Eduardo Bragança estreia na literatura, tendo Lourenço Mutarelli como editor

“Os sinais foram transmitidos há milênios, mas são tão fortes que continuam rodando pelo planeta. Incapazes de romper a atmosfera, eles circulam o mundo, passando de uma antena para a outra, vagando pelos aparelhos domésticos, chamando atenção dos animais, interferindo nos pensamentos, se encarcerando em mentes com campos gravitacionais alterados.

Arrastam informações pelo seu caminho, recombinam mensagens e confundem os que não são capazes de decifrar seu sinal. A transmissão é de ódio. De luz. De amor. De medo. A transmissão quase nunca é compreendida. Porque estamos todos quebrados. Nossas antenas não funcionam com precisão. Só os loucos têm a antena ajustada para receber a mensagem. Só os loucos a recebem na íntegra. Mas os loucos são loucos. E não podemos confiar neles.”

É com esse texto de abertura que Canis Majoris nos convida a penetrar na densa atmosfera de uma estrada que segue, página após página, rumo ao inconsciente do protagonista. “A história de Ethan é uma viagem em direção às profundezas da mente, e fala sobre como nossa vida é influenciada por coisas que não sabemos que estão lá, mas que ao mesmo tempo não podem ser ignoradas. É uma história de amor, cheia de poesia e escuridão”, comenta o autor Eduardo Bragança.

Ethan, um garoto criado pela mãe, e que nunca conheceu o pai, vive sob o estigma de seu pai ter morrido louco. Ele tem certeza de que um dia a loucura vai bater na sua porta, mas se sente confortável com isso. É como se a loucura fosse um pedacinho do pai que ele não conheceu.

Quando o livro começa, coisas estranhas acontecem com Ethan. Estranhas, mas que fazem sentido demais para ser simplesmente loucura. E é durante um desses episódios que ele conhece Amanda, a única pessoa do mundo que enxerga Ethan em toda sua delicadeza e que aceita o fato de ele ser diferente de todos. Os dois vivem uma história de amor, que consegue ser cheia de poesia, mesmo cercada de escuridão por todos os lados.

Um outro elemento que marca o livro é a música. Ela aparece em diversos momentos, e as letras vão se conectando com as histórias dos personagens. A relação da história com a música é tão forte que o autor resolveu lançar o livro na Galeria dos Músicos, com a participação do Duo Soprando Cordas trazendo um pouco da atmosfera do livro para o evento. A playlist, que se chama Canis Majoris, pode ser conferida no Spotify ou no Youtube.

Eduardo comenta que “ter o trabalho de edição de Mutarelli foi um privilégio. Ele foi como um instrutor de voo. Me ajudou a manter o avião voando, sem nunca me dizer para onde eu tinha que ir. Isso é grandioso”.

Vendas: Livro digital pela Amazon, a partir do dia 14 de fevereiro. E livro físico pelo e-mail: livrocanis@gmail.com

Ficha Técnica
Título: Canis Majoris
Nº de páginas: 496
Valor Livro Impresso: R$ 50,00
Valor e-book Kindle: R$ 28,00

SOBRE O AUTOR

Eduardo Bragança nasceu em Niterói e trabalhou muitos anos como redator em agências de publicidade. Em 2008 mudou-se para Atlanta, EUA, a convite do Cartoon Network, onde viveu por quatro anos. Durante esse período estudou roteiro na Spruil Center for the Arts e na New York Film Academy. De volta ao Brasil, montou o departamento de criação dos canais da Discovery Networks e pouco depois voltou para o Cartoon Network, onde trabalha como roteirista. Eduardo tem como principais referências literárias Bukowsky, Kafka e Dostoyewski. Canis Majoris é sua primeira obra publicada.

Anterior Amar é Brega - Uma Comédia Elegantérrima
Próximo A cantora gaúcha Gia lança o clipe de "O Prazer é Meu"