O projeto de formação audiovisual REMONTA disponibiliza na íntegra todas as palestras do Seminário realizado em março

Assistência em direção, mixagem de som para longas e séries, formatação para roteiro técnico, produção executiva e coordenação de pós-produção são os temas das palestras do Seminário Novos Formatos audiovisuais, produzido pelo REMONTA e realizado em março deste ano no Cine Metrópolis, na Ufes. Todas elas estão disponíveis na íntegra no canal do youtube do projeto.

Acesse aqui: https://bit.ly/remontayt.

Além das palestras, foi realizada a mesa de discussão “A produção audiovisual no ES: novos formatos, novos caminhos”, que contou com a participação de profissionais do setor. A discussão pode ser ouvida no primeiro episódio do Podcast Remonta, disponível no Spotify: https://spoti.fi/34A6gp9

Essa primeira fase do projeto foi totalmente gratuita e aberta e priorizou a formação técnica em áreas estratégicas da cadeia produtiva do audiovisual e contou com profissionais capacitados e ativos nos mercados de Vitória, São Paulo e Rio de Janeiro e com o apoio do Cine Metrópolis e da Secretaria de Cultura da UFES. A segunda etapa do projeto será com as oficinas gratuitas, mas voltadas para mulheres e pessoas trans e não-binárias.

As oficinas acontecerão em diversos locais da Grande Vitória, como o MUCANE (Museu Capixaba do Negro), na UFES e no Centro Cultural Eliziário Rangel, e vão contemplar as áreas de interpretação para cinema, acústica e som direto, edição de diálogos, iluminação e noções básicas de elétrica e assistência de câmera. As inscrições já foram encerradas e o projeto encontra-se suspenso devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O principal objetivo do REMONTA é contribuir para a capacitação e a especialização de profissionais e estudantes atuantes no cenário audiovisual capixaba. Com uma equipe formada inteiramente por mulheres, a iniciativa partiu do desejo e da necessidade de promover a paridade de gênero nas equipes, bem como em todos os ambientes de circulação, promoção e difusão de conteúdos audiovisuais no Estado.

Segundo a pesquisa divulgada pelo Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa, o Gemaa, zero mulheres negras dirigiram filmes nacionais de grande público de 1995 a 2018, além disso, elas representam 4% dos elenco destes longas. O dado é sintomático das desigualdades de raça e genero na indústria cinematográfica, segundo as conclusões do estudo, e mais uma prova da importancia de projetos como o REMONTA, que priorizem o ensino técnico de mulheres no audiovisual. Confira a pesquisa completa aqui: https://bit.ly/boletimgemaa

Para Juane Vaillant, produtora audiovisual e uma das idealizadoras do REMONTA, o desenvolvimento de uma produção que abarque a diversidade e a pluralidade de ideias, saberes e pontos de vista é urgente e necessária, e a formação inclusiva é uma ferramenta estratégica para ‘remontar’ o fazer audiovisual.

“Quanto mais diversidade uma equipe tiver, mais o trabalho vai refletir as questões plurais que temos no nosso cotidiano. O cinema trabalha com o imaginário das pessoas. Filmes produzidos só por homens, brancos, classe média/alta foram a grande maioria por anos, e o resultado foi que muitas pessoas não pertencentes a esse grupo se sentiam inferiores por não responderem a esses padrões. É preciso mudar o discurso na base, para que ele seja visto no resultado final”, explica Juane Vaillant.

O projeto REMONTA é realizado com o apoio da SECULT-ES com recursos do FUNCULTURA.

Acompanhe nossas redes sociais:

www.instagram.com/remontaaudiovisual
www.facebook.com/remontaaudiovisual
https://bit.ly/remontayt

Ficha técnica dos vídeos

Direção: Natália Dornelas
Captação de imagens: Filmes Fritos (Tati Franklin e Suellen Vasconcelos)
Captação de som: Yasmin Marques
Assistência de câmera: Laury Domingues

Anterior Erasure divulga concurso para fãs, valendo prêmios exclusivos
Próximo Alexia Bomtempo lança clipe da faixa "I'm Love Again"