Com patrocínio da Caixa Seguradora, chega a Brasília o Circo Rudá com o espetáculo Marabá. Em cartaz de 7 de novembro a 2 de dezembro no estacionamento do Boulevard Shopping

A obra do Circo Rudá é um olhar para a identidade do povo brasileiro e suas influências. Marabá é o herói da nossa história, que em tupi-guarani significa mistura de raças, nascido da miscigenação para superar seus obstáculos. O espetáculo é patrocinado pela Caixa Seguradora, maior empresa privada do Distrito Federal e constante apoiadora da cultura.

Fundador e criador do Circo Rudá, Gustavo Lobo reúne elementos por sua passagem em algumas das principais companhias circenses do mundo, como as canadenses Cirque Du Soleil e Cirque Eloize, e a suíça Teatro Sunil de Daniele Finzi Pasca, participando da criação e se apresentando em turnês mundiais ao longo de 10 anos.

Aos elementos artísticos e atléticos de alta performance e inéditos em circos nacionais e que caracterizam o padrão de circo internacional, Gustavo juntou as tradições lúdicas que permeiam aspectos fundamentais da cultura brasileira.

“É um espetáculo circense com dramaturgia, no qual as atrações e os números contam uma história”, descreve o diretor que, antes de se imaginar líder de uma companhia circense, também foi campeão mundial de salto sobre o cavalo, nos Jogos Mundiais da Juventude, em Moscou, em 1998.

O Marabá é o segundo espetáculo do Circo Rudá e o protagonista tem o sonho de ser um artista circense persistindo em seu objetivo de integrar a trupe de um grande circo. A ideia é mostrar que mesmo com todas as dificuldades o brasileiro é talentoso e trabalhador, luta por seus sonhos respeitando a natureza.

“Marabá torna realidade a possibilidade de se fazer circo de qualidade no Brasil. Circo teatro. Ciro Acrobático. Circo dramático. Circo com narrativa. Circo brasileiro. De cultura brasileira. Que olha para o Brasil. Para a identidade da formação do povo brasileiro e, longe de clichês, reafirma valores urgentes, sempre pertinentes, de que todos nós, temos ou recebemos influencias indígenas”, descreve Gustavo Lobo.

O espetáculo Marabá é resultado de um sonho ousado. Na tradicional tenda de circo, com 32 metros de diâmetro, o público assistirá a um espetáculo cheio de nuances. Além de Gustavo Lobo, Marabá tem a criatividade e o ineditismo dos figurinos criados por Leandro Vieira, carnavalesco campeão pela Mangueira e o roteiro e encenação de Neyde Veneziano, referência de peso em direção teatral e interpretação.

O primeiro ato chamado “Na Caravela”, tem tom épico. O segundo ato “Em terras tropicais” passa-se nos anos de 1920 e tem um tom ingênuo retratando também um circo da década de 20 e como eram os espetáculos da época pré-modernista.

“Temos carnaval, circo, teatro e a junção das artes na criação do espetáculo. Além de toda a brasilidade”, destaca Gustavo Lobo. “Ao sair do espetáculo, gostaria que o público dissesse que viu algo novo no cenário do circo no Brasil. Um circo estudado, que emociona e contagia com alto nível técnica e elementos e números circenses contagiantes. E que, através da emoção, descobrisse curiosidades da vida brasileira e do nosso passado”, finaliza.

Circo Rudá
Circo Rudá | Foto: Divulgação
Anterior OVO do Cirque du Soleil, dirigido por Deborah Colker
Próximo Ferrugem, Leo Santana e Imaginasamba no Brasília Fest