Mostra de arte queer abre dia 18 de junho na Casa da Cultura da América Latina, em Brasília

Trabalhos de 16 artistas presentes na exposição ATENTxS E FORTES tensionam as relações entre gays, lésbicas, transgêneros e intersexuais com a sociedade brasileira. Resistir à violência, aos preconceitos e ao abandono é parte do cotidiano dos homossexuais e o enfrentamento é uma questão de sobrevivência. Este é o eixo que conduz a mostra Atentx e Fortes – com um x mesmo, para descaracterizar o binarismo da linguagem e contestar o estereótipo de gênero.

Entre os artistas está o maior representante da arte queer brasileira, Victor Arruda, em atividade há mais de 50 anos sem nunca abandonar a temática das relações homossexuais e da crítica ao padrão de sociedade heteronormativa. Arruda atravessou as décadas de 1980 e 90, da Aids e do desbunde carioca, e chegou no século XXI seguro do legado artístico que construiu com ativismo político e suas memórias afetivas.

Ao seu lado, estão jovens artistas que vivem em uma sociedade tecnologicamente avançada, mas enfrentam um conservadorismo consolidado, como Ramonn Vieitez, Lyz Parayzo, Camila Soato, Francisco Hurtz e o coletivo baiano Afrobapho. Ao todo, Atentxs e Fortes terá artistas de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Bahia e do Distrito Federal. A curadoria é de Clauder Diniz.

A mostra é um evento paralelo do Seminário LGBTI+ do Congresso Nacional, que ocorre há 16 anos e, nesta edição, terá como tema “Memória, Verdade e Justiça – 50 anos de luta”, uma alusão ao levante de Stonewall, em Nova Iorque, ocorrido em 1969, quando gays, lésbicas e transexuais revidaram a violência policial e iniciaram a campanha pelos direitos civis dos homossexuais.

O Seminário está marcado para o dia 25 de junho. No dia anterior, 24, ocorrerá o primeiro Seminário LGBT da Assembleia Distrital, que tem entre seus parlamentares o primeiro deputado assumidadmente gay da história da instituição, dep. Fábio Felix (PSOL-DF).

Artistas que participam da exposição: Afrobapho, Camila Soato, Diego Bresani, Elvira Cachorra, Fernando Pericin, Francisco Hurtz, Helder Amorim, Livia Auler, Lynn Carone, Lyz Parayzo, Matheus Assunção, Rafael da Escóssia, Ramon Vieitez, Victor Arruda, Victor Hugo Soulivier e Wolney Fernandes.

Serviço

Exposição Atentxs e Fortes
Abertura: dia 18 de junho (terça-feira), às 19h
Local: galerias da Casa da Cultura da América Latina da UnB (SCS Qd. 4, Edifício Anápolis)
Evento Especial com performances e música, dia 25 de junho, às 19h
Visitação: 19 de junho a 31 de julho, segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, 14h às 18h
Contato: Clauder Diniz (curador)/clauder.diniz@gmail.com/ 61 98179.1272
Brasília, 12 de junho de 2019

Anterior Club Med é sinônimo de sofisticação e serviços de qualidade internacional
Próximo Guilherme Arantes in Concert no Centro de Convenções