Diáspora por Josafá Neves


No dia 25 de maio, data em que se comemora o Dia da África, o artista plástico de reconhecimento internacional, Josafá Neves, lançará em Brasília a exposição “Diáspora” que homenageia personalidades que representam o empoderamento da cultura negra brasileira, como Clementina de Jesus, Itamar Assumpção, Milton Santos, entre outros; enfatizando a extensa criação por parte dos negros no Brasil nos domínios da música, das artes plásticas e do ativismo político.

A exposição “Diáspora“ vem agregar projeção a cultura negra no Brasil por meio de sua paleta autodidata que busca dar visibilidade aos inúmeros realizadores da Diáspora Negra Brasileira nos domínios da música, das artes plásticas, do ativismo político, enfim, da extensa criação por parte dos negros no Brasil.

Por quatro anos, o tema foi estudado pelo artista para selecionar o que ele batiza como os ícones da Diáspora Negra no Brasil. As personalidades negras, o patrimônio imaterial e os símbolos da religiosidade de matriz africana são os que estão presentes nesta exposição de pinturas, gravuras e esculturas.

A capacidade do artista de buscar o mais profundo dos sentimentos daqueles que apreciam a sua obra faz com que percorra inúmeras técnicas em sua prática artística, assim, nesta amostra, há duas gravuras em ponta seca que simbolizam figuras históricas da diáspora, quais sejam: Grande Otelo e Luiz Gama, que foram elaboradas na mais íntima sensibilidade, misturadas com a energia do artista.

A força da pintura do artista permanece em dois painéis que exprimem o patrimônio imaterial da cultura negra no Brasil. A obra “Capoeira” onde é proferida uma dignidade determinada ao retratar golpes e movimentos complexos, característicos dessa dança, numa pintura ferina e cheia de encantamentos. A obra “Terreiro de Candomblé”, uma releitura da tela “Festa do pilão de Oxalá” do artista Carybé, ilustra o ritual de um culto afro-brasileiro com imagens vívidas.

A exposição será composta também por duas esculturas, “Oxossi” e “Xangô”, feitas em madeiras mortas do cerrado do Distrito Federal, que simbolizam o respeito do artista aos “Orixás”, que, na tradição iorubana, são as forças da natureza que conduzem os seres humanos em suas comunidades.

O painel afro-indígena é resultado das oficinas realizadas pelo artista com crianças e professores da educação básica de escola pública do Distrito Federal e com estudantes de licenciaturas da Universidade Católica de Brasília. A partir da figura que expressa à diáspora, a qual foi criada pelo artista, os participantes da oficina experimentaram a pintura. Tal ação produziu uma contribuição à implementação da Lei Federal 10.639/03 que prescreve o ensino da história e cultura africana e afro-brasileira. Como resultado, o público se envolverá com um instigante painel que expressa diversidade, identidade, educação e muitas cores.

A exposição “Diáspora” é arte com expressão imensa de uma subjetividade criada no trabalho diário de um brasileiro afrodescendente. Todos os dias, sua aspiração suprema é transmitir nas formas e nas cores testemunhos do seu olhar de forma profunda e bruta, mas não menos, bela e instigante.

Para conferir este rico e instigante trabalho, a exposição “Diáspora” será inaugurada no dia 25 de maio às 19h na Galeria Athos Bulcão, anexo do Teatro Nacional Cláudio Santoro e estará aberta ao público até o dia 25 de junho.

Serviço

Exposição Diáspora, por Josafá Neves
Abertura: 25 de maio às 19h.
Local: Galeria Athos Bulcão, anexo do Teatro Nacional Cláudio Santoro
Galeria Athos Bulcão, anexo do Teatro Nacional Cláudio Santoro
Visitação: 25/05 a 25/06 das 09h às 21h.

Entrada Franca.
Classificação Livre
Contato: (61) 8560 – 3020

APRESENTAÇÃO DO ARTISTA JOSAFÁ NEVES.

Desde os cinco anos de idade já era um apaixonado pelo mundo das artes. Filho de família humilde, autodidata, recorria às pedras para desenhar nas calçadas e ruas, extasiando colegas, amigos e parentes com a beleza da firmeza e proporcionalidade dos seus traços. Apesar de nascido na capital federal, iniciou sua carreira artística na cidade de Goiânia, em 1996. Obstinado e leal, após seu casamento com as artes plásticas nunca se afastou nenhum dia das tintas, telas, pincéis e palhetas.

Com cores vibrantes e traços firmes, desenvolvidos ao longo da sua aprendizagem autodidata, o artista expõe um olhar plástico das suas observações no instante em que pinta.

A prática da pintura para o artista é de um valor incontestável e efetivo. Preparando as telas de forma paternal e zelosa, peculiarmente pinceladas na cor preta, atinge as mais íntimas emoções dos expectadores em seus 20 anos de dedicação integral ao ofício das artes.

Sua primeira exposição individua l “Maternidade”, ocorreu no ano de 2003, na Galeria do Teatro Dulcina de Moraes.

Em 2012, Josafá Neves foi selecionado para o Festival Latino-Americano e Africano de Arte e Cultura promovido pela Universidade de Brasília, onde realizou a exposição “Diáspora”, projeto de pintura em óleo sobre tela com cunho político, uma vez que dá visibilidade à potência da cultura negra no Brasil ao retratar célebres artistas, intelectuais e ativistas políticos como Clementina de Jesus, Milton Santos, Solano Trindade, entre outros.

Em 2015, juntamente a outros artistas de Brasília, participou da coletiva “Acercamientos”. Uma mostra paralela da 12ª Bienal de Havana com as obras “Negreiros 1, 2 e 3”, nas quais expressa a luta do povo negro no trajeto escravocrata da África para o Brasil.

Neste mesmo ano, no mês de novembro, a convite do Governo Bolivariano da Venezuela, o agora artista plástico internacional, participa da I BIENAL DEL SUR, DOS PUEBLOS EN RESISTENCIA, realizada na sede do Museu de Belas Artes em Caracas. Um evento com o objetivo de construir cenários de intercambio cultural para a construção de novos discursos plásticos, que contou ainda com a participação de 100 artistas de outros 39 países. https://www.facebook.com/iartesven/?fref=ts

Para 2016 está agendada para o dia 25 de maio a inauguração da exposição “Diáspora” que contará com pinturas e esculturas realizadas por Josafá com o intuito de retratar o empoderamento dos negros brasileiros.

Até o momento, já são quinze exposições individuais e dezoito coletivas.

Histórico do Artista

Nascido na cidade do Gama em Brasília-DF, no dia 20 de setembro de 1971, Josafá Neves começou a desenhar aos cinco anos de idade nas calçadas e ruas onde morava. Mudou-se para Goiânia com sua família aos sete anos e foi nesta cidade que Josafá Neves passou a se dedicar integralmente às artes plásticas, desde 1996. Autodidata, sua pintura tem como peculiaridade as pinceladas negras, as quais expressam com firmeza seus sentimentos em traços distintos.

Artista plástico conhecido internacionalmente, participante de quinze exposições individuais e dezoito coletivas até o momento, Josafá Neves acredita que a atividade artística é motivada pelo exercício diário da pintura no seu sentido inédito.

A prática da pintura para o artista é de um valor incontestável e efetivo. Preparando as telas de forma paternal e zelosa, peculiarmente pinceladas na cor preta, atinge as mais íntimas emoções dos expectadores em seus 20 anos de dedicação integral ao ofício das artes.

SELEÇÕES E PREMIAÇÕES

• 2005 – seleção – óleo sobre tela – título: Natureza Viva – VIII Prêmio de Arte Contemporânea – Iate Clube de Brasília – Brasília/DF.
• 2011 – Caixa Preta – objeto – X Prêmio de Artes Contemporâneas do Iate Clube – Brasília/DF.
• 2012 – Festival Latino-Americano e Africano de Arte e Cultura – Universidade de Brasília-UnB.
• 2015 – “Diáspora” – FAC – Fundo de Apoio a Cultura – Brasília/DF

PERFORMANCES

• 1996 – Universidade Federal de Goiás – Campus II – Goiânia/ GO
• 2000 – Embrapa – Brasília/DF
• 2005 – Embaixada do Senegal – Brasília/DF
• 2011 – “Jogo de Cena” – Caixa Cultural Brasília

INDIVIDUAIS

• 2003 – óleo sobre tela – título: Maternidade – Galeria Teatro Dulcina – Brasília/DF
• 2004 – óleo sobre tela – título: A Chuva – Mezanino do Teatro Nacional Cláudio Santoro – Brasília/DF
• 2004 – óleo sobre tela – título: Josafáfrica – Galeria do 10º andar, anexo IV, Câmara dos Deputados – Brasília/DF
• 2005 – óleo sobre tela – título: Cores d’Alma – Galeria Pé Palito – Brasília/DF
• 2005 – óleo sobre tela – título: Cores d’Alma – Galeria Railda Costa – Brasília/DF
• 2006 – óleo sobre tela – título: Equilíbrio – Câmara dos Deputados – Brasília/DF
2008 – óleo sobre tela – título: Africanidade – Casa Thomas Jefferson – Brasília/DF
• 2008 – óleo sobre tela – título: Negras Raízes – Câmara dos Deputados – Brasília/DF
• 2008 – óleo sobre tela – título: Ser Negro – Teatro Nacional Cláudio Santoro – Brasília/DF. Projeto Cara e Cultura Negra.
• 2008 – óleo sobre tela – título: Gênero, Raça e Cor – Livraria Cultura – Brasília/DF
• 2009 – óleo sobre tela – título: Amazônia – Casa Cor 2009 – Brasília/DF
• 2009 – óleo sobre tela – título: Ameaçados – Galeria Café Savana – Brasília/DF
• 2009 – óleo sobre tela – título: Povos da Floresta – Galeria SPDart – Brasília/DF
• 2010 – Aquarelas Josafá Neves – Biblioteca Nacional de Brasília/DF
• 2012 – Diáspora – Espaço Cultural Senador Evandro Cunha Lima.Senado Federal – Brasília – DF
• 2013 – Traquinagem – Objeto Encontrado Galeria – Brasília l DF

COLETIVAS

• 2001 – trabalho em cerâmica – Série Fósseis – Casa Cor 2001 – Brasília/DF
• 2002 – óleo sobre tela – título: Líderes Negros – Câmara Municipal de Goiânia – GO
• 2003 – seleção – óleo sobre tela – título: Maternidade – Concurso Novos Valores – Fundação Jaime Câmara – Goiânia – GO
• 2004 – óleo sobre tela – título: Goiás Contemporâneo – Gabinete de Arte – Presidência da Câmara dos Deputados – Brasília/DF
• 2005 – performance – óleo sobre tela – título: Yara – Embaixada do Senegal – Brasília/DF
• 2005 – seleção – óleo sobre tela – título: Natureza Viva – VIII Prêmio de Arte Contemporânea – Iate Clube de Brasília – Brasília/DF
2008 – óleo sobre tela – título: Saindo da Linha – Galeria SPDart – Brasília/DF
• 2009 – óleo sobre tela – título: Rosas ao Vento – Casa Park – Líder Interiores – Brasília/DF
• 2009 – óleo sobre tela – Galeria Dominox – Brasília/DF
• 2010 – Semi círculo – óleo sobre tela – título: Céu de Brasília– Museu Nacional da República – Brasília/DF
• 2010 – Brasília Prazer de Pintura – óleo sobre tela – Expulsos do Noroeste – Galeria Fayga Ostrower da Funarte / MinC– Brasília/DF
• 2010 – Res Nullius – óleo sobre tela – título: Construção das Cores – Casa Park – Ornare – Brasilia/DF
• 2011 – Arte Cidadã – óleo sobre tela – Galeria do 10º andar, anexo IV, Câmara dos Deputados – Brasília/DF
• 2011 – Projeto Traquinagem – Railda Costa Galeria – Brasília – DF
• 2014 – SeuMUSEU – Desenhos – Museu Nacional do Conjunto Cultural da República – Brasília – DF
• 2015 – Ondeaondaanda – óleo sobre tela – Museu Nacional do Conjunto Cultural da República – Brasília – DF

VIDEOARTE

• 2015 – “Orixás” – Pinte a Mudança – Museu Nacional da República – Brasília/DF

BIENAIS

• 2015 – 12º Bienal de Havana – “Acercamientos” – óleo sobre tela – Título: “Negreiros” – Museu de Guanabacoa – Havana – Cuba
• 2015 – I Bienal Del Sur – Pueblos en Resistencia – óleo sobre tela – Título: “Diáspora” – Museu de Belas Artes – Caracas – Venezuela

OBRAS EM COLEÇÕES PÚBLICAS

• “Afrodescendente” – óleo sobre tela – Câmara dos Deputados – Brasília/DF
• “Africanidade” – óleo sobre tela – Casa Thomas Jefferson – Brasília/DF
• “Oxum” – óleo sobre tela – Casas das Américas – Havana/Cuba
• “Yemanjá”- gravura/serigrafia – Museu de Guanabacoa – Havana/Cuba
• “Maria” – óleo sobre tela – Instituto de Las Artes de La Imagen y El Espacio (Iartes) – Caracas/Venezuela.

CURADORIA

• 2014 – “Fotografias” – Negro Olhar – Omôni Kiampiuki – PUC Góias – Goiânia/GO
• 2015 – “Desenhos” – Concurso Agenda 2015 – Fundação Banco do Brasil – Brasília/DF

FONTE: http://josafaneves.com.br/

Anterior Festa Junina com Maiara & Maraísa
Próximo Matheus Nachtergaele em Brasília