Apenas sete meses após o último lançamento, a escritora Gracia Cantanhede vem aí com “Brasília, meu amor”, oitavo livro de sua carreira. Diferentemente dos últimos eventos, realizados no formato noite de autógrafos, o lançamento, que acontecerá em 23 de abril, na Livraria Cultura do CasaPark, envolverá os presentes em uma Roda de Conversa feita com a autora, com a participação de escritores, poetas, jornalistas e público presente, no auditório da livraria. Antes, entre 18h30 e 20h30, a autora autografará os livros.

Mineira radicada em Brasília há 46 anos, Gracia sempre declarou seu amor à cidade. É tanto amor que, agora, rende até um livro. “É um trabalho feito com dedicação. Simples, mas muito amoroso. Meus textos são de uma Brasília humana. Histórias de uma cidade que tem alma, vida. São várias declarações de amor ao Distrito Federal, às Cidades Administrativas que compõem essa grande e jovem Capital. Também há o registro de poetas e de escritores que amam Brasília. Fiquei feliz por ter conseguido concluir a tempo de lançá-lo no mês de aniversário da nossa cidade”, revela a escritora.

Ao longo de sua produção literária, que, pode-se dizer, acompanha-a desde que aprendeu a escrever, Gracia explorou várias linguagens literárias, como o conto, a poesia, a crônica, o romance e até um livro de pensamentos. “Lancei meu primeiro livro em 1994, mas sempre escrevi. Nesse sentido, a maturidade tem me trazido muita satisfação, pois me dedico, cada vez mais, ao que acredito ser minha razão de viver: escrever”, afirma Gracia.

Lançado pela editora Observatório do Texto, “Brasília, Meu Amor”, contendo 108 páginas, será comercializado na Livraria Cultura a R$ 35,00. A orelha do livro leva a assinatura da jornalista e escritora Maria Félix, que entre outras passagens escreveu: “Valiosa e comovente, esta obra é um presente nesses 59 anos da urbe mágica construída por Juscelino Kubitschek, ao lado de gênios como o urbanista Lucio Costa e o arquiteto Oscar Niemeyer e de tantos outros visionários. Brasília, meu amor é um brinde a todos nós, graças à generosidade de sua criadora.”

SINOPSE

Gracia define o livro como um trabalho simples, “a única pretensão é homenagear Brasília”. Mas é amoroso, uma verdadeira declaração de amor à nossa cidade. A obra traz textos poéticos, contos e crônicas ambientados em diversos cenários da capital como Torre de TV, Teatro Nacional, Lago Paranoá, Rodoviária, Esplanada dos Ministérios, Hospital de Base, Feiras, Santuário Dom Bosco, Estádio Mané Garrincha… “Meus textos são de uma Brasília humana, histórias de uma cidade com alma, vibrante’. As páginas abrigam, ainda, frases sobre Brasília escritas por poetas e escritores convidados, além de 11 fotos do respeitado artista visual e fotógrafo Alexandre Perotto, radicado em Brasília.

 Gracia Cantanhede
Gracia Cantanhede

SOBRE GRACIA CANTANHEDE

Foi por volta dos 11 anos de idade que Gracia despertou para a literatura. Relembra que o incentivo de uma professora ao ler sua redação em sala de aula reforçou, ainda mais, seu gosto pela escrita e leitura. Já aos 16 anos colaborava com publicações do jornal “A Vanguarda”, de Boa Esperança (MG), cidade onde passou sua adolescência.

Em Brasília, formou-se em Direito e atuou como Procuradora Federal, aprovada em Concurso Público, com a literatura correndo, paralelamente. Além do livro que apresenta agora, Gracia lançou outros sete: Palavra de Mulher (1994), Jogo de Persona (1997) e Mulheres Apaixonadas (2013), Madonna Chegou e Bacia das Almas ( 2017), Tanto faz se for mentira, ou verdade (2018) e Cortina de Contas (2018). Ao longo dos anos, participou de 19 antologias de contos, crônicas e poesias. Suas crônicas foram publicadas no “Caderno Mulher,” jornal Correio Braziliense, na década de 90, período em que também ganhou um concurso cultural promovido pela editora Abril com o poema Autorretrato.

Na cidade, está sempre envolvida em projetos sociais e culturais, e, por duas ocasiões, presidiu a Pró-Arte de Brasília, entidade voltada para a divulgação e incentivo de manifestações artísticas nas mais variadas frentes.

Hoje, tem mais tempo para se dedicar à grande paixão de sua vida. “Escrever é um chamamento, uma realização. Vivo em uma casa com mais de 25 mil livros. Ler, para mim, é prazer inigualável”. Há muitos anos, propôs-se a um prazeroso exercício: “Todos os dias escrevo, seja dando continuação ao romance iniciado este ano, uma crônica, um poema ou um conto, seja lá onde estiver. Tenho mais três livros para serem editados, inclusive um livro de contos e um romance, comenta.

Serviço

Lançamento do livro “Brasília, Meu Amor” – Roda de Conversa
Preço: R$35,00
Data: 23 de abril
Horário: a partir das 18h30min
Local: Livraria Cultura do CasaPark

Anterior A banda iFloyd apresentará na íntegra o álbum duplo The Wall
Próximo O Anjo, dirigido por Luis Ortega e produzido por Almodóvar