Premiado no Festival de Berlim, em 2019, filme macedônio “Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia” é um dos destaques da programação que traz, ainda, as produções selecionadas no 46º Festival Sesc Melhores Filmes em seus últimos dias em cartaz

A série Cinema #EmCasaComSesc oferece a cada semana streaming gratuito de filmes em alta qualidade e sem necessidade de cadastro; para assistir, acesse sescsp.org.br/ cinemaemcasa.

Há mais de três meses no ar e com mais de 620 mil visualizações, a série Cinema #EmCasaComSesc, realizada pelo Sesc São Paulo, disponibiliza gratuitamente ao público filmes em streaming pela plataforma do Sesc Digital. Nesta semana, além das estreias, a série exibe novo longa da Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa e um título do Cine África, além de um curta-metragem. A série ainda traz os últimos dias para ver os filmes selecionados no 46º Festival Sesc Melhores Filmes .

Uma das estreias da semana é o premiado “Deus é Mulher e Seu Nome é Petúnia”, (Macedônia, 2019), da diretora Teona Strugar Mitevska, que denuncia o machismo e conservadorismo existente na sociedade e na igreja. Inspirado em um evento verídico, uma tradição local reservada apenas aos homens, quando uma cruz é atirada em um rio e aquele que conseguir resgatá-la terá um ano inteiro de sorte e prosperidade, o filme conta a história de Petúnia, que mergulha na água e consegue agarrar a cruz antes dos outros. Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão, pois ela ganhou a cruz e não vai desistir. A classificação indicativa é de 14 anos. O longa foi indicado ao Urso de Ouro e Vencedor dos prêmios de Melhor Filme pelo Júri Ecumênico e pelo Sindicato no Festival Internacional de Cinema de Berlim, o Berlinale, em 2019.

“A Câmera de Claire”, do diretor sul-coreano Hong Sang-soo, traz a personagem Manhee (Kim Min-hee), uma agente de filmes, e Claire (Isabelle Huppert), uma professora de música apaixonada por eternizar momentos com sua polaroid. As duas se encontram por acaso durante o Festival de Cannes e desenvolvem uma amizade quase instantânea. Através das fotografias de Claire, pequenos detalhes sobre a vida de ambas começam a ser revelados. A classificação do filme é de 12 anos.

O Cinema #EmCasaComSesc estreia também o longa-metragem nacional “Mutum”, de Sandra Kogut. Mutum é o nome de um lugar isolado no sertão de Minas, onde vivem Thiago e sua família. Thiago tem dez anos e não é um menino como os outros: é por meio do seu olhar que enxergamos o mundo nebuloso dos adultos, com suas traições, violência e silêncios. Outro destaque da programação é a animação francesa “A Raposa Má”, de Benjamim Renner e Patrick Imbert. O filme mostra a vida no campo e vários animais inusitados, como uma raposa que pensa ser uma galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer substituir o Papai Noel. O longa ganhou o Prêmio César de Melhor Filme de Animação, em 2018. Os dois filmes têm classificação livre. Outra estreia da semana é o curta-metragem brasileiro “Entremarés”, de Anna Andrade, documentário que mostra a vida das mulheres que compartilham os seus vínculos e vivências com a maré, a pesca, e a Ilha de Deus. A classificação indicativa também é livre.

Cine África

O projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão, direto na plataforma do Sesc Digital, exibe esta semana o longa-metragem “O Enredo de Aristóteles”, de Jean-Pierre Bekolo. Em uma cidade africana, uma gangue de jovens circula pelo Cinema África, onde eles se encontram para assistir filmes de ação estadunidenses.

Um dia, um cineasta entusiasta entra em cena e, com a ajuda oficial do governo, tenta exibir mais filmes nacionais e africanos. Quando fica claro que dificilmente vai conseguir qualquer apoio e aqueles jovens vão sabotá-lo, ele se torna um vigilante da cultura cinematográfica local. A classificação indicativa é livre. O projeto Cine África tem realização do Sesc São Paulo e acontece de setembro a novembro de 2020, com exibições, entrevistas e curso. Para saber mais sobre a Mostra de Cinemas Africanos e o projeto Cine África, acesse: mostradecinemasafricanos.com .

Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa

Mais um filme da Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa estará na programação desta semana. Selves and Others – Um Retrato de Edward Said, de Emmanuel Hamon, é um documentário sobre o intelectual Edward Said, que aborda sua doença, suas teorias e sua posição na causa palestina. Conhecido como um dos grandes intelectuais contemporâneos da América e um importante porta-voz da causa palestina nos Estados Unidos, Said morreu em setembro de 2003, aos 67 anos. Pouco antes de sua morte, uma equipe de filmagem francesa passou várias semanas com ele e sua família, resultando em um documentário intimista que oferece um vislumbre de algumas das reflexões finais de Said sobre os temas que dominaram sua obra. A classificação indicativa é livre.

46º Festival Sesc Melhores Filmes

E o 46º Festival Sesc Melhores Filmes está chegando ao fim. Para esta edição especial online, o CineSesc disponibilizou um recorte com alguns dos filmes mais votados pelo público e pela crítica que estariam na programação da edição presencial do Melhores. O público pode ver e rever gratuitamente até domingo, dia 20 de setembro, o filme polonês “Guerra Fria”, de Paweł Pawlikowski, o dinamarquês “Rainha de Copas”, de May el-Toukhy, e o sueco “Border”, de Ali Abbasi e “Cine São Paulo”, de Ricardo Martensen e Felipe Tomazelli. Para assistir basta acessar sescsp.org.br/cinemaemcasa.

PROGRAMAÇÃO

#EmCasaComSesc

Estreias 17/09

DEUS É MULHER E SEU NOME É PETÚNIA
(Dir.: Teona Strugar Mitevska, Bélgica, Croácia, Eslovénia, França, Macedônia, 2019, 100 min, Ficção, 14 anos)

Sinopse: Em Stip, uma pequena cidade da Macedônia, sempre no mês de janeiro, o padre local joga uma cruz de madeira no rio e centenas de homens mergulham atrás dela. Quem recuperar o objeto tem garantia de boa sorte e prosperidade. Desta vez, Petúnia mergulha na água por um capricho e consegue agarrar a cruz antes dos outros, deixando os concorrentes furiosos: como ousa uma mulher participar do ritual? Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão. Ela ganhou a cruz e não vai desistir.

A CÂMERA DE CLAIRE
(Dir.: Hong Sang-soo, França, 2017, 69 min, Ficção, 12 anos)

Sinopse: Manhee (Kim Min-hee) é agente de filmes e foi demitida por sua chefe sem explicações. Claire (Isabelle Huppert) é uma professora de música apaixonada por eternizar momentos com sua polaroid. As duas se encontram por acaso durante o Festival de Cannes e desenvolvem uma amizade quase instantânea. Através das fotografias de Claire, pequenos detalhes sobre a vida de ambas começam a ser revelados.

MUTUM
(Dir.: Sandra Kogut, Brasil, 2007, 86 min, Ficção, Livre)

Sinopse: Mutum quer dizer mudo. Mutum é um pássaro preto que só canta à noite. E Mutum é também o nome de um lugar isolado no sertão de Minas, onde vivem Thiago e sua família. Thiago tem dez anos e não é um menino como os outros. É através do seu olhar que enxergamos o mundo nebuloso dos adultos, com suas traições, violência e silêncios. Ao lado de Felipe, seu irmão e único amigo, Thiago será confrontado a este mundo que ele também terá que aprender a deixar…

A RAPOSA MÁ
(Dir.: Benjamim Renner, Patrick Imbert, França, 2018, 80 min, Animação, Livre)

Sinopse: Aqueles que pensam que o campo é um lugar calmo e tranquilo se enganam, lá há animais particularmente agitados, uma raposa que pensa ser uma galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer substituir o Papai Noel. Se quiserem tirar férias, mudem de caminho! Prêmio César do Melhor Filme de Animação em 2018.

CURTA-METRAGEM

ENTREMARÉS
(Dir. Anna Andrade, Brasil, 2018, 20 min, Documentário, Livre)

Sinopse: O chão de lama, mulheres compartilham os seus vínculos e vivências com a maré, a pesca, e a Ilha de Deus.

CINE ÁFRICA
[Disponível de 17 a 23/09]

O ENREDO DE ARISTÓTELES
(Dir.: Jean-Pierre Bekolo, França/Reino Unido/Zimbábue/Camarões, 1996, 72 min, Ficção, Livre)

Sinopse: Em uma cidade africana, uma gangue de jovens circula pelo “Cinema África”, onde eles se encontram para assistir filmes de ação estadunidenses. Um dia, um cineasta entusiasta entra em cena e, com a ajuda oficial do governo, tenta exibir mais filmes nacionais e africanos. Quando fica claro que dificilmente vai conseguir qualquer apoio e aqueles jovens vão sabotá-lo, ele se torna um vigilante da cultura cinematográfica local.

MOSTRA MUNDO ÁRABE DE CINEMA EM CASA
[Disponível de 21 a 27/9]

SELVES AND OTHERS – UM RETRATO DE EDWARD SAID
(Dir.: Emmanuel Hamon, França, EUA, 2004, 54 min, Documentário, Livre)

Sinopse: O intelectual Edward Said aborda sua doença, suas teorias e sua posição na causa palestina. Conhecido como um dos grandes intelectuais contemporâneos da América e um importante porta-voz da causa palestina nos Estados Unidos, Said morreu em setembro de 2003, aos 67 anos. Pouco antes de sua morte, uma equipe de filmagem francesa passou várias semanas com ele e sua família, resultando em um documentário intimista que oferece um vislumbre de algumas das reflexões finais de Said sobre os temas que dominaram sua obra.

46º FESTIVAL SESC MELHORES FILMES
[Disponível até 20/9]

Guerra Fria
(Dir.: Pawel Pawlikowski, Polônia, Reino Unido, França, 2018, 78 min, Ficção, 14 anos)

Sinopse: Durante a Guerra Fria entre a Polônia stalinista e a Paris boêmia dos anos 50, um músico amante da liberdade e uma jovem cantora com histórias e temperamentos completamente diferentes vivem um amor impossível.

Rainha de Copas
(Dir.: May el-Toukhy, Dinamarca, Suécia, 2019, 128 min, Ficção, 18 anos)

Sinopse: Anne é uma advogada do direito das crianças e dos adolescentes. Acostumada a lidar com jovens complicados, ela não tem muitas dificuldades para estreitar laços com seu enteado Gustav, filho do primeiro casamento de seu marido Peter, que acaba de se mudar para sua casa. No entanto, a relação que deveria ser maternal se torna romântica, envolvendo Anna em uma situação complexa, arriscando a estabilidade tanto de sua vida pessoal quanto profissional.

Border
(Dir.: Ali Abbasi, Suécia, 2018, 108 min, Ficção, 16 anos)

Sinopse: Tina (Eva Melander) é uma policial que trabalha no aeroporto fiscalizando bagagens e passageiros. Depois de ser atingida por um raio na infância, ela desenvolveu uma espécie de sexto sentido, fazendo com que seja capaz de “ler as pessoas” apenas pelo o olhar. Isso sempre representou uma vantagem na sua profissão, mas tudo muda quando ela identifica um criminoso em potencial e não consegue achar provas para justificar sua intuição. Após o episódio, ela passa a questionar seu dom, ao mesmo tempo em que fica obcecada em descobrir qual o verdadeiro segredo de Vore (Eero Milonoff), seu único suspeito não legitimado.

Cine São Paulo
(Dir.: Ricardo Martensen, Felipe Tomazelli, Brasil, 2017, 77 min, Documentário, Livre)

Sinopse: Seu Chico cresceu brincando no cinema de seu pai, um majestoso prédio construído em 1910, na cidade de Dois Córregos. Uma vida que sempre girou em torno da telona, sua paixão. Interditado pela justiça por problemas de segurança, o local passa por uma complexa reforma para voltar a funcionar.

CINESESC

Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o CineSesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros. O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.

Série Cinema #EmCasaComSesc

Desde o início de junho, o CineSesc realiza a série Cinema #EmCasaComSesc, em sua plataforma sescsp.org.br/cinemaemcasa, com estreias semanais. A iniciativa de oferecer filmes em streaming em sua nova plataforma digital reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente online, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas online e gratuitamente.

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira (considerando a semana de cinema de quinta à quarta-feira). Há ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado desde o mês de março, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

SIGA O SESC NAS REDES:

Facebook/Twitter/Instagram

Fase Beta

As versões da plataforma do Sesc Digital encontram-se em fase beta, ou seja, novidades e melhorias serão implementadas a partir das interações que se desenvolverem entre o público e os recursos. Além disso, o catálogo será expandido periodicamente, englobando novas temáticas e linguagens.

+ SESC NA QUARENTENA

Desde o final de agosto, cinco meses após a suspensão majoritária do atendimento presencial nas unidades, o Sesc São Paulo anunciou uma parcial e gradativa retomada, com um número restrito de atividades, dirigidas aos alunos que já eram inscritos nos cursos de Ginástica Multifuncional, Práticas Corporais e Corrida, além de pacientes das Clínicas Odontológicas cujos tratamentos foram interrompidos pela pandemia. Todas essas atividades serão previamente agendadas, visando restringir a circulação de público no interior das unidades. Todas as 40 unidades do estado darão início a essa retomada gradual à medida que os municípios em que estão instaladas atinjam a classificação necessária para reabertura, estabelecida pelo Plano São Paulo do Governo do Estado, e em conformidade com as regulações municipais.

Paralelo à retomada gradual de alguns serviços presenciais, a instituição segue oferecendo um conjunto de iniciativas on-line, que garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita. Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

Mesa Brasil Tecido Solidário Teatro Música Dança Cinema Esporte Crianças Ideias SescTV Selo Sesc Edições Sesc São Paulo Youtube Sesc São Paulo Instagram Sesc Ao Vivo Portal Sesc SP

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: http://www.sescsp.org.br/sescdigital

Anterior Hamilton de Holanda e convidados no Bossa Criativa
Próximo Taís Segal estreia ‘O Jardim Secreto’ no CTJ Hall