AS VILÃS DA TV VIRARAM GRIFE


Nomes como Odete Roitman, Branca Letícia, Filomena Ferreto, Perpétua Esteves e Raquel Assunção te lembram alguma coisa? Então você precisa conhecer a grife Almeida Gerth: Uma super ideia que mescla produção cultural, moda e intervenção urbana.

Produção Cultural

Eles são de São Paulo. O instagram deles está repleto de fãs de TV e clientes satisfeitos com os stencils produzidos pelos artistas plásticos Hugo Almeida e Arthur Gerth, que uniram a criatividade e a paixão pelas vilãs das novelas para a produção de camisetas, quadros e capas de almofada cults, charmosas elegantemente malvadas: é a grife Almeida Gerth!

Conheci o projeto pelo Facebook e como fã assumido das novelas de TV, fui ver de perto como tudo funcionava. O resultado? Fui arrebatado de paixão pela ousadia e simpatia dos meninos e me surpreendi com a quantidade de pessoas que, assim como eu, usam as estampas das vilãs no dia-a-dia, afinal, nada mais refinado do que fazer compras na padaria na companhia de Laurinha Figueroa (Rainha da Sucata) ou a gostosa Nazaré Tedesco (Senhora do Destino). De cara, comprei logo quatro camisetas que foram sucesso já no primeiro uso. Meu espanto maior foi quando vi uma moça no mercado me chamando aos gritos pra saber como consegui achar um item tão peculiar. Em outra ocasião, um amigo do Rio de Janeiro me pediu o contato da grife e três semanas lá estava ele brilhando com sua vilã preferida na praia de Ipanema. Recentemente, o projeto estampou a Revista Minha Novela, numa matéria especial sobre o processo de elaboração, difusão e repercussão da Liga das Mulheres de Bem. Na minha casa mesmo tem duas almofadas lindonas que sempre chamam a atenção das visitas. É selfie na certa!

Produção Cultural

O projeto, que tem o carinhoso nome de “A liga das mulheres de bem” acerta em todas as etapas. O contato com os criadores é super tranquilo e prático. Eles nos respondem quase que prontamente pelas redes sociais, perguntam que vilã queremos usar e dão as opções das cores disponíveis das peças já prontas. As que precisam ser feitas demoram cerca de uma semana. Após essa fase, são enviadas pelos Correios. O preço é justo e o custo-benefício é imenso. É algo mais ou menos assim:

_Olha, eu vou querer uma Odete Roitman amarela tamanho P e uma Perpétua azul tamanho M!
_Ok! Suas meninas já estão a caminho!

Simples e prático! Carinhosamente, as camisetas ou almofadas são embaladas e enviadas numa caixinha personalizada. Cada camiseta ou almofada tem no verso/nas costas uma frase impagável de cada personagem: “Quenga! Você é quenga!”, “Sucateira ordinária!”, “A culpa é da Rita!”…. É amor e afeto em todas as etapas mesmo.

Brincadeiras a parte, o que quero salientar aqui é a força do empreendedorismo que identificou potenciais clientes através da paixão por telenovelas. As vilãs se tornaram stencil e o stencil migrou para produtos e subprodutos dessa boa ideia, formando um nicho consumidor da marca. É um público fiel que faz a propaganda apenas ao usar os itens adquiridos. Atrizes como Adriana Esteves e Glória Pires também entraram na brincadeira e já possuem seus próprios exemplares.

Produção Cultural

Engana-se quem pensa que a produção cultural restringe-se à obra artística em si (refiro-me à telenovela e seus desdobramentos diretos). Para além disso, há também a instalação artística da Liga das Mulheres de Bem, que deixa sua marca na cidade, sempre em contraste com o cenário urbano. Quem diria que um dia iríamos vestir nossas personagens cativas numa moda exclusiva ou decorar nossas casas com criatividade, ironia e um quê de pecado acariciado?

Produção Cultural

Quer conhecer melhor o projeto? Comece seguindo a grife pelo Instagram e Facebook. Mesmo que você não compre, vai se divertir muito com as postagens. Se bem que eu acho que você vai querer comprar sim…

Facebook: https://www.facebook.com/pg/AlmeidaGerth/
Instagram: https://www.instagram.com/almeidagerth/

Anterior Jeremias Reis, vencedor do The Voice Kids Brasil em Brasília
Próximo Os Saltimbancos, de Hugo Rodas, com entrada gratuita