A peça Elizabeth Tudo Pode está no Teatro da Caixa Cultural durante todo o mês da criança, de 7 a 29 de outubro

Volta aos palcos de Brasília uma das peças teatrais mais queridas do público. Comemorando doze anos de estrada, com apresentações em outros estados e países, Elizabeth Tudo Pode ficará em cartaz no Teatro da Caixa durante todo o mês das crianças, de 7 a 29. As apresentações acontecem aos sábados e domingos, sempre às 17h, no horário do chá. Os ingressos estarão disponíveis a partir de 30 de setembro nas bilheterias física e digital do Teatro, com valores entre R$ 15 (meia-entrada) e R$ 30 (inteira).

Elizabeth tudo pode é um espetáculo que transforma a História em historinha. O cenário, todo feito em papelão, recria uma biblioteca onde livros falam, personagens escapam de suas fábulas para conversar e ajudar Alexandria a contar a vida e os feitos de uma princesa tão real que virou rainha: Elizabeth I. Alexandria é a bibliotecária, então, o que se encontra em cena é a Biblioteca de Alexandria – numa referência à maior do mundo antigo. Nela, vivem também o cão bombeiro Firefox e D. Cesárea, a milenar traça gourmet que só devora bons livros.

Com montagem original da Cia. Yinspiração Poéticas Contemporâneas, tem o texto assinado pela atriz Juliana Zancanaro – que faz a protagonista – e pela diretora Luciana Martuchelli, que também elaborou o cenário, feito pelo artesão Virgílio Mota e por Alexandre Adas. Já ator e cantor Filipe Lima dá vida a 37 personagens, num fantástico trabalho de composição vocal. Para a manipulação dos bonecos e de toda a engenhoca, ele tem ajuda fundamental dos contrarregras também atores Joelma Pereira, Reges Aragão e Tauã Franco.

Nesta temporada, o ator William Ferreira foi o convidado para viver William Shakespeare, o grande escritor da Era Elisabetana. Completam a equipe, Luiz Alberto Pires que criou a trilha sonora que é um verdadeiro personagem à parte; e Aroldo Lopes que monta e opera a luz criada por Marcelo Augusto. Figurino, maquiagem e dois importantes bonecos são assinados por Marcus Barozzi; restante dos bonecos e customização do cenário, o saudoso Guto Viscardi e Marley Oliveira.

“É uma peça realmente para crianças de todas as idades, cor, música e dinâmica, informação e imaginação encantam avós, pais e filhos”, diz a diretora Luciana Martuchelli. “Às vezes, vemos adultos sem crianças ou pais voltando sem os filhos para rever detalhes”, completa.

A peça estreou em 2011, foi finalista do Prêmio SESC do Teatro Candango e fez diversas temporadas em Brasília e em outros estados, além de passar por países como Argentina e Colômbia. Aproveitando a versão hispânica do texto, preparada para o espetáculo no exterior, o livro Elizabeth Tudo Pode foi publicado pela editora C de Coisas (2017) já na versão bilíngue (português e espanhol). Ele estará disponível no teatro com preço promocional para os espectadores.

“É uma alegria inspirar crianças e adultos ao mostrar que a História é feita de pessoas reais e que devemos ser protagonistas de nossa história.”, afirma Juliana Zancanaro. “Alegria também estar em cena mais uma vez. Ao longo desses anos, várias famílias nos acompanharam e pude conhecer uma que nos assistiu em todas as temporadas! Será uma oportunidade pra os pequenos que cresceram e os que ainda nem existiam reverem.”

Durante o isolamento da pandemia, Juliana criou o perfil @alexandria_contaecria (Inst e Yt) em que a protagonista da peça Elizabeth Tudo Pode narra a trajetória de grandes mulheres da História do Brasil em vídeos curtos e lúdicos. O canal é gratuito e conta, atualmente, com 80 vídeos publicados. Hoje a página possui 4.160 seguidores e continua em atividade. “Percebi como missão contar sobre pioneiras nas artes, ciências, esportes, política… Diminuir um pouco o apagamento dos feitos femininos.”, diz Juliana. Assista os vídeos acessando o link: https://www.instagram.com/alexandria_contaecria/channel/.

Falando em vídeo, durante a temporada, o espetáculo será filmado pela equipe da Granmídia para ser apresentado posteriormente no canal do Youtube em 8 episódios. Um presente para o público de outros estados que acompanham a Alexandria!

O livro da peça

De tanto conquistar o coração dos pequenos, a peça Elizabeth Tudo Pode foi adaptada para um livro infantil, repleto de ilustrações feitas por Dama de Copas. A obra é bilíngue, com texto em português e espanhol, com tradução de Luciana Fins. O livro foi editado pela C de Coisas, de Adriana Nunes e Adriano Siri.

“Um sonho antigo realizado: crianças podem levar para casa e rever quando quiserem. A ideia do livro é a mesma da peça: aproveitar a figura forte de Elizabeth I para contar às crianças que adoram princesas como que a História é feita de pessoas reais e que elas também podem fazer História”, explica Juliana Zancanaro.

O livro Elizabeth Tudo Pode estará à venda no Teatro da Caixa Cultural durante no momento das apresentações, levando o público do teatro também a se aproximar da literatura infantil. O valor de cada exemplar é R$ 35, porém quem tiver adquirido o ingresso da peça pode levar comprar o livro com o preço promocional de R$ 20.

SERVIÇO:

Peça Elizabeth Tudo Pode
Data: de 07 a 29 de outubro de 2023, aos sábados e domingos
Horário: 17h
Duração: 70 minutos
Local: Teatro da Caixa Cultural (SBS – Quadra 4 – Lotes 3/4)
Ingressos: R$ 15 (meia-entrada destinada a estudantes, idosos e pessoas com deficiência) e R$ 30 (inteira). Venda disponível nas bilheterias física e digital do Teatro da Caixa a partir de 30 de setembro.
Classificação indicativa: livre

Este projeto está sendo realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal.
Apoio: FAC, CAIXA CULTURAL E GOVERNO FEDERAL
Realização: Cia Yinspiração e Tao Filmes
@alexandria_contaecria @ciayinspiracao @taofilmes

Mais sobre os artistas:

Cia. Yinspiração Poéticas Contemporâneas

Criada em 2002, em Brasília, a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas possui uma linha de investigação teatral direcionada à excelência do ator e à criação de um teatro de vanguarda, que se revitaliza através do incentivo à construção de dramaturgia original. Há mais 15 anos, desenvolve seu método baseado na presença e vulnerabilidade do ator em cena, mesclando linguagens de teatro, cinema, artes marciais, yoga, tai-chi e psicologia.

Entre os espetáculos criados pela Cia. YinsPiração estão Mare Serenitatis (2019); O Equilibrista (desde 2015), Sonhos de Shakespeare (2015 – 2016), The Big Heart & Eros (2014), Elizabeth Tudo Pode (desde 2011), Ars – As Mil Folhas Nuas dos Poemas (2003 a 2012), A Página em Branco (2006 e 2007), Até que a Morte nos Separe (2007) e Medeia – Gaia em Fúria (2006). Desde 2007, mantém intercâmbio com o grupo dinamarquês Odin Teatret através, principalmente, da residência artística A ARTE SECRETA DO ATOR, com Eugenio Barba e Julia Varley. Realiza também o festival internacional de teatro feito por mulheres, Solos Férteis, em Brasília, ligado à rede Magdalena Project.

Sobre a equipe

Juliana Zancanaro Atriz com formação também em dança. Desde 2001, participa de pesquisas de teatro e cinema com Luciana Martuchelli, na Tao Filmes/Cia Yinspiração. Participou de 12 espetáculos sempre no palco e atuando também como assistente de direção, roteirista, produtora e divulgadora. Escreveu e protagoniza o ELIZABETH  TUDO PODE, desde 2011, sendo  indicada pelo público ao prêmio Brasília Top Show de melhor atriz e o  espetáculo finalista do prêmio Sesc do Teatro Candango, de 2015. Atualmente também encena Diatribe  do Amor, monólogo de Gabriel Garcia Marquez e está desenvolvendo novo texto. Atuou em 09 filmes, entre os longas O Último Cine Drive-in, de  Iberê Carvalho, e Primos, de Thiago Cazado e Mauro Carvalho; além  de comerciais, institucionais e locução para áudio e vídeo. Em 2009, fez roteiro, produção e direção de seu documentário Em  busca de um patrocinador, pelo núcleo de Documentários da EBC  https://www.youtube.com/watch?v=OvIFwTB84sM&t=4s. 

Produz o festival de mulheres no teatro, Solos Férteis (com 4 edições já realizadas) www.solosferteis.com.br e a residência artística A Arte Secreta do Ator, com Eugenio Barba e Julia Varley, Odin Teatret no Brasil (com 15 edições).  www.aartesecretadoator.com.br. Traduziu o livro Pedras D’Agua, de Julia Varley, do Odin Teatret; e a peça Gordas, da argentina Natália  Marcet. Tem dois livros infantis, As Minhocas de Sabina, pela Franco Editora e Elizabeth Tudo Pode, pela C de Coisas. Em 2023, lança seu livro de poesias, A Poesia Não Interessa, pelo selo Maria Cobogó. Faz contações em sue canal Alexandria Conta e Cria e em instituições. É também publicitária, formada pela Universidade de Brasília e pós-graduada pelo UniCeub.

Luciana Martuchelli Luciana Martuchelli

Diretora da TAO Filmes – produtora e escola de treinamento de atores para o teatro, televisão, cinema e música, desde 1994, em Brasília. Formada em direção no Instituto Superior de Arte de Havana (Cuba); no Fashion Institute of Design & Merchandising (Califórnia, USA); e na Faculdade Dulcina de Moraes – FBT (Brasília). Entre seus mestres estão Dulcina de Moraes, Antunes Filho, Aderbal Freire-Filho, Peter Brook, Eugenio Barba e Julia Varley.

Ao lado da atriz do seu grupo, Juliana Zancanaro, traduziu o livro “Pedras d’água”, de Julia Varley (Odin Teatret) para o português. É idealizadora e organizadora do treinamento A ARTE SECRETA DO ATOR – BRASIL e do Festival Internacional de Mulheres no Teatro – SOLOS FÉRTEIS. Dirigiu dezenas de espetáculos, além da preparação de atores para cinema e mídias digitais. Como atriz, atuou em comerciais, filmes e mais de 15 peças, como “Ur-Hamlet”, de Eugenio Barba, (POL); “Irmã Teodora e As Desventuras Do Cavaleiro Agilufo”, de James Fensterseifer; “As Ridículas de Moliére” e “Admirável Ainda”, de Miriam Virna; “Tira II – Macoy is Back”, da Cia. De Comédia Melhores do Mundo; e “Devagarinho Eu Deixo”, de Guilherme Reis, com indicação ao Prêmio APAC de Melhor Atriz.

Filipe Lima

Ator, contratenor, professor de canto e atuação. Iniciou sua vida artística aos 12 anos. Foi solista em coros, óperas e musicais de 2004 a 2009. Em 2008, ingressou no grupo de pesquisa teatral “Physis – Dramatic Bodystorm Trainning”, que explora a criação de uma técnica autoral para o ator e uma dramaturgia corporal e vocal. Com a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas, da diretora brasiliense Luciana Martuchelli, atuou nos espetáculos “Sonhos de Shakespeare”, “O Equilibrista”, “Fahrenheit”, “The Big Heart & Eros”, “ARS – As mil Folhas Peladas dos Poemas” e na obra “Elizabeth Tudo Pode”, onde manipula e desenvolve mais de 37 vozes para os personagens da obra. Atualmente, desenvolve pesquisa sobre a utilização da voz na cena para atores e cantores, inspirado em seus recentes encontros com Eugenio Barba e o Odin Teatret, o grupo Yuyachkani e Patrícia Ariza e Carlos Satizabal (Teatro La Candelária).

William Ferreira

Bacharel em artes cênicas pela UnB, diretor, ator, performer, bailarino profissional além de atuar como cenógrafo e figurinista. Atuou com renomados mestres de dança e teatro no Brasil e no exterior. Como ator, trabalhou sob direção de Mathew Lenton(Escócia), Hugo Rodas (Companhia dos Sonhos), Marcelo José (Portugal), Paul Heritage, Adriano e Fernando Guimarães (Companhia Gabinete 3), Miriam Virna e muitos outros em 32 anos de carreira. Atuou na produção Tomorrow do grupo Vanishing Point (Escócia)tendo se apresentado em festivais internacionais e na China.

Na Companhia Cena atuou em Inventários e Heróis.Fez várias participações em novelas e minisséries . É ator de longas como AUN (Edgar Honetschlager), Araguaia A Conspiração do Silêncio (Ronaldo Duque) entre outros curtas com trajetória nacional e internacional. Dirigiu os espetáculos: Cartas de um Sedutor; Cabaré das Donzelas Inocentes; A Obscena Senhora D; Dona Bolota, o Segredo da Árvore Encantada; Deu Trelelê na família S.A; A Caixa de Aila.