Um bom churrasco definitivamente tem o seu lugar no coração do brasileiro. E é pensando nisso que o restaurante Fogo de Chão preparou uma série de dicas especiais para que, os clientes que preferirem, possam preparar o seu próprio churrasco em casa.

Sugere-se que o cuidado comece na escolha das carnes sendo que as 5 preferidas são: Picanha, Fraldinha, Costela, Bife de Chorizo e Bife Ancho mas, aqueles que desejarem já receber os cortes de qualidade em sua casa para apenas assa-los de acordo com suas preferências, podem optar pela compra do Kit de carnes in natura (Fogo Butchery), com opções especialmente selecionadas, podendo ou não serem temperadas pelo próprio Fogo de Chão.

De acordo com Alberto Wachhols, Diretor de Operações do Fogo de Chão Brasil, tudo começa com um bom fogo, feito no seu tempo e sem labaredas. “Em se tratando de churrasco gaúcho, uma brasa ideal demora entre 30 e 45 minutos para ficar pronta e requer lenha de boa qualidade, com madeira dura e sem umidade ou um bom carvão, que também deve estar seco pois estas opções irão manter a brasa viva por mais tempo, o que é importantíssimo para um bom resultado final. Além disso, cada carne necessita de uma temperatura e distância ideal do fogo para assar no tempo certo. A Costela, por exemplo, pode chegar a mais de 6 horas e deve ficar mais distante da labareda, para ir assando aos poucos. Já a Fraldinha, Chorizo e Ancho podem ser assados mais perto do fogo enquanto que a Picanha precisa manter distância do calor pois tem muita gordura e se respingar na brasa, gera chamas”, afirma.

Outra dica preciosa é a seleção do tempero certo para cada tipo de carne. O modo de preparo no Fogo de Chão é o tradicional gaúcho: apenas sal grosso mas alguns tipos de cortes têm suas particularidades, a carne de porco, por exemplo, vai bem com limão, vinho e pimenta, harmonizando bem com temperos de sabores proeminentes. A carne de cordeiro, por sua vez, também pode ser temperada com vinho e pimenta porém, o principal e mais tradicional tempero para ela é a hortelã, enquanto o frango combina bem com conhaque, cerveja, páprica e ervas frescas como sálvia ou salsa e cebolinha.

Para acompanhar o churrasco seguindo a tradição gaúcha sugere-se saladas verdes, maionese de batata e pão. Para beber, vinho ou cerveja. Como o sul do país tem temperaturas mais baixas, o gaúcho prefere acompanhar o churrasco com um bom vinho, mas a cerveja também pode ser uma excelente pedida. Hoje, existe no mercado diversas variações de cerveja, desde as mais leves do tipo Pilsen, passando por cervejas de trigo até as mais encorpadas como as IPA ou Pale Ale, que produzem excelentes harmonizações com os mais diferentes tipos de cortes de carne.

“’O melhor da gastronomia é mesmo experimentar e descobrir sabores e combinações que sempre podem render ótimas surpresas”, conclui Wachhols.

Anterior Drinques refrescantes e sem álcool para a primavera
Próximo An Evening With Michael Bublé chega ao Brasil em 2021