Show da banda Centropia será dia 28 de abril e terá participações especiais dos músicos Bruno Dourado e Kiko Peres (Natiruts) e da cantora Eliza Borges. Ingressos continuam à venda pelo portal Bilheteria Digital

“Verdejança” é o quinto trabalho de estúdio da banda brasiliense Centropia – Lauro Aires (voz e violão), Marcelo Lima (voz, violão, bandolim e guitarra), Fernando Rodrigues (baixo) e Renato Glória (bateria) – e estará disponível nas plataformas digitais a partir desta segunda-feira (24 de abril).

O show de lançamento será dia 28 de abril (sexta-feira da próxima semana), às 20h, no Clube do Choro (Eixo Monumental), e terá as participações especiais de Bruno Dourado (percussão) e Kiko Peres (guitarra) – ambos integrantes da banda Natiruts – e da cantora Eliza Borges.

O repertório, além das novas músicas, trará outras canções de trabalhos anteriores do quarteto e versões para clássicos da música brasileira, de nomes como Chico Buarque, Dominguinhos, Ednardo, Fágner, Gilberto Gil, Mutantes, Lô Borges e Rita Lee. Os ingressos, a R$ 25, continuam à venda pelo portal Bilheteria Digital: www.bilheteriadigital.com/centropia-28-de-abril

Com cinco faixas, o EP “Verdejança” passeia pelo Brasil central, com elementos acústicos e letras sobre o mundo pós-pandemia. O estilo próprio da banda está presente na mistura de guitarras com bandolins, na junção de tambor maranhense com elementos eletrônicos e nos timbres que fazem o elo entre as influências da banda – tanto de música brasileira como de música internacional. “Vejo esse trabalho em termos musicais como um apanhado do que temos construído desde o primeiro álbum”, destaca Lauro Aires, que assina as composições ao lado de Marcelo Lima e de outros parceiros, como Kiko Peres e Luís Maurício Ribeiro, ambos da banda Natiruts. “Tem a cara da banda, sempre com a influência de Gilberto Gil, com onda dos artistas mineiros, mas também muita coisa de fora que temos ouvido, principalmente a obra da turma do Neil Young”, completa.

É o primeiro trabalho pós-pandemia da banda Centropia – e isso acabou refletido nas letras, sobre temas ambientais, amor e fraternidade. “Verdejança traz um pouco a ideia de renascimento, de renovação. De olhar para como o mundo vai se estruturar depois desse evento tão triste e tão impactante”, analisa Marcelo Lima. “É natural que a humanidade reveja alguns conceitos, e esperamos que passe a olhar para coisas fundamentais como a solidariedade e para a importância da questão ambiental”, completa Lauro Aires.

SOBRE “VERDEJANÇA”

“Verdejança” traz cinco faixas. O EP foi gravado no estúdio Refinaria, em Brasília, produzido por Lauro Aires e Marcelo Lima (que fez todos os arranjos), com captação e co-produção de Alan Pinho e mixagem de Daniel Félix. Além do quarteto – Lauro Aires (voz e violão), Marcelo Lima (voz, violão, bandolim e guitarra), Fernando Rodrigues (baixo) e Renato Glória (bateria) -, o trabalho teve participações de Leo Barbosa (percussão), Lucas Pimentel (bateria), Luís Maurício Ribeiro (baixo) e Kiko Peres (guitarra). A foto da capa é de Alexandre Magno.

FAIXA A FAIXA

“Terra Seca” é uma parceria de Lauro Aires com Kiko Peres e Luís Maurício Ribeiro, da banda Natiruts. Luís Maurício assina em parceria com Marcelo Lima a produção. É um baião/reggae com elementos eletrônicos. Gravada também no estúdio ZeroNeutro, a faixa contou com a cozinha do Natiruts: Luís Maurício no baixo, Kiko Peres na guitarra solo e Lucas Pimentel na bateria.

“Tudo Passa” é uma parceria entre Lauro Aires e Marcelo Lima, composta em homenagem ao ex-mutante Arnaldo Baptista em 2017. A música foi lançada em vídeo logo no início da pandemia com gravação caseira usando apenas celulares (confira: youtu.be/xBSgeek-_i0). Agora, a banda resolveu fazer um registro em estúdio.

“Verdejança” é uma composição de Lauro Aires, que traz elementos brasileiros como o baião e o maracatu. Tem a percussão de Leo Barbosa. E termina com a participação de Kiko Peres na guitarra solo, colocando ares de rock latino na faixa.

“Valsa Pra Lua” é uma parceria entre Lauro Aires e Marcelo Lima que vem com arranjo mais acústico. Construída sobre a base de tambor maranhense, tocado por Leo Barbosa, a faixa tem várias sobreposições de cordas e de vozes.

“O Amor é Maior” fecha o EP com uma balada rock, que está sempre presentes nos trabalhos do Centropia. É também uma parceria entre Lauro Aires e Marcelo Lima.

SOBRE A BANDA

Centropia nasceu em 2014, apresentando uma visão contemporânea da MPB, navegando entre o rock e o baião, entre o reggae e o xote, entre a música internacional e a música regional.

Fundada por Lauro Aires e Marcelo Lima, a banda traz no seu som a diversidade cultural presente em Brasília, com influências da cena internacional das embaixadas estrangeiras, do sotaque nordestino das feiras, da culinária mineira, dos ritmos de Bob Marley e, sobretudo, da tradição roqueira da cidade. A formação da banda engloba um pouco dessa mistura.

Lauro Aires (violão, guitarra e voz) começou na música nos anos 1990 como intérprete e instrumentista. Em paralelo com a carreira de jornalista, participou de projetos como compositor e como cantor sempre na linha entre rock e MPB.

Marcelo Lima (violão, bandolim, guitarra e voz) vem do celebrado grupo instrumental Marambaia e construiu um trabalho sólido como instrumentista e produtor ao longo de sua carreira como artista. Ele e Lauro assinam a maioria das composições e trabalham nos arranjos e na produção.

Fernando Rodrigues (baixo) é produtor e também integrante do grupo Pé de Cerrado, voltado para a onda nordestina raiz.

Renato Glória (bateria) tem diversos trabalhos em estúdio e em shows, musicais e teatro, tendo militado também na música instrumental e no jazz.

SOBRE A OBRA

O disco de estreia, “Centropia”, lançado em 2015, contou com as participações do guitarrista Kiko Peres, do baixista Luís Maurício (ambos do Natiruts) e do percussionista Bruno Dourado (ex-Natiruts e Innatura). O álbum foi citado entre os melhores do ano por veículos especializados.

Em 2018 foi a vez do segundo trabalho, “Centropia II”, mais “roqueiro”, que levou o quarteto a se apresentar em várias cidades brasileiras e em festivais importantes como o “Porão do Rock” (no mesmo ano), além de shows pela Alemanha, França e Portugal.

Em 2019, Centropia lançou o EP “Centropia III”, gravado nos estúdios ZeroNeutro, da banda brasiliense Natiruts. Esse trabalho trouxe elementos mais brasileiros ao estilo da banda, com violões e bandolins, presentes na faixa de trabalho “Mar Grosso”.

Durante a pandemia, a banda interrompeu os shows, mas continuou lançando trabalhos em vídeos. Em 2021, voltou ao estúdio para lançar o single duplo “N’África”/”O Jogo”.

SERVIÇO

Show da banda Centropia – Lançamento do EP “Verdejança”
Dia: 28 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Local: Clube do Choro (Eixo Monumental)
Participações: Bruno Dourado e Kiko Peres (Natiruts) e Eliza Borges
Ingressos: R$ 25 à venda pelo portal Bilheteria Digital –  www.bilheteriadigital.com/centropia-28-de-abril
Classificação: 18 anos

OUÇAM, VEJAM E CURTAM

Youtube: www.youtube.com/@centropia 
Instagram: www.instagram.com/centropiabsb 
Spotify: open.spotify.com/artist/2OLKH5MxxxDdInvRM4zhYG 
Deezer: www.deezer.com/br/artist/79268532 
Facebook: www.facebook.com/centropiabsb