Bate-papo, mostra de resultados, encontro de avaliação pública, festa de encerramento e ainda oficina e mentorias de captação de recursos finalizam programação de 2018 do Centro de Dança

Foram 10 meses de intensas e variadas atividades realizadas no Centro de Dança do Distrito Federal desde sua reabertura, em fevereiro passado. A Secretaria de Estado da Cultura do DF e a organização social Conexões Criativas, que executaram em parceria a programação do equipamento ao longo de 2018, promovem as últimas ações desta jornada, sempre gratuitas, ao longo dos próximos 10 dias.

Tête-à-Tête com Elisabete Finger

No dia 6 de dezembro (quinta-feira), às 19h, a coreógrafa e performer Elisabete Finger (PR/SP) participa da última edição do ano da ação “Tête-à-Tête”. Espécie de entrevista coletiva com a participação de todos os presentes – artistas, estudantes, pesquisadores, demais agentes da cadeia da dança e públicos –, a conversa vai pautar a trajetória da artista, seus processos de trabalho, interesses artísticos e, com destaque, a produção de obras de dança contemporânea para crianças e adolescentes.

Elisabete já dirigiu duas obras para o público infanto-juvenil: a peça “Buraco”, que já circulou por diversas cidades e importantes festivais no Brasil e na Alemanha, e “Nhaka”, que foi produzida a convite do Ballet Contemporâneo do Norte, de Porto, Portugal.

Mostra de resultados de Processos Criativos

Desde o início de outubro, artistas selecionados na terceira e última convocatória do ano de processos criativos em dança do Centro de Dança do DF estão desenvolvendo suas pesquisas no local. Agora, no dia 7 de dezembro (sexta-feira), às 18h, todos poderão conferir o resultado deste trabalho.

Danilo Andrade encena solo em dança-teatro com foco na atuação lúdica baseada em estruturas de jogo e improvisação, e Gustavo Letruta apresenta, com o grupo Cavalarias das Orquídeas Noturnas, uma experimentação da rua como local genuíno de possibilidades do brincar. As propostas estão alinhadas ao recorte curatorial “Dança e Infância”, que conduziu o terceiro módulo da programação do Centro de Dança do DF em 2018.

Encontro de avaliação pública

A Secretaria de Estado da Cultura do DF e a organização social Conexões Criativas convidam toda a comunidade para o encontro de avaliação da programação do Centro de Dança do DF ao longo de 2018, no dia 8 de dezembro (sábado), às 10h. Neste ato, os gestores envolvidos apresentarão os resultados alcançados para análise coletiva.

A ideia é sistematizar informações consistentes para concluir um relatório que marque historicamente esta experiência inédita, de modo que ele possa embasar a continuada qualificação de ocupação deste que é um espaço fundamental para a dança de Brasília e do Brasil. Escopo de trabalho, princípios, metas, práticas de curadoria e de execução, procedimentos, impactos e a própria atuação dos dirigentes poderão ser avaliados por todos.

Festa do Amor

Evento que festeja o encerramento das atividades desenvolvidas ao longo do ano, a “Festa do Amor” acontecerá no dia 8 de dezembro (sábado), a partir das 16h, celebrando o corpo como agente principal de um mundo e de uma dança múltiplos, diversos, complexos e propositivos. Tudo começa com a abertura de uma nova exposição no local, “Lambe-dança: uma retrospectiva da Conexões Criativas no Centro de Dança”, com registros das variadas atividades realizadas ao longo do ano, feitos pela fotógrafa Karina Zambrana. Também às 16h, se inicia a exibição da mostra de videodança “Discoreografia – Música, Dança e Blá, Blá, Blá”, de Elisabete Finger, um programa que fala de relações possíveis entre música e artes do corpo.

Às 17h, todos poderão assistir à peça “Bola de Fogo”: uma dança regada a azeite de dendê do artista Fábio Osório Monteiro, que é também baiana de acarajé, devidamente registrada na Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivo e Similares (ABAM).

A criação busca relacionar o fato de ele ser um artista atuante na cena contemporânea, tendo trabalhado com importantes artistas brasileiros e internacionais, e sua necessidade de subsistência diante da instabilidade dos tempos atuais. Depois da apresentação, ele seguirá vendendo seus deliciosos acarajés.

A programação se estende, a partir das 18h, com opções de food trucks de bebidas e comidas e com a performance inédita “Apocalypso em pisca pisca”, do coletivo artístico do “Bloco do Amor”, bloco de carnaval do DF: um espetáculo itinerante, colorido, iluminado e, claro, purpurinado, para cantar, dançar e brindar. A entrada é gratuita e o evento é viabilizado por uma campanha de financiamento coletivo, disponível em http://bit.ly/centrodedancadf.

Oficina e mentorias de Captação de Recursos

A última atividade do ano no Centro de Dança do DF é mais uma série de ações de formação e qualificação para o campo da gestão em cultura, agora com foco na captação de recursos, sob orientação de Rejane Pieratti. No dia 14 de dezembro (sexta-feira), das 15h às 18h, a Oficina de Captação de Recursos oferece 20 vagas.

No dia seguinte, sábado, 15, ficam abertas mentorias em torno da mesma pauta, para consultoria individualizada – serão seis atendimentos de uma hora cada, a serem agendados das 10h às 12h e das 14h às 18h. Para garantir lugar em ambas as atividades, é necessário fazer inscrição prévia com preenchimento de formulário no site www.centrodedancadf.com.br, até o dia 12 de dezembro ou enquanto houver disponibilidade.

Coletivo artístico do Bloco do Amor
Coletivo artístico do Bloco do Amor | Foto: Lainha Loiola e Daniel Fama
Anterior Autópsia - A continuação (ato IV) vence o Prêmio Sesc
Próximo Midnight Mass inspira projeto de teatro no La Rubia