Narrativas curtas em formato de áudio, escritas alternadamente por Luis Filipe Caivano e Marcelo Braga, têm direção de José Eduardo Vendramini e Marcelo Braga. O elenco é formado pelos atores Ademir Emboava, Ana Carolina Capozzi, Natália Beukers, Alex Moreira, Martha Almeida, Viníccius Boaventura e Rodrigo Veras

O projeto CENAS INVISÍVEIS traz para o público a experiência de ouvir teatro, receber as falas dos atores e imaginar o contexto, cenário, figurino e todo o entorno da história. Cenas Invisíveis junta obras curtas de dois dramaturgos: Luis Filipe Caivano (4 cenas) e Marcelo Braga (2 cenas). “Apesar das diferenças mais que naturais entre os dois autores, as cenas escolhidas por eles criaram uma surpreendente unidade a partir do ponto de vista coincidentemente crítico que ambos utilizam em suas respectivas criações. Os dois foram aproximados pela possibilidade – trazida pela pandemia do coronavírus – de terem suas cenas gravadas para veiculação pela Internet, mas agora somente em áudio. Oxalá, no futuro, cenicamente.”, comenta o diretor José Vendramini.

Luis Filipe Caivano é um jovem dramaturgo brasileiro com um futuro mais do que promissor à sua frente. Seu ponto de vista é sempre crítico, às vezes sarcástico, até mesmo cáustico.

Marcelo Braga, mestre, doutor, encenador e professor na área teatral, há algum tempo vem se aventurando em busca de uma dramaturgia própria, com forte viés ativista em defesa da diversidade, e sempre com uma pegada humanista, que ri e chora a partir do patetismo das relações familiares.

“Esta junção criou automaticamente um grupo de produtores, atores e técnicos que, mesmo lutando contra os impedimentos de se resolver à distância o fenômeno teatral, que implica presente ficcional e presença física dos atores e público, está redescobrindo – com encantamento! – o valor expressivo da palavra”, completa Vendramini.

Sobre a dramaturgia

Essa é a primeira vez que os autores escrevem um texto para o formato somente de áudio, uma nova experiência direcionada para um espectador à distância. Sobre este processo Luis Filipe observa, “A quarentena, a pandemia e todo o contexto político atual nos obrigam a buscar válvulas de escape para mantermos o que resta da nossa sanidade. Quanto mais tensa a situação, tanto maior é a necessidade de encontrarmos algo que nos traga alguma leveza. O projeto propositalmente não aborda a quarentena e a pandemia diretamente justamente por acreditarmos que as pessoas querem um respiro de tudo o que tem acontecido no mundo exterior. Não obstante, as cenas em geral partem de situações tensas ou tristes e, assim, buscam o humor em lugares insuspeitos. Assim, ao mesmo tempo em que há ironia e crítica, também há algo de esperançoso nelas. Ao meu ver, fazer piada é uma forma de elaborar o luto coletivo pelo qual estamos passando”.

Para Marcelo Braga o princípio dramatúrgico é o mesmo, “mas agora existe uma preocupação a mais que é: inserir elementos para que, só com a voz dos atores e efeito sonoros, o público acompanhe as nossas histórias”.

CIA FILHOS DO DR. ALFREDO

A Cia. Filhos do Dr. Alfredo foi criada em 2001, por atores formados pela EAD-Escola de Arte Dramática/ECA/USP, com a intenção de desenvolver pesquisas de linguagens próprias a partir de diferentes formas dramatúrgicas. O nome é uma homenagem a Alfredo Mesquita, fundador do conjunto amador Grupo de Teatro Experimental (GTE), uma das raízes para a criação do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) e fundador da EAD.

Com quase vinte anos de existência, a companhia já possui uma importante trajetória e pretende continuar seu trabalho de montagens buscando, a partir do encontro com diferentes diretores e autores, proporcionar cada vez mais desafios para os atores e com isso desenvolver espetáculos que dialoguem diretamente com a nossa realidade.

Com nova formação, o grupo está fundamentado na parceria de longa data entre o autor e diretor Marcelo Braga e o dramaturgo e encenador José Eduardo Vendramini. Alguns dos espetáculos anteriores criados por essa dupla foram “Sinfonia do Tempo”, “Jogo de Damas” e o texto de “Quem fica com Quem”.

JOSÉ EDUARDO VENDRAMINI – DIRETOR

É dramaturgo, encenador, professor titular emérito aposentado do Departamento de Artes Cênicas da USP. Iniciou sua trajetória artística em 1964. Membro fundador do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto. Teve encenada sua peça CARTAS LIBANESAS no SESC Ipiranga-SP, com três indicações para prêmios de melhor dramaturgo do ano: APCA-SP, Shell-SP e Aplauso Brasil. Ganhou quatro prêmios GOVERNADOR DO ESTADO (como figurinista e cenógrafo) e várias MENÇÕES HONROSAS, em concursos nacionais de dramaturgia. Entre seus inúmeros textos de teatro, destacam-se: O CANIL (premiado pelo Serviço Nacional de Teatro em 1974 e publicado pela ART&TEC EDITORA, em 1992), BAILE DE DEBUTANTES (premiado pelo Serviço Nacional de Teatro em 1978 e publicado pela ART&TEC EDITORA, em 1992), VIAGEM AO INTERIOR (premiado pela Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, em 1993), LONA ESTRELADA (premiado e publicado pela FUNARTE, em 2003), FELIZ 64 ou AULA DE AMOR (premiado pela Fundação Brasileira de Teatro e pela Fundação Banco do Brasil, em 1992), DIÁLOGO COM A MÃE (encenado, com direção de William Pereira), SINFONIA DO TEMPO (encenado, com direção de Silnei Siqueira), JOGO DE DAMAS (encenado, com direção do Autor e Marcelo Braga) e QUERIDO BRAHMS (publicado pela GIOSTRI EDITORA em 2013, em edição bilíngüe, português e alemão, presente na Feira do Livro de Frankfurt do mesmo ano; encenado em 2015, com direção de Tadeu Aguiar). Dirigiu grandes textos da dramaturgia mundial, como À MARGEM DA VIDA, de Tennessee Williams, ROMEU E JULIETA, de William Shakespeare, A MANDRÁGORA, de Maquiavel, LIOLÁ e ESTA NOITE SE IMPROVISA, de Pirandello (o segundo na cidade do Porto, em Portugal, para a SEIVA TRUPE), NÃO SE BRINCA COM O AMOR, de Alfred de Musset, A DISPUTA, de Marivaux, ANTÍGONE, de Jean Anouilh, entre outros. Integra a Cia Filhos do Dr. Alfredo, tendo dirigido “Montanha-russa” (2018) e “Quem fica com quem” (2019), contemplado pelo Prêmio Cleyde Yáconis da Prefeitura de SP.

MARCELO BRAGA – AUTOR E DIRETOR

Dramaturgo, ator e diretor, formado pela EAD/ECA/USP e pelo Curso de Interpretação e Formação de Atores e Cantores – FUNARTE, coordenado por Myrian Muniz. Coordenador e Professor de Artes Cênicas na Universidade Anhembi Morumbi e na Faculdade Paulista de Artes. Foi coordenador de equipe de Teatro no PROGRAMA VOCACIONAL da Secretaria de Cultura da Cidade de São Paulo por sete anos. É doutor pela Escola de Comunicações e Artes da USP com tema DO SER AO ATOR – UMA TRAJETÓRIA PEDAGÓGICA BASEADA EM MYRIAN MUNIZ, e é mestre pelo Instituto das Artes da UNESP em Pedagogia Teatral. Seu primeiro texto publicado foi PERTENCIMENTO, lançado em 2013, pela Giostri Editora. Escreveu MONTANHA RUSSA (2018) que recebeu sua primeira montagem profissional com a Cia. Filhos do Dr. Alfredo e direção de J. E. Vendramini e foi indicado ao Prêmio APLAUSO BRASIL como Melhor Dramaturgia de 2018. Dirigiu QUEM FICA COM QUEM, de sua autoria e de J. E. Vendramini, no VIGA Espaço Cênico (2019), JOGO DE DAMAS, de José Eduardo Vendramini, no Teatro João Caetano (2010), AO VENCEDOR, AS BATATAS!! de Machado de Assis (2009/10/11/12), no FRINGE, no Teatro Alfredo Mesquita, nos CEUs e teatros de Mogi Mirim e São Bernardo do Campo, RITUAL ÍNTIMO de João Silvério Trevisan (2007/2008), no Centro Cultural São Paulo, Espaço dos Satyros e Porto Alegre em Cena, dentre outros.

ADEMIR EMBOAVA – ATOR

Ator formado pelo Macunaíma e pelo Teatro Escola Célia Helena. Últimos trabalhos em audiovisual foram Arcanjo Renegado, Bruna Surfistinha, Coisa Mais Linda, novela Jesus, Outro lado do Paraíso. Últimos trabalhos em teatro foram Pai Filho Pai direção/dramaturgia José Eduardo Vendramini, Galileu Galilei direção: Dagoberto Feliz, Como Gostais direção: Marcelo Lazzarato. Realizou cursos de interpretação audiovisual com Eduardo Milewicz, Escola de circo Picadeiro e curso de interpretação com Juliana Carneiro da Silva Théâtre du Soleil. Professor de Interpretação Teatral no Teatro Escola Célia Helena e Lourenço Castanho.

ANA CAROLINA CAPOZZI – ATRIZ

Atriz formada pelo Célia Helena. Cursou também Interpretação para Cinema na Academia Internacional de Cinema. Indicada ao Prêmio Aplauso Brasil em 2018 como melhor atriz coadjuvante, pela peça “Montanha-russa”, de Marcelo Braga, dirigida por J. E. Vendramini. Em 2019, compôs o elenco de “Quem fica com quem”, de Marcelo Braga e José Eduardo Vendramini, espetáculo contemplado pelo Prêmio Cleyde Yáconis, edital de fomento da Prefeitura de SP. Esteve no elenco de “Mais quero asno que me carregue, que cavalo que me derrube” de Carlos A. Soffredini, com direção de Ednaldo Freire, em 2016 e 2017. Na TV, trabalhou com o Emílio Fontana, em seriados para a TVCOM. Palestrante convidada em workshops do Sesc e professora de produção executiva do Instituto de Cinema e da Academia Internacional de Cinema.

NATÁLIA BEUKERS – ATRIZ

Começou a estudar teatro aos 10 anos, na Casa do Teatro, escola da Lígia Cortez (2008-2013). Formada pela Escola de Atores Wolf Maya, em 2016, estreou profissionalmente em 2017 com a peça “O Tambor e O Anjo”, direção de André Garolli. No mesmo ano, entrou para o núcleo de pesquisa e aprofundamento de linguagem do Grupo TAPA. Nesse período, participou do espetáculo “Anatol”, com direção de Eduardo Tolentino de Araujo, assim como da produção de mais de 10 peças da companhia. Em 2019, de janeiro a junho, esteve em cartaz com a peça “O Jardim das Cerejeiras”, dirigida, também, por Tolentino. Desde então, estuda com o diretor e atores do Grupo TAPA. Fundadora da página INFO TEATRO.

LUIS FILIPE CAIVANO – AUTOR

Formado em direito e administração pública pela Fundação Getúlio Vargas. Frequentou o curso Intensivo de Roteiro da Academia Internacional de Cinema em 2019 e atualmente frequenta o curso de Formação de Roteiristas da Roteiraria. Professor de produção executiva do Instituto de Cinema e da Academia Internacional de Cinema.

ALEX MOREIRA – ATOR

Começou sua pesquisa artística em 1998 tornando se profissional em 2002, desde então atuou em diferentes áreas. Como ator fez radionovela, dublagem, cinema e teatro, em seu currículo constam trabalhos como “Os Saltimbancos” direção de Maximiliana Reis, “O empinador de estrelas” direção de Milton Morales Filho, “A Canção dos Ápices Humanos” (espetáculo que circulou por festivais ganhando mais de 15 prêmios) direção Mateus Faconti. Com esse espetáculo foi indicado três vezes como melhor ator sendo premiado em 2016 no festival de cenas FESCETE. Ao longo da carreira participou de diversas montagens, mais recente em 2019 participou do espetáculo “Quem fica com quem” direção Marcelo Braga e José Eduardo Vendramini.

MARTHA ALMEIDA – ATRIZ

Atriz, psicanalista e publicitária, formada pelo Curso Profissionalizante Célia Helena e Pedagogia pela PUC-SP. Atuou como locutora, narrando histórias de Natal Bauducco e para o site infantil o Pequeno Leitor. É produtora e locutora de histórias para o site infantil Radioteca. Atuou como publicitária por 18 anos, tendo passado pelas agências AlmapBBDO, Peralta e DPZ&T. Produziu o espetáculo ‘Montanha-russa”, da Cia Filhos do Dr. Alfredo. Produziu e atuou na peça “Mais quero asno que me carregue, que cavalo que me derrube” de C. A. Soffredini, em 2016 e 2017.

Serviço:

Cenas curtas de até 10 min cada
Estreia – quinta, 24/09, 20h
Lançamento de uma nova cena a cada semana até 29/10
Todas as quintas, às 20h
No Youtube da Cia. Filhos do Dr. Alfredo:
https://www.youtube.com/channel/UCAKyh7cMsAx0Ks21hONWiIA
No IGTV da Cia Filhos do Dr. Alfredo:
https://www.instagram.com/filhosdodralfredo/

Ficha Técnica

Realização: Cia Filhos do Dr. Alfredo
Direção: José Eduardo Vendramini e Marcelo Braga
Textos: Luis Filipe Caivano e Marcelo Braga
Elenco: Ademir Emboava, Ana Carolina Capozzi, Natália Beukers, Alex Moreira, Martha Almeida, Viníccius Boaventura e Rodrigo Veras
Produção Executiva: Ana Carolina Capozzi e Luis Filipe Caivano
Montagem e finalização de áudio: Renato Frei
Ilustrações: Gabriela Caivano

Cena 1: Delícias do Panóptico Açaí e Lanches
Direção: José Eduardo Vendramini
Texto: Luis Filipe Caivano
Elenco: Alex Moreira e Luis Filipe Caivano

Cena 2: Bananas e Pêssegos
Direção: José Eduardo Vendramini
Texto: Luis Filipe Caivano
Elenco: Ana Carolina Capozzi e Natália Beukers

Cena 3: Meu Podcast Favorito de Cinema
Direção: José Eduardo Vendramini
Texto: Luis Filipe Caivano
Elenco: Ademir Emboava, Ana Carolina Capozzi, Natália Beukers, Rodrigo Veras e Viníccius Boaventura

Cena 4: Café Via Láctea
Direção: José Eduardo Vendramini
Texto: Luis Filipe Caivano
Elenco: Alex Moreira, Ana Carolina Capozzi e Rodrigo Veras

Cena 5: Parceria de Uma Vida I
Direção: Marcelo Braga
Texto: Marcelo Braga
Elenco: Martha Almeida e Ana Carolina Capozzi

Cena 6: Parceria de Uma Vida II
Direção: Marcelo Braga
Texto: Marcelo Braga
Elenco: Ademir Emboava, Alex Moreira e Martha Almeida

Anterior BRASÍLIA EM LINHAS REABRE O ESPAÇO OSCAR NIEMEYER
Próximo A artista Marcela Brandão lança vídeo "Making of"