; uma janela dedicada ao cinema nacional, com produções de grande alcance de público e filmes independentes que merecem maior espaço de exibição – haverá também destaque aos documentários, ponto forte na produção cinematográfica brasileira; e por fim, uma seleção de filmes infanto-juvenis, visando a formação de público, desde os primeiros anos de vida, para a diversidade do cinema e ampliação do lastro de narrativas.

A iniciativa de oferecer filmes em streaming em sua nova plataforma digital reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente online, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas online e gratuitamente.

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira (considerando a semana de cinema de quinta à quarta-feira). Haverá ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado desde o mês de março, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

+ FILMES EM CARTAZ

Quem navega pela plataforma Sesc Digital encontra outras 22 opções de filmes que permanecem disponíveis para acesso gratuito e irrestrito do público. Em Cinema Em Casa , há o clássico De Crápula a Herói, de Roberto Rossellini, o alemão Manifesto, do cineasta e multiartista Julian Rosefeldt, o terror surrealista A Hora do Lobo, do sueco Ingmar Bergman, e a cópia restaurada de Mamma Roma, de Pier Paolo Pasolini.

Também permanecem no serviço de streaming do Sesc São Paulo, o belo A Carruagem de Ouro, do francês Jean Renoir, Os Palhaços, de Federico Fellini, Academia das Musas, de José Luis Guerín, Violência e Paixão, de Luchino Visconti e Paterson, de Jim Jarmusch.

A produção do cinema nacional tem um espaço de destaque no Sesc Digital, com 11 títulos, entre filmes, documentários a animações. A lista conta com Vou Rifar Meu Coração, documentário de Ana Rieper, Todos os Paulos do Mundo, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, Garoto Cósmico, de Ale Abreu e Ela Volta na Quinta, de André Novais Oliveira. Completam a lista os infantis Corda Bamba – História de Uma Menina Equilibrista, de Eduardo Goldenstein e a animação Molly, a Monstrinha, de Matthias Bruhn, Michael Ekbladh e Ted Sieger.

ÚLTIMA CHANCE

Em cartaz até quinta-feira, 18 de julho, os documentários intimistas Eu Sou Ingrid Bergman, do sueco Stig Bjorkman, e Paulinho da Viola – Meu tempo é Hoje, de Izabel Jaguaribe, que acompanha a rotina do músico, do convívio familiar, aos hobbies e sua peculiar percepção da passagem do tempo. A animação brasileira Miúda e o Guarda-Chuva, de Amadeu Alban, também se despede da plataforma do Sesc na mesma data.

CINESESC

Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o Cinesesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional em São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros. O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.

Cena Inquieta: a nova série documental do SescTV que investiga as formações, conceitos e trajetórias de grupos e artistas do teatro brasileiro

Além das lives no YouTube, o SescTV lança em 23 de julho uma série de documentários dedicados ao teatro: Cena Inquieta, com curadoria de Silvana Garcia e direção de Toni Venturi. A série é uma abrangente cartografia sobre a nova geração do teatro de grupo produzido no Brasil. Composta por 26 documentários de 55 minutos cada, o trabalho mapeou os mais importantes coletivos teatrais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife.

São 48 companhias estáveis de teatro e mais 10 artistas solos que vem desenvolvendo trabalhos relevantes de experimentação de linguagem nos eixos do teatro negro, político e de gênero. Cada episódio apresenta dois grupos teatrais, alguns programas exibem também espetáculos solos de artistas que marcaram a cena nacional na última década, e um especialista (pesquisador, crítico ou jornalista) que comenta e contextualiza a cena ou proposta exibida. O primeiro documentário, exibido no dia 23/07 às 23h, investiga as formações, conceitos e trajetórias do Grupo Clariô de Teatro e Capulanas Cia. de Arte Negra.

A programação faz parte do projeto #Do13ao20 – (Re)Existência do Povo Negro, que faz alusão aos marcos do 13 de maio e do 20 de novembro, propõe diálogos sobre a condição social da população negra e objetiva reiterar os valores institucionais, bem como o reconhecimento das lutas, conquistas, manifestações e realidades do povo negro.

Para sintonizar o SescTV: Canal 128 da Oi TV ou consulte sua operadora. Assista também online em sesctv.org.br/aovivo. Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv E no facebook: https: facebook.com/sesctv.

ESTREIAS Cinema #EmCasaComSesc 16 DE JULHO

FRANCOFONIA – LOUVRE SOB OCUPAÇÃO

(Dir.: Alexander Sokurov, França, Alemanha, Holanda, 2015, 88 min, 10 anos)

Pensando na relação entre arte e poder, o documentário filmado no Museu do Louvre questiona se a arte pode nos ensinar sobre nós mesmo, inclusive nos momentos mais sangrentos do mundo.

CORPO ELÉTRICO

(Dir.: Marcelo Caetano, Brasil, 2017, 94 min, 16 anos)

O verão está chegando e Elias tem sonhado muito com o mar. Na fábrica em que trabalha, as responsabilidades aumentam à medida em que o fim de ano se aproxima. Depois de uma noite fazendo hora extra, Elias e os operários decidem sair e tomar uma cerveja. É quando novas possibilidades de encontros surgem no horizonte de Elias.

VISAGES VILLAGES

(Dir.: Agnés Varda e J.R, França/Alemanha, 2018, 94 min, 10 anos)

Uma experiência fotográfica e cinematográfica de dois talentos mundialmente reconhecidas por questionarem a cultura da exibição das imagens: Agnès Varda, cineasta, e JR, fotógrafo e criador de galerias e exposições fotográficas ao ar livre. Juntos, eles viajam por regiões da França bem longe dos centros urbanos, com um caminhão que captura imagens de forma mágica.

A SOCIEDADE SECRETA DE SOUPTOWN

(Dir.: Margus Paju, Estônia, 2015, 105 min, Livre)

Em pleno festival de verão da cidade, Mari e seus amigos notam algo estranho: todos os adultos estão agindo como crianças! Eles pedem ajuda ao avô de Mari e recebem um caderno antigo com pistas para o antídoto contra a epidemia misteriosa que está afligindo a cidade. Com apenas 48 horas para reverter a maldição e um misterioso homem mascarado em seu encalço – a Sociedade Secreta sai em sua missão mais importante.

Serviço

Cinema #EmCasaComSesc
Toda semana, sempre a partir de quinta-feira, tem quatro novos filmes para streaming:
sescsp.org.br / cinemaemcasa

SIGA O SESC NAS REDES:

Facebook/Twitter/Instagram

Fase Beta

As versões da plataforma do Sesc Digital encontram-se em fase beta, ou seja, novidades e melhorias serão implementadas a partir das interações que se desenvolverem entre o público e os recursos. Além disso, o catálogo será expandido periodicamente, englobando novas temáticas e linguagens.

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: sescsp.org.br/ sescdigital

Anterior Que tal você hoje aprender como fazer fudge de avelã
Próximo Cantor brasiliense Lukão lança música autoral “Bala Trocada”