No ano em que comemora seus sete anos, o Curta! emplacou sete produções originais no Festival do Rio, que acontece entre 9 e 19 de dezembro. Os filmes foram viabilizados através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), no âmbito do pré-licenciamento ao canal, e competem no evento na Première Brasil.

Os documentários, inéditos na TV, são: “Gilberto Gil – Antologia Vol. 1”, de Lula Buarque; “Favela é Moda”, de Emílio Domingos; “Blitz, O Filme”, de Paulo Fontenelle; “Movimentos do Invisível”, de Flavia Guayer e Letícia Montes; “Banquete Coutinho”, de Josafá Veloso; “O Mês Que Não Terminou”, de Francisco Bosco e Raul Mourão, e “O Paradoxo da Democracia”, de Belisario Franca. O documentário “Gil – Antologia Vol. 1” estreia com exclusividade no Curta! no próximo dia 23 de dezembro, e os demais em 2020.

“Gilberto Gil – Antologia Vol 1” é fruto de dois anos de pesquisas do produtor e pesquisador Antônio Venâncio, que buscou imagens e áudios de Gilberto Gil entre arquivos de emissoras de TV, admiradores e profissionais da música espalhados pelo mundo inteiro. Encontrou um verdadeiro tesouro, contendo registros inéditos que, sob a batuta de Lula Buarque de Hollanda, se transformaram em um documentário sobre a obra do artista. O próprio Gil conduz o filme, contando as histórias por trás de cada cena encontrada.

“Banquete Coutinho”, dirigido por Josafá Veloso, foi desenvolvido a partir de um encontro filmado com o diretor Eduardo Coutinho em 2012, falecido dois anos depois. O depoimento é complementado por um vasto material de arquivo, com objetivo de manter acesas as inquietações do cineasta e discutir sua obra.

“O Mês Que Não Terminou” reconstitui a trajetória da sociedade brasileira desde o antológico junho de 2013, quando eclodiram protestos por todo o país. O filme é baseado em artigo homônimo de Francisco Bosco, embalado pelas imagens das ruas, entrevistas de especialistas observadores e de vídeos de artistas visuais brasileiros selecionados pelo codiretor Raul Mourão.

“O Paradoxo da Democracia” reúne pensadores respeitados em todo o mundo – como Jacques Rancière e J.C. Monedero -, que refletem, junto com pensadores brasileiros, sobre os dilemas que a democracia representativa de massa enfrenta na atualidade. Para o diretor Belisario Franca, “cada espectador poderá se perguntar sobre seus próprios sonhos, impasses e desilusões com a democracia”.

“Blitz, O Filme”, dirigido por Paulo Fontenelle, conta as histórias pessoais dos integrantes da banda Blitz e compõe um recorte especial dos mais de 30 anos de estrada do grupo. A pluralidade artística da banda, que é representada de forma icônica pelo vocalista Evandro Mesquita, também está em foco. Além de apresentar a trajetória da banda, “Blitz – O filme” mostra o rico cenário musical brasileiro da década de 1980.

“Movimentos do Invisível” é um documentário dirigido por Flávia Guayer e Leticia Monte que fala sobre Angel Vianna, pioneira da dança contemporânea brasileira, coreógrafa, teórica, educadora e militante da consciência corporal. O filme revisita sua pesquisa e história, acompanhando a rotina de Angel no presente – com 90 anos de idade –, e se desenvolve a partir do registro de oficinas realizadas com gente de diversas idades, gêneros e profissões. Revela sua insaciável curiosidade pelo corpo – ‘instrumento de viver’- e sua urgência em transmitir o conhecimento neste significativo momento de sua carreira e vida.

“Favela é Moda” integra a trilogia do corpo do diretor Emílio Domingos, uma série de filmes sobre a juventude das periferias do Rio de Janeiro, tendo como foco suas práticas corporais. A partir delas, desenham-se temas como cotidiano, sociabilidade, pertencimento, entre outros. O documentário acompanha o dia a dia e o desenvolvimento de jovens modelos de uma agência localizada na favela do Jacarezinho, Zona Norte da cidade, que, a partir do conceito Moda Resistência, questionam o padrão estético do mercado da moda no Brasil.

Sobre o Curta!

O canal Curta! é um dos novos canais brasileiros da TV paga que mais aprovou projetos para financiamento pelo Fundo Setorial do audiovisual. Até agora foram financiados, para estreia no CURTA!, mais de 120 longas documentais e 800 episódios de 60 séries, atendendo à grade temática do canal: música, artes cênicas, metacinema, pensamento em humanidades, história política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo, oferecido à la carte pela operadora. Siga o Curta! nas redes sociais:

www.facebook.com/CanalCurtahttps://twitter.com/canalcurta www.youtube.com/user/canalcurta. Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.

Anterior Turma do Pagode lança "O Brasil Tem Que Te Ver"
Próximo Festival Batuque reúne grandes nomes do rap e do hip hop