Cia Mariana Muniz de Dança e Teatro e MoviCena produçÔes apresentam D’Existir em SĂŁo Paulo (SP). EspetĂĄculo Ă© um trabalho cĂȘnico sobre o universo da morte, construĂ­do a partir da leitura de “Mal Visto Mal Dito”, de Samuel Beckett

D’Existir foi contemplado pelo PrĂȘmio Funarte Circulação e DifusĂŁo da Dança de 2022, e volta aos palcos para mais uma temporada de apresentaçÔes em SĂŁo Paulo (SP), de 15 a 23 de junho no Teatro SĂ©rgio Cardoso.

O projeto nasceu do desejo de revisitar o solo de teatro-dança “Speranza! Dona Esperança”, realizado sob a direção de JosĂ© Possi Neto, nos anos de 2008/2009. D’Existir Ă© um trabalho cĂȘnico sobre o universo da morte, construĂ­do a partir da leitura de “Mal Visto Mal Dito”, de Samuel Beckett.

A bailarina e coreĂłgrafa Mariana Muniz se deixou seduzir pela ideia da finitude como necessidade advinda da consciĂȘncia de que somos natureza e mundo e pela possibilidade de traduzir sensorial, cinĂ©tica e cenicamente o potencial e o medo que essa palavra produz. Ao discutir as imagens de seu corpo como representação mental em suas relaçÔes com o mundo de aprendizagens e vivĂȘncias, e de que forma o tempo e a velhice forjam um corpo de experiĂȘncias vivas e intensas, Muniz constrĂłi uma dramaturgia que sustenta uma confusĂŁo voluntĂĄria entre jogo ficcional, sua memĂłria de artista e a articulação precisa dos gestos e paragens.

Ainda que nĂŁo se trate de um projeto cĂȘnico coletivo, a poĂ©tica de D’Existir dĂĄ continuidade ao processo de investigação da Cia. Mariana Muniz de Dança e Teatro, que se debruça sobre os limites das conexĂ”es entre questĂ”es cĂȘnicas, coreogrĂĄficas, dramatĂșrgicas, visuais e performĂĄticas.

Durante o processo de criação, Clara Carvalho, atriz carioca radicada em SĂŁo Paulo, que tambĂ©m iniciou sua carreira como bailarina no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, atuou como “provocadora convidada”, trazendo propostas para desestabilização dos apoios corporais e cĂȘnicos.

Eduardo Tolentino de AraĂșjo, diretor do grupo Tapa, com quem Mariana Muniz vem trabalhando ao longo de sua carreira, em montagens teatrais do grupo, responde pela supervisĂŁo geral; a assistĂȘncia de direção Ă© de Claudio Gimenez; Celso Nascimento compĂŽs a trilha sonora original; e Fabio Namatame assina o figurino.

Sinopse

D’Existir Ă© um trabalho cĂȘnico em dança/teatro que tem como referĂȘncia poĂ©tica o texto Mal Visto Mal Dito de Samuel Beckett. Mariana Muniz constrĂłi, em “D’Existir”, uma dramaturgia que sustenta uma confusĂŁo voluntĂĄria entre jogo ficcional, sua memĂłria de artista e a articulação precisa dos gestos e paragens. Uma viagem imaginĂĄria pelo tempo, impulsionada pelos gestos e movimentos de um corpo que se questiona e se revĂȘ em sua trajetĂłria cĂȘnica. Pensar as artes cĂȘnicas na intersecção Dança – Teatro nos permite olhar para a potĂȘncia expressiva do gesto.

Ficha TĂ©cnica

SupervisĂŁo Geral: Eduardo Tolentino de AraĂșjo
Concepção e Intérprete: Mariana Muniz
AssistĂȘncia de Direção e Fotos: Claudio Gimenez
Artista Provocadora: Clara Carvalho
MĂșsica Composta: Celso Nascimento
Iluminação e Direção de Produção: Rafael Petri
Figurinista: FĂĄbio Namatame
Produção Geral: MoviCena ProduçÔes
Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Serviço

D’Existir, da Cia. Mariana Muniz de Dança e Teatro
Classificação: 14 anos
Duração: 50 minutos
São Paulo – São Paulo
De 15, 16, 21, 22 e 23 de junho, quarta, quintas e sextas Ă s 19h
Teatro SĂ©rgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista
Ingressos: R$10 (meia-entrada) e R$20 (inteira)