Música dá nome ao primeiro trabalho solo do artista brasiliense Carlos Thurler, radicado há quatro anos em Toronto (Canadá). Disco, com 10 faixas, sai no dia 25 de agosto

O músico brasileiro Carlos Thurler, residente em Toronto (Canadá), vai lançar no dia 25 de agosto o álbum “Divided”, gravado nos estúdios brasilienses Orbis e Audio Coletivo e no canadense Lynx Music.

São 10 músicas que revelam influências do rock alternativo dos anos 1990, desde o peso do grunge e hard rock até baladas mais delicadas e introspectivas. Como “aperitivo”,está disponível nas plataformas digitais o primeiro single e videoclipe, da faixa-título “Divided”.

Em seu primeiro disco solo, Thurler apresenta um trabalho com ênfase nas guitarras, onde assumiu também baixo e vocais, em uma produção que durou quase dois anos. “As gravações ocorreram entre Toronto e Brasília, onde tive a honra de contar com a participação de amigos muito talentosos. As composições refletem quem eu sou e algumas sonoridades que me influenciaram desde muito jovem estão aqui. Portanto, essas músicas vêm de um lugar puro e muito pessoal”, conta o músico, que também assina todas as letras.

O álbum conta com os músicos brasileiros Caco Gonçalves e Tony Coutinho nas baterias, e Daniel Rodrigues no piano e órgão. Todas as faixas foram mixadas pelo renomado produtor inglês Chris Sheldon, cujo currículo inclui nomes de peso como Foo Fighters, Therapy?, Anthrax e Pixies, entre outros. A masterização ficou a cargo de Charlie Francis em Cardiff (País de Gales).

HISTÓRIA

Carlos Thurler tem 25 anos de experiência na música como guitarrista de bandas covers e autorais. Em 2008, gravou um álbum com a extinta banda indie brasiliense Monovida. Pouco depois, mudou-se para Londres, onde trabalhou e gravou com o compositor local James Daniel Best. De volta a Brasília, passou alguns anos tocando ao vivo com ainda mais frequência e começou a se desenvolver também como cantor. No fim de 2019 foi para Toronto (Canadá), mas logo em seguida veio a pandemia – quando o músico se aproveitou da forçada reclusão para compor e produzir sua própria música.

Com tempo em mãos, pela primeira vez se sentiu livre para compor um material que lhe agradasse pessoalmente. No entanto, ser artista solo trouxe muito mais trabalho: criar todas as músicas, escrever todas as letras e gravar todas as partes de guitarra, baixo e vocais. “Divided” revela muitas de suas maiores influências: do grunge, hard rock e stoner rock até o britpop e indie rock. O desafio era encaixar tudo no disco de forma concisa e encontrar o equilíbrio ideal entre o nostálgico e o contemporâneo.

Enquanto alguns buscam carreira na música desde cedo, Carlos Thurler seguiu o caminho inverso. Após trabalhar anos na área de marketing, começou aos poucos a perceber que não queria mais aquilo. Passou por um período de transição, onde conciliava um emprego em período integral com quatro bandas ativas na noite brasiliense. Daí, ficou claro para ele que a música e a criação eram o estilo de vida que almejava. O interesse veio aos 14 anos quando começou a tocar guitarra e pouco tempo depois já estava formando grupos com amigos da escola. No início da vida adulta, passou a se apresentar tocando covers de Alice in Chains e Pearl Jam.

Com o lançamento de “Divided”, abre-se um novo capítulo na carreira musical de Carlos Thurler e agora, pós-pandemia, finalmente chegou o momento de compartilhar seu trabalho com o mundo inteiro.

Preview do álbum “Divided” (três faixas): www.soundcloud.com/carlos-thurler/sets/divided-album-preview-teste/s-woa9apdKEQO

REDES SOCIAIS
www.carlosthurler.com
www.carlosthurler.com/music
www.instagram.com/thurlersounds
www.youtube.com/@kaduthurler
www.facebook.com/carlos.thurler.5
www.twitter.com/kaduthurler
www.tiktok.com/@thurlersounds

CONTATO
[email protected]

ÁLBUM “DIVIDED” – Créditos

Composição: Carlos Thurler
Letras: Carlos Thurler
Guitarras, violão, baixo, vocais, vocais de apoio e percussão: Carlos Thurler
Baterias: Caco Gonçalves (em “Divided”, “Another Face”, “Faith”, “Always” e “Nothing Seems To Matter”). Tony Coutinho (em “Burning Bridges”, “New Inquisition”, “Scatterbrain”, “Way Beyond” e “Havoc Within”) Piano e órgão: Daniel Rodrigues

Gravado nos estúdios: Orbis Estudio (Brasília), Audio Coletivo Studio (Brasília) e Lynx Music (Toronto) entre novembro de 2021 e agosto de 2022
Engenheiros de gravação: Marcos Pagani, Daniel Rodrigues e Carlos Thurler
Produzido por Carlos Thurler
Mixagem por Chris Sheldon (Londres)
Masterização por Charlie Francis (Cardiff)