Exposição Ato – teatro e dança por Mila Petrillo segue em cartaz somente até o dia 23 de junho no Museu Nacional Honestino Guimarães, trazendo imagens marcantes das artes cênicas de Brasília

Em cartaz no Museu Nacional até o dia 23 de junho, a exposição “Ato – teatro e dança por Mila Petrillo” reúne imagens marcantes das artes cênicas no Museu Nacional. A exposição traz registros da produção cênica brasiliense no período de 1985 a 2000, fotografados pelas lentes de Mila Petrillo, fotojornalista que atuou neste período em cobertura intensiva da cena cultural da cidade. Ao mesmo tempo em que rememora algumas das montagens e dos personagens marcantes para as artes da cena brasiliense, a mostra celebra a plena atividade de Petrillo por trás dos registros memoriais da cultura candanga.

Com expografia de Bené Fonteles e curadoria de Carmem Moretzsohn, as fotos cuidadosamente selecionadas têm como objetivo levar ao público um pouco da emoção expressada por cada artista. “O grande barato da Mila é ter um cuidado com a composição da luz e com o desenho da foto. Ela consegue captar o movimento muito bem. Eu quis pegar fotos que valorizassem esse talento de captar a emoção da cena. É uma emoção carne viva, sem filtro. Ela procura a expressão pura do ator/bailarino em cena para registrar e isso é um grande diferencial”, reforça Carmem.

A exposição é parte do projeto Por Outras Lentes, que cuidou da recuperação do extenso acervo analógico de Mila Petrillo e programou, ainda, a exposição “Momento em Movimento” em setembro passado, como parte da programação do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – com imagens do acervo de Petrillo que remontavam à memória do longevo festival – nas paredes externas do Cine Brasília. Por Outras Lentes contou, também, com a publicação de um livro com textos de Severino Francisco, lançado na Feira do Livro de Brasília.

A exposição tem patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal e segue em cartaz somente até o dia 23 de junho, na Galeria Acervo do Museu Nacional. A visitação acontece de terça a domingo, das 9h às 18h30. Pessoas com deficiência contam com auxílio de intérpretes de LIBRAS e de audiodescrição.

Sobre Mila Petrillo

Mila Petrillo fotografa profissionalmente desde 1978, tendo passado pelas áreas da fotografia de cena para cinema, reprodução de obras de arte, publicidade e fotojornalismo, especialmente na área cultural e social. Em sua carreira, já realizou 32 exposições individuais, publicou três livros e participou de outros 17, além de somar diversos prêmios.

Fotografou para o Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Folha de São Paulo, revista Veja, Isto é, Marie Claire, Vogue, Elle, Globo Rural, Revista Educação, Revista Nova Escola entre outros veículos de comunicação. Suas fotos ilustram os relatórios sociais de instituições como UNICEF, UNESCO, USAID, BID, UNFPA, BNDES, Fundação AVINA, Petrobras entre outros.

Desde 1985, Mila fotografa os povos indígenas, tendo um vínculo forte com o Comitê intertribal. Registrou momentos importantes culturais, religiosos e políticos, tais como o Quarup no Xingu, manifestações por direitos no Rio de Janeiro, Brasília e outros. Foi fotógrafa oficial e fez exposições na Aldeia Karioca durante a Rio 92 e a Rio + 20. Também fotografou os jogos indígenas na Rio +20.

Serviço

Exposição “Ato – teatro e dança por Mila Petrillo”
Quando: entre 17 de abril a 23 de junho de 2019
Onde: Galeria Acervo – Museu Nacional Honestino Guimarães
Visitação: terça a domingo, das 9h às 18h30
Informações: 3325 6410

Anterior Hambúrguer vegetal da Fazenda Futuro chega à rede The Black Beef
Próximo Idélli Ambientes completa dois anos em Brasília