VIX mapeia o relacionamento da nova geração com conteúdo de beleza na internet. Pesquisa mostra que grande parte da audiência de vídeos com tutoriais acaba consumindo exatamente os produtos indicados

Para entender como a nova geração está consumindo o conteúdo de beleza na web e a influência dessas publicações nas decisões de compra, a VIX, plataforma de conteúdo social, realizou a pesquisa “A Beleza na Era do Conteúdo”.

Em alta

Uma das tendências captadas é o shoppable content – conteúdo voltado para as compras -que desperta o interesse do consumidor e facilita o processo de compra. Além disso, o estudo detectou que o e-commerce está evoluindo e, com a realidade aumentada, por exemplo, permite experiências mais complexas para o usuário.

A tecnologia ainda está presente na utilização de influenciadores/modelos virtuais criados pela computação gráfica ou nos conteúdos gerados por usuários. Também foi percebido um certo enclausuramento social, com a preferência de menos interação pessoal pelos usuários. A geração Z, por exemplo, opta muitas vezes pela aprendizagem online.

Mudança de interesse

A pesquisa apontou uma queda no interesse por conteúdos que falam sobre tratamentos mais artificiais e maior audiência por conteúdos que valorizam a beleza natural. “Percebemos isso claramente em nossas publicações nos diversos canais. Entre 2015 e 2019, a criação de conteúdo no VIX sobre ‘cirurgia plástica’, despencou. Outro exemplo é a busca pelo tema ‘alisamento capilar’ que praticamente desapareceu enquanto que “cabelo crespo” teve um crescimento de 87% na produção de conteúdo e um aumento de 80% na audiência dos conteúdos relacionados ao assunto”, diz Sergio. “Interessante observar que essa transição ocorre ao mesmo tempo que a palavra ‘empoderamento’ é encontrada com maior frequência nos conteúdos”, complementa.

Outra informação levantada foi a necessidade de inclusão e, consequentemente, maior presença de diferentes modelos, além das mulheres brancas. Negros, homens e trans, agora também estão no radar e participam da conversa sobre beleza.

Um dos dados curiosos da pesquisa é que, no VIX Glam, os vídeos com celebridades geram mais visualizações, mas são menos compartilhados. Os campeões de viralização são os materiais com dicas de soluções caseiras e econômicas.

Enquete no Facebook

Na enquete feita nas redes sociais sobre o consumo de conteúdo de beleza, os resultados revelam que: 87% dos usuários do VIX Glam acompanham o canal por conta das dicas do dia a dia; 50% usam exatamente os produtos indicados nos vídeos e 35% executam as dicas que veem nos tutoriais.

O intuito da pesquisa é oferecer à audiência do VIX Mulher e do VIX Glam, canal de beleza do publisher, conteúdos mais assertivos e realmente engajadores. Hoje o VIX Glam alcança 4 milhões de pessoas, com 2 milhões de vídeo views e 22 mil interações mensais. Já o canal VIX Mulher, maior plataforma de conteúdo social para o público feminino, chega a 13 milhões de pessoas, com 7 milhões de vídeo views e 50 mil interações.

Metodologia

O estudo usou fontes variadas para mapear os interesses do público pela área em sites, redes sociais e aplicativos. A metodologia incluiu uma desk research – com de dados do Google Trends, da Mintel e da Beauty WGSN, entre outros, levantamento de informações de softwares de audiência, como Tubular, CrowdTangle e ferramentas proprietárias, além de enquetes no Facebook.

Sobre o VIX

VIX é um publisher que conta globalmente com mais de 80 milhões de seguidores nas redes sociais. No site vix.com são atingidos 50 milhões de usuários únicos, além de milhões de pessoas em todas as plataformas sociais. No Brasil, é o maior publisher de conteúdos sociais, com mais de 30 milhões de seguidores no Facebook e 30 milhões únicos no site. Atualmente, o VIX produz mais de 1,1 bilhão de visualizações de vídeo por mês. A empresa tem sede em Miami e escritórios em Nova York, Cidade do México, Montevidéu, Buenos Aires e São Paulo.

Anterior O cantor Danilo Bottrel lança a faixa "Assunto Resolvido"
Próximo Karen Jonz revela o motivo de ter desistido de vaga em Tóquio